Adaptação brasileira da HOPE: escala de rastreio de superdotação

Autores

  • Carina Alexandra Rondini Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce), São José do Rio Preto-SP, Brasil http://orcid.org/0000-0002-5244-5402
  • Ketilin Mayra Pedro Centro Universitário Sagrado Coração (Unisagrado), Bauru-SP, Brasil http://orcid.org/0000-0002-1893-5002
  • Tatiana de Cássia Nakano Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), Campinas-SP, Brasil http://orcid.org/0000-0002-5720-8940

DOI:

https://doi.org/10.18222/eae.v33.8055

Palavras-chave:

Instrumento de Avaliação , Estudante Superdotado , Avaliação Docente

Resumo

Este estudo objetivou adaptar e investigar as evidências de validade de conteúdo da HOPE Teacher Rating Scale, para uso no Brasil, em duas etapas: (i) tradução, síntese, retrotradução e revisão por comitê de especialistas, com auxílio de tradutores e juízes especialistas; (ii) análise semântica pelo público-alvo, com participação de professores de diferentes níveis educacionais. Como resultado, confeccionou-se uma primeira versão do instrumento, adequada a todos os níveis de ensino e às especificidades da língua e cultura brasileira, a qual deverá ser submetida a estudos voltados à investigação de suas qualidades psicométricas. Por ser um instrumento conciso e de fácil aplicação, espera-se que seu uso ajude na identificação de indicadores de altas habilidades/superdotação em estudantes brasileiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carina Alexandra Rondini, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce), São José do Rio Preto-SP, Brasil

Departamento de Ciência de Computação e Estatística (DCCE)

 

Ketilin Mayra Pedro, Centro Universitário Sagrado Coração (Unisagrado), Bauru-SP, Brasil

Centro Universitário Sagrado Coração: Bauru, SP, BR

Tatiana de Cássia Nakano, Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), Campinas-SP, Brasil

Pontifícia Universidade Católica de Campinas: Campinas, SP, BR

Referências

ALEXANDRE, N. M. C.; COLUCI, M. Z. O. Validade de conteúdo nos processos de construção e adaptação de instrumentos de medidas. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 7, p. 3061-3068, jul. 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232011000800006. Acesso em: 4 dez. 2020.

BEATON, D.; BOMBARDIER, C.; GUILLEMIN, F.; FERRAZ, M. Guidelines for the process of cross- -cultural adaptation of self-report measures. Spine, Bethesda, v. 25, n. 24, p. 3186-3191, Dec. 2000. Disponível em: http://doi.org/10.1097/00007632-200012150-00014. Acesso em: 4 dez. 2020.

BORSA, J. C.; DAMÁSIO, B. F.; BANDEIRA, D. R. Adaptação e validação de instrumentos psicológicos entre culturas: algumas considerações. Paidéia, Ribeirão Preto, SP, v. 22, n. 53, p. 423-432, dez. 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-863X2012000300014. Acesso em: 4 dez. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/. Acesso em: 4 dez. 2020.

CALLEGARI, B. Adaptação e evidências de validade de conteúdo das Escalas para Avaliação das Características Comportamentais de Estudantes com Habilidades Superiores. 2019. 153 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Bauru, 2019.

GAMA, C. M. S. S. As Teorias de Gardner e de Sternberg na educação de superdotados. Revista Educação Especial, Santa Maria, RS, v. 27, n. 50, p. 665-674, set./dez. 2014. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/14320/pdf. Acesso em: 6 dez. 2020.

GENTRY, M.; PEREIRA, N.; PETERS, S. J.; MCINTOSH, J. S.; FUGATE, M. Hope teacher rating scale: administration manual. Waco, Texas: Prufrock Press Inc., 2015.

HERTZOG, N. B.; MUN, R. U.; DURUZ, B.; HOLLIDAY, A. A. Identification of strengths and talents in young children. In: PFEIFFER, S. I. (ed.). APA handbook of giftedness and talent. Washington: American Psychological Association, 2018. p. 301-316.

KAUFMAN, J. M.; ANASTASIOU, D.; MAAG, J. W. Special education on the crossroad: an identity crisis and the need for a scientific reconstruction. Exceptionality, London, v. 25, n. 2, p. 139-155, Oct. 2017.

LOSAPIO, M. F.; PONDÉ, M. P. Tradução para o português da escala M-CHAT para rastreamento precoce de autismo. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 30, n. 3, p. 221-229, dez. 2008.

MARTINS, B. A.; PEDRO, K. M.; OGEDA, C. M. M. Altas habilidades/superdotação: o que dizem as pesquisas sobre estas crianças invisíveis? Psicologia Escolar e Educacional, Maringá, PR, v. 20, n. 3, p. 561-568, dez. 2016.

MCBEE, M. T.; PETERS, S. J.; MILLER, E. M. The impact of the nomination stage on gifted program identification: a comprehensive psychometric analysis. Gifted Child Quarterly, Washington, v. 60, n. 4, p. 258-278, June 2016.

MCINTOSH, J. S. A validation study of the HOPE Scale for use with Native American students in grade 6-12. Unpublished manuscript, Department of Educational Studies, Purdue University, West Lafayette, IN., 2014.

NAKANO, T. C.; PRIMI, R. Triagem de indicadores de Altas habilidades/superdotação: validade de critério. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 31, n. 77, p. 472-495, maio/ago. 2020.

PASQUALI, L. Princípios de Elaboração de Escalas. In: GORENSTEIN, C.; WANG, Y. P.; HUNGERBÜHLER, I. (org.). Instrumentos de Avaliação em Saúde Mental. Porto Alegre: Artmed, 2016. p. 4-11.

PEDRO, K. M.; CHACON, M. C. M. Competências digitais e superdotação: uma análise comparativa sobre a utilização de tecnologias. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, SP, v. 23, n. 4, p. 517-530, out./dez. 2017.

PEREIRA, N. Projeto HOPE: oportunidade de promoção da excelência. In: FLEITH, D. S.; ALENCAR, E. M. L. S. (org.). Superdotados: trajetórias de desenvolvimento e realizações. Curitiba: Juruá, 2013. p. 157-174.

PETERS, S. J.; GENTRY, M. Multigroup construct validity evidence of the HOPE Scale: instrumentation to identify low-income elementary students for gifted programs. Gifted Child Quarterly, Washington, v. 54, n. 4, p. 298-313, Oct. 2010.

PETERS, S. J.; GENTRY, M. Additional validity evidence and across-group equivalency of the HOPE Teacher Rating Scale. Gifted Child Quarterly, Washington, v. 57, n. 2, p. 85-100, Apr. 2013.

PFEIFFER, S. I.; BLEI, S. Gifted identification beyond the IQ test: rating scales and other assessment procedures. In: PFEIFFER, S. I. (org.). Handbook of giftedness in children: psycho- -educational theory, research and best practices. New York: Springer, 2008. p. 177-198.

POCINHO, M. Superdotação: conceitos e modelos de diagnóstico e intervenção psicoeducativa. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, SP, v. 15, n. 1, p. 3-14, jan./abr. 2009.

RONDINI, C. A.; MARTINS, B. A.; INCAU, C. A superdotação invisível e a patologização de comportamentos desviantes da norma. Revista Cocar, Belém, v. 14, n. 30, p. 1-22, set./dez. 2020.

Downloads

Publicado

10-03-2022

Como Citar

RONDINI, C. A.; PEDRO, K. M.; NAKANO, T. de C. Adaptação brasileira da HOPE: escala de rastreio de superdotação. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 33, p. e08055, 2022. DOI: 10.18222/eae.v33.8055. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/eae/article/view/8055. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos