Avaliação do Pibid por licenciados egressos: um estudo de caso

Graciete Tozetto Goes, Mary Ângela Teixeira Brandalise

Resumo


Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa qualitativa que objetivou avaliar o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), desenvolvido em uma universidade pública estadual paranaense, com egressos de licenciaturas que participaram do programa por um período igual ou superior a um ano letivo, no período de 2010 a 2015. O referencial teórico fundamenta-se na avaliação de programas educacionais. A participação no Pibid, segundo os egressos, contribuiu significativamente para a aprendizagem da docência, a formação inicial e a atuação docente. A pesquisa indica que a avaliação de programas educacionais centrada nos participantes egressos é necessária para a análise das contribuições e das fragilidades, bem como para o aprimoramento do programa, embora seja desafiadora.

Palavras-chave: Avaliação de Programas, Estudantes Egressos, Pibid, Educação Superior.

 

Evaluación del Pibid por licenciados egresados: un estudio de caso

Este artículo presenta los resultados de una investigación cualitativa cuyo objetivo fue el de evaluar el Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência [Programa Institucional de Beca de Iniciación a la Docencia] (Pibid), desarrollado en una universidad pública provincial de Paraná, con egresados de licenciaturas que participaron en el programa por un periodo igual o superior a un año lectivo, del 2010 al 2015. El referente teórico se fundamenta en la  evaluación  de  programas  educativos. a participación en el Pibid, según los egresados, contribuyó significativamente para el aprendizaje de la docencia, la formación inicial y la actuación docente. La investigación indica que la evaluación de programas educativos centrada en los participantes egresados es necesaria para el análisis de las contribuciones y las fragilidades, así como para el perfeccionamiento del programa, aunque represente un desafío.

Palabras clave: Evaluación de Programas, Estudiantes Egresados, Pibid, Educación Superior.

 

Evaluation of Pibid by recently graduated students in teaching: a case study

This paper presents the results of qualitative research that aimed to evaluate the Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência [Teaching Initiation Scholarship Institutional Program] (Pibid), developed at a public university in the state of Paraná, Brazil, from 2010 to 2015. The study was conducted with recently graduated students who participated in the program for a period equal to or greater than one academic year. The theoretical framework is based on the evaluation of educational programs. Participation in Pibid, according to the recently graduated students, contributed significantly to learning how to teach, initial education and teaching performance. The study points out that the evaluation of educational programs focused on recently graduated students is necessary, although challenging, for the analysis of strengths and weaknesses as well as for the improvement of the program.

Keywords: Program Evaluation, Recently Graduated Students, Pibid, Higher Education.

 

 


Palavras-chave


Avaliação de Programas, Estudantes Egressos, Pibid, Educação Superior

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, Marli Eliza Damalzo Afonso de. Políticas e programas de apoio aos professores iniciantes no Brasil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 145, p. 112-129, jan./abr. 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742012000100008.

BARBETTA, Pedro Alberto. Estatística aplicada às ciências sociais. 5. ed. Florianópolis: UFSC, 2003.

BRANDALISE, Mary Ângela Teixeira. Autoavaliação de escolas: alinhavando sentidos, produzindo significados. Ponta Grossa: UEPG, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Portaria n. 96, de 18 de julho de 2013. Estabelece as normas gerais do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – Pibid. Brasília, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução n. 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. CNE/CP, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov. br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em: 15 out. 2015.

CANÁRIO, Rui. O papel da prática profissional na formação inicial e contínua de professores. In: MARFAN, M. A. (org.). Simpósios do Congresso Brasileiro de Qualidade na Educação: formação de professores, 2001. Brasília: MEC, SEF, 2002. p. 152-160.

CANO, Ignácio. Introdução à avaliação de programas sociais. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006. CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

COUSINS, J. Bradley; EARL, Lorna M. The case for participatory evaluation. Educational Evaluation and Policy Analysis Winter, Washington, v. 14, n. 4, p. 397-418, 1992. DOI: https://doi. org/10.3102/01623737014004397.

FERNANDES, Domingos. Avaliação de programas e de projectos pedagógicos. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO, 8., 2009, Recife. Anais [...]. Recife: Sapiens – Centro de Formação e Pesquisa, 2009. p. 41-46. Disponível em: http://hdl.handle.net/10451/5885. Acesso em: 7 nov. 2015.

FERNANDES, Domingos. Acerca da articulação de perspectivas e da construção teórica em avaliação educacional. In: ESTEBAN, Maria Teresa; AFONSO, Almerindo Janela (org.). Olhares e interfaces: reflexões críticas sobre a avaliação. São Paulo: Cortez, 2010. p. 15-44.

FERNANDES, Domingos. Avaliação de programas e projetos educacionais. In: FERNANDES, Domingos (org.). Avaliação em educação: olhares sobre uma prática social incontornável. Pinhais: Melo, 2011. p. 185-206.

FLORES, Maria Assunção. Algumas reflexões em torno da formação inicial de professores. Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, p. 182-188, set./dez. 2010.

GARCIA, Carlos Marcelo. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

GATTI, Bernadete Angelina. Formação de professores: compreender e revolucionar. In: GATTI, Bernadete Angelina et al. (org.) Por uma revolução no campo da formação de professores. São Paulo: Unesp, 2015. p. 229-243.

GATTI, Bernadete Angelina; NUNES, Marina Muniz Rossa (org.). Formação de professores para o ensino fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em pedagogia, língua portuguesa, matemática e ciências biológicas. São Paulo: FCC/DPE, 2009.

GUBA, Egon G. The failure of education evaluation. Educational Technology, New Jersey, v. 9, n. 5, p. 29-28, 1969.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e professional: formar-se para a mudança e a incerteza. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

JANUZZI, Paulo de Martino. Avaliação de programas sociais: conceitos e referenciais de quem a realiza. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 25, n. 58, p. 22-42, maio/ago. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.18222/eae255820142916

JOINT COMMITTEE ON STANDARDS FOR EDUCATIONAL EVALUATION. The Program Evaluation Standars. 2. ed. Thousand Oaks, CA: Sage, 1994.

LORTIE, Dan C. Schoolteacher: A sociological study. London: University of Chicago Press, 1975. MACDONALD, J. Barry. An evaluation of the evaluation, Urban Review, Beverly Hills, v. 7, p. 3-14, 1974.

MARCELO, Carlos. Desenvolvimento profissional docente: passado e futuro. Sísifo Revista de Ciências da Educação, Lisboa, n. 8, p. 7-22, jan./abr. 2009. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/ servlet/revista?codigo=8269. Acesso em: 8 dez. 2015.

NEVES, Carmem Moreira de Castro. A Capes e a formação de professores para a educação básica. Revista Brasileira de Pós-Graduação – Educação Básica: Ensino de Ciências e Matemática e a Iniciação à Docência, Brasília, v. 8, p. 353-373, mar. 2012.

NÓVOA, António. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, António. (org.) Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995. p. 13-33.

NÓVOA, António. Nada substitui o bom professor: palestra. In: SINPRO. Desafios do trabalho do professor no mundo contemporâneo. São Paulo: Sinpro/SP, 2007. p. 5-21. Disponível em: http://www. sinprosp.org.br/arquivos/novoa/livreto_novoa.pdf. Acesso em: 24 abr. 2015.

NÓVOA, António. Para una formación de profesores construida dentro de la profesión. Revista Educación, Madrid, n. 350, p. 203-218, set./dez. 2009.

PARLETT, Malcolm; HAMILTON, David. Evaluation as illumination: a new approach to the study of innovatory programs. In: GLASS, Gene V. (org.). Evaluation studies review annual. Beverly Hills, CA: Sage, 1976. v. 1.

RIPPEY, Robert. M. Studies in transactional evaluation. Berkeley, CA: McCutchan, 1973.

SCRIVEN, Michael. The methodology of evaluation: perspectives of curriculum evaluation. Chicago: Rand McNally, 1967.

SHULMAN, Lee S. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Cadernos CENPEC, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 196-229, dez. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.18676/cadernoscenpec.v4i2.293.

SILVEIRA, Helder Eterno da. Mas, afinal: o que é iniciação à docência? Atos de Pesquisa em Educação, Blumenau, v. 10, n. 2, p. 354-368, maio/ago. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.7867/1809- 0354.2015v10n2p354-368.

STAKE, Robert E. The countenance of educational evaluation. Teachers College Record, New York, v. 68, n. 7, p. 523-540, 1967.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Profissão professor até quando? Pleiade, Foz do Iguaçu, v. 1, n. 1, p. 29-40, jul./dez. 2007.

VIANNA, Heraldo Marelin. Avaliação educacional: vivência e reflexão. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 25, n. 60, p. 234-276, n. especial, dez. 2014. DOI: http://dx.doi. org/10.18222/eae246020143337.

WORTHEN, Blaine R.; SANDERS, James R.; FITZPATRICK, Jody L. Avaliação de programas: concepções e práticas. São Paulo: Gente, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.18222/eae.v30i73.5813

Apontamentos

  • Não há apontamentos.