Escolarização em áreas rurais: a distorção idade-série na ótica dos gestores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18222/eae.v33.7289

Palavras-chave:

Defasagem Idade-Série, Fracasso Escolar, Educação Rural

Resumo

O artigo apresenta resultados de uma pesquisa que investigou as condições em que ocorrem as situações de distorção idade-série entre estudantes que residem em territórios rurais. Foram analisadas as percepções de gestores escolares sobre esse fenômeno, em especial o modo como eles explicam sua ocorrência nas escolas. A metodologia utilizada foi qualitativa e envolveu a realização de entrevistas com os gestores de cinco unidades escolares. Os resultados indicam que, na ótica desses profissionais, dois conjuntos de fatores estariam na base do fracasso escolar dos estudantes: fatores extraescolares e fatores escolares, sintetizados como descompassos entre a modalidade de oferta escolar (currículos, tempos e espaços) e a realidade social e cultural vivenciada pelos estudantes em contextos rurais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlice de Oliveira e Nogueira, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil

Professora  do Departamento de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Ouro Preto- UFOP

Luciano Campos Silva, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil

Professor de Sociologia da Educação - Departamento de Educação e Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Ouro Preto- UFOP

Referências

ABRAMO, Helena Wendel. Condição juvenil no Brasil contemporâneo. In: ABRAMO, Helena Wendel; BRANCO, Pedro Paulo Martoni (org.). Retratos da juventude brasileira. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2008. p. 37-72.

BATISTA, Antônio Augusto Gomes; CARVALHO-SILVA, Hamilton Harley de. Família, escola, território vulnerável. São Paulo: Cenpec, 2013.

BICALHO, Ramofly; OLIVEIRA, Lia Maria Teixeira de. Políticas públicas em educação do campo. Revista Trabalho, Política e Sociedade, Nova Iguaçu, RJ, v. 3, n. 4, p. 267-290, jun. 2018. DOI: https://doi.org/10.29404/rtps-v3i4.3579

BONAMINO, Alicia; AGUIAR, Glauco; VIANA, Erisson. O impacto das características intra e extraescolares para o risco de repetência de alunos dos anos iniciais do ensino fundamental. Associação Nacional de Política e Administração da Educação (Anpae). 2012. Disponível em: http://www.anpae.org.br/iberoamericano2012/Trabalhos/AliciaBonamino_res_int_GT7.pdf. Acesso em: 30 mar. 2022.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2008.

BOURDIEU, Pierre. A miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, 2012.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Tradução: Reynaldo Bairão. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975. (Série Educação em Questão).

BOWLES, Samuel; GINTIS, Herbert. Schooling in capitalist America. New York: Basic Books, 1976.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Educação do campo: marcos normativos. Brasília: MEC/Secadi, 2012.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Indicadores educacionais – Censo Escolar 2015. Brasília: Inep, 2015. Disponível em: https://www.gov.br/inep/ptbr/acesso-a-informacao/dados-abertos/indicadores-educacionais/taxas-de-distorcao-idade-serie. Acesso em: 20 fev. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Indicadores educacionais – Censo Escolar 2016. Brasília: Inep, 2016. Disponível em: https://www.gov.br/inep/ptbr/acesso-a-informacao/dados-abertos/indicadores-educacionais/taxas-de-distorcao-idade-serie. Acesso em: 20 fev. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Indicadores educacionais – Censo Escolar 2017. Brasília: Inep, 2017. Disponível em: https://www.gov.br/inep/ptbr/acesso-a-informacao/dados-abertos/indicadores-educacionais/taxas-de-distorcao-idade-serie. Acesso em: 20 fev. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Indicadores educacionais – Censo Escolar 2018. Brasília: Inep, 2018. Disponível em: https://www.gov.br/inep/ptbr/acesso-a-informacao/dados-abertos/indicadores-educacionais/taxas-de-distorcao-idade-serie. Acesso em: 20 fev. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Indicadores educacionais – Censo Escolar 2019. Brasília: Inep, 2019. Disponível em: https://www.gov.br/inep/ptbr/acesso-a-informacao/dados-abertos/indicadores-educacionais/taxas-de-distorcao-idade-serie. Acesso em: 20 fev. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Indicadores educacionais – Censo Escolar 2020. Brasília: Inep, 2020. Disponível em: https://www.gov.br/inep/ptbr/acesso-a-informacao/dados-abertos/indicadores-educacionais/taxas-de-distorcao-idade-serie. Acesso em: 20 fev. 2020.

BRASSARD, André; CLOUTIER, Martine; DE SAEDELEER, Sylvie; CORRIVEAU, Lise; FORTIN, Régent; GÉLINAS, Arthur; SAVOIE-ZAJC, Lorraine. Rapport à l’activité éducative et identité professionnelle chez les directeurs d’établissement des ordres d’enseignement préscolaire et primaire. Revue des Sciences de l’Éducation, v. 30, n. 3, p. 487-508, 2004. DOI: https://doi.org/10.7202/012079ar

BRESSOUX, Pascal. Les recherches sur les effets-écoles et les effets-maîtres. Revue Française de Pédagogie, v. 108, p. 91-137, juil. 1994. DOI: https://doi.org/10.3406/rfp.1994.1260

CARNEIRO, Maria José. Ruralidade: novas identidades em construção. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 53-75, out. 1998.

CARNEIRO, Maria José; CASTRO, Elisa Guaraná de. Juventude rural em perspectiva. Rio de Janeiro: Editora Mauad, 2007.

CASASSUS, Juan. A escola e a desigualdade. Tradução: Lia Zatz. Brasília: Plano Editora, 2002.

CATTONAR, Branka. Evolução do modo de regulação escolar e reestruturação da função de diretor de escola. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 44, p. 185-208, dez. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-46982006000200010

DAYRELL, Juarez. O jovem como sujeito social. In: FÁVERO, Osmar; SPOSITO, Marília Pontes; CARRANO, Paulo; NOVAES, Regina Reyes (org.). Juventude e contemporaneidade. Brasília: Unesco, MEC, ANPEd, 2007a. p. 155-176.

DAYRELL, Juarez. A escola “faz” as juventudes? Reflexões em torno da socialização juvenil. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 28, n. 100, p. 1105-1128, out. 2007b. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302007000300022

DONNAT, Olivier. Les Français face à la culture: de l’exclusion à l’éclectisme. Paris: La Découverte, 1994.

FRANZÓI, Naiara Lisboa; FISHER, Maria Claro Bueno. O estudante trabalhador na escola pública: um direito negado? Education policy analysis archives, Arizona, v. 27, n. 136, p. 1-28, out. 2019. DOI: https://doi.org/10.14507/epaa.27.4068

GLASMAN, Dominique; OEUVRARD, Françoise (dir.). La déscolarisation. Paris: La Dispute/ SNÉDIT, 2004.

GROPPO, Luís Antônio. Juventudes: sociologia, cultura e movimentos. Alfenas: Editora Universitária, 2016.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo brasileiro de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

KOSLINSKI, Mariana Campelo; ALVES, Fátima. Novos olhares para as desigualdades de oportunidades educacionais: a segregação residencial e relação favela asfalto no contexto carioca. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 33, n. 120, p. 805-831, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302012000300009

LAHIRE, Bernard. Sucesso escolar em meios populares: as condições do improvável. São Paulo: Ática, 1997.

MARTINS, Fernando José. Gestão democrática e educação do campo. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Porto Alegre, v. 28, n. 1, p. 112-128, jan./abr. 2012.

MATOS, Daniel Abud Seabra; FERRÃO, Maria Eugénia. Repetência e indisciplina: evidências de Brasil e Portugal no Pisa 2012. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 46, n. 161, p. 614-636, jul./set. 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/198053143669

MILLET, Mathias; THIN, Daniel. Ruptures scolaires: l’école à l’épreuve de la question sociale. Paris: Presses Universitaires de France, 2005.

OLIVEIRA, Andréa Silva. Gestão escolar e indicadores de qualidade: o que podemos aprender com a escola Caic Madezatti, em São Leopoldo? 103f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, 2015.

PAIXÃO, Lea da Cruz; MELLO, Marisol. Rupturas escolares e dispositivos: o fracasso escolar como problema social na França dos anos 1990. Revista de Educação/Movimento, Niterói, RJ, v. 14, p. 176, 2006.

PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática: participação da comunidade na escola. Nosso Fazer, Curitiba, v. 1, n. 9, ago. 1995.

PASQUIER, Dominique. Cultures Lycéennes. Paris: Éditions Autrement, 2005. DOI: https://doi.org/10.3917/autre.pasqu.2005.01

RANGEL, Jaqueline Vieira. Efeito escola e efeito professor: um estudo dos fatores ligados à eficácia escolar. 139f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, 2013.

SILVA, Luciano Campos. Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica. 2007. 285 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

SILVA, Luciano Campos; MATOS, Daniel Abud Seabra. As percepções dos estudantes mineiros sobre a incidência de comportamentos de indisciplina em sala de aula: um estudo a partir dos dados do Simave/Proeb 2007. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 19, n. 58, p. 713-730, jul./set. 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782014000800010

SILVA, Luciano Campos; MATOS, Daniel Abud Seabra. Indisciplina no Pisa: entre o intra e o extraescolar. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 28, n. 68, p. 382-416, maio/ago. 2017. DOI: https://doi.org/10.18222/eae.v28i68.4590

SOARES, José Francisco (coord.). Escola Eficaz: um estudo em três escolas da rede pública de ensino do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte. GAME/FaE/UFMG, 2002.

SOARES, José Francisco; ANDRADE, Renato Júdice de. Nível socioeconômico, qualidade e equidade das escolas de Belo Horizonte. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 50, p. 107-126, jan./mar. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-40362006000100008

SOARES, Tufi Machado; FERNANDES, Neimar da Silva; NÓBREGA, Mariana Calife; NICOLELLA, Alexandre C. Fatores associados ao abandono escolar no ensino médio público de Minas Gerais. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 3, p. 757-772, jul./set. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-9702201507138589

SPOSITO, Marilia Pontes; SOUZA, Raquel; SILVA, Fernanda Arantes e. A pesquisa sobre jovens no Brasil: traçando novos desafios a partir de dados quantitativos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 44, e170308, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/s1678-4634201712170308

THIN, Daniel. Para uma análise das relações entre famílias populares e escola: confrontação entre lógicas socializadoras. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 32, maio/ago. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782006000200002

VAN-ZANTEN, Agnès. Competitive arenas and schools’ logics of action: a European comparison. Compare: A Journal of Comparative and International Education, v. 39, n. 1, p. 85-98, 2009. DOI: https://doi.org/10.1080/03057920802447867

WILSON, William Julius. The truly disadvantaged: the inner city, the underclass, and public policy. Chicago: University of Chicago Press, 1987.

WINDLE, Joel Austin; NOGUEIRA, Marlice de Oliveira e. Eu não dei conta de continuar: itinerários escolares de jovens de camadas populares da Região dos Inconfidentes. In: COUTRIM, Rosa; NOGUEIRA, Marlice; TORRES, Marco Antônio (org.). Entre diferentes mundos: sociabilidade e educação. Belo Horizonte: Editora Fino Traço, 2020. p. 83-102.

Downloads

Publicado

01-06-2022

Como Citar

NOGUEIRA, M. de O. e .; SILVA, L. C. . Escolarização em áreas rurais: a distorção idade-série na ótica dos gestores. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 33, p. e07289, 2022. DOI: 10.18222/eae.v33.7289. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/eae/article/view/7289. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos