Apontamentos para uma avaliação de currículos no Brasil: a BNCC em questão

Cláudia Valentina Assumpção Galian, Roberto Rafael Dias da Silva

Resumo


A recente publicação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), no contexto brasileiro, adquiriu intensa visibilidade pública e, por variadas abordagens, tornou-se alvo privilegiado dos estudos acadêmicos acerca da implementação das políticas curriculares em nosso país. Este artigo busca identificar alguns elementos que podem vir a guiar um processo de avaliação dessa política curricular segundo, por um lado, a aposta presente na BNCC e, por outro, o panorama de críticas delineado na produção acadêmica. Para isso, a análise partirá do reconhecimento e discussão dos conceitos de qualidade da educação e competência mobilizados no documento e em materiais utilizados para a sua divulgação, e da leitura de artigos produzidos sobre o tema. Dessas ponderações são destacadas questões para a avaliação do processo de transformação dessas promessas em currículo real.

Palavras-chave: Avaliação de Currículo, BNCC, Política Curricular, Conteúdos Curriculares. 


Apuntes para una evaluación de currículos en Brasil: la BNCC en cuestión

La reciente publicación de la Base Nacional Comum Curricular (BNCC) en el contexto de Brasil, adquirió una intensa visibilidad pública y, por medio de varios enfoques, se convirtió en objeto privilegiado de los estudios académicos acerca de la implementación de las políticas curriculares en nuestro país. Este artículo intenta identificar algunos elementos que pueden guiar un proceso de evaluación de tal política curricular de acuerdo, por un lado, a la apuesta presente en la BNCC y, por otro, el panorama de críticas delineado en la producción académica. Para ello, el análisis partirá del reconocimiento y discusión  de los conceptos de calidad de la educación y competencia movilizados en el documento y en materiales utilizados para su divulgación, y de la lectura de artículos producidos sobre el tema. De dichas ponderaciones se destacan puntos para la evaluación del proceso de transformación de tales promesas en currículo real. 

Palabras clave: Evaluación de Currículo, BNCC, Política Curricular, Contenidos Curriculares.

 

Notes on curricular assessment in Brazil: the BNCC at issue

The recent publication of the National Common Curricular Base (Base Nacional Comum Curricular) (BNCC), in the Brazilian context, has gained intense public visibility and, through various approaches, has become a prime target of academic studies on the implementation of curricular policies in our country. The present article seeks to identify some elements that may guide an evaluation process of this curricular policy according to, on the one hand, the belief in the BNCC and, on the other hand, the panorama of criticism outlined in the academic output. In order to do this, an analysis based on the recognition and discussion of the concepts of quality of education and competence outlined in the document and in materials used for its dissemination as well as on articles on the subject will be conducted. From these considerations, issues for the evaluation of the process of transforming these promises into real curricula are highlighted.

Keywords: Curricular Assessment, BNCC, Curricular Policy, Curricular Content. 

 

 


 

 


Palavras-chave


Avaliação de Currículo, BNCC, Política Curricular, Conteúdos Curriculares

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Nilda. Sobre a possibilidade e a necessidade curricular de uma Base Nacional Comum.Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 3, p. 1464-1479, out./dez. 2014.

BARRETTO, Elba S. S. Políticas de currículo e políticas docentes para a educação básica. In: SANTOS, L. C. L.; FAVACHO, A. (org.) Políticas e práticas curriculares: desafios contemporâneos. Curitiba: CVR, 2012. p. 135-149.

BARRETTO, Elba S. S. Políticas de currículo e avaliação e políticas docentes. In: BAUER, A.; GATTI, B. A. Vinte e cinco anos de avaliação de sistemas educacionais no Brasil. Implicações nas redes de ensino, no currículo e na formação de professores. Florianópolis: Insular, 2013. p. 101-117.

BRASIL. Lei no 9.394, 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional Comum Curricular. Brasília: SEB, 2017.

CRAHAY, Marcel. Dangers, incertitudes et incomplétudes de la logique de la compétence en éducacion. Révue Française de Pédagogie, Lyon, n. 154, p. 97-110, jan./mar, 2006.

CUNHA, Érika Virgílio. Cultura, contexto e a impossibilidade de uma unidade essencial para o currículo. Currículo sem Fronteiras, Rio de Janeiro, v. 15, n. 3, p. 575-587, set./dez. 2015.

DOURADO, Luiz F.; OLIVEIRA, João F. Qualidade da educação: perspectivas e desafios. Cadernos Cedes, Campinas, v. 29, n. 78, p. 201-215, maio/ago. 2009.

FIGARI, Gérard. Para uma referencialização das práticas de avaliação dos estabelecimentos de ensino. In: ESTRELA, Albano; NÓVOA, António (org.). Avaliações em educação: novas perspectivas. Porto: Porto Editora, 1993, p. 139-154.

FIGARI, Gérad. Avaliar: que referencial? Porto: Porto Editora, 1996.

FERRETI, Celso João; SILVA, Monica Ribeiro da. Reforma do Ensino Médio no contexto da Medida Provisória n. 746/2016: Estado, currículo e disputas por hegemonia.Educação e Sociedade, Campinas, v. 38, n. 139, p. 385-404, abr./jun. 2017.

FRANGELLA, Rita; DIAS, Rosanne. Os sentidos de docência na BNCC: efeitos para o currículo da educação básica e da formação/atuação de professores. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 22, n. 1, p. 7-15, jan./mar. 2018.

FREITAS, Dirce Nei. A avaliação da educação básica no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007.

HADJI, Charles. A avaliação, regras do jogo: das intenções aos instrumentos. Porto: Porto Editora, 1994.

KRAMER, Sônia. Propostas pedagógicas ou curriculares: subsídios para uma leitura crítica. Educação e Sociedade, Campinas, v. 18, n. 60, p. 15-35, dez. 1997.

LEWY, Arieh. A natureza da avaliação de currículo. In: LEWY, A. (org.). Avaliação de Currículo. São Paulo: E.P.U/Edusp, 1979. p. 3-36.

MACEDO, Elizabeth. Base Nacional Curricular Comum: Novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para educação. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 03, p. 1530-1555, out./dez. 2014.

MACEDO, Elizabeth. As demandas conservadoras do movimento Escola sem Partido e a Base Nacional Curricular Comum.Educação e Sociedade, Campinas, v. 38, n. 139, p. 507-524, abr./jun. 2017.

MACIEL, Cilene Maria Antunes; NASCIMENTO, Gilvania Conceição; FERNANDES, Cleonice Terezinha; KFOURI, Samira Faiez. Visão de professores de escolas de Cuiabá/MT e Campo Verde/MT sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 26, n. 62, p. 657-673, maio/ago. 2017.

MOREIRA, Antonio Flávio. Os princípios norteadores de políticas e decisões curriculares. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Porto Alegre, v. 28, n. 1, p. 180-194, jan./abr. 2012.

OLIVEIRA, Dalila A. A política educacional brasileira: entre a eficiência e a inclusão democrática. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 28, n. especial, p. 225-243, dez. 2014.

PACHECO, José Augusto. Educação, formação e conhecimento. Porto: Porto Editora, 2014.

SACRISTÁN, Jose Gimeno. Currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SACRISTÁN, José Gimeno et al. (org.). Educar por competências. O que há de novo? Porto Alegre: Artmed, 2011.

SACRISTÁN, José Gimeno. La substantividad educativa de los contenidos: algunas obviedades que, al parecer, no lo son. In:

SACRISTÁN, José Gimeno (org.). Los contenidos: uma reflexión necesaria. Madrid: Morata, 2017. p. 17-26.

SAMPAIO, Maria das Mercês F. Propostas curriculares e o processo ensino-aprendizagem. In: SILVA, Fabiany C. T. ; PEREIRA, Marcus V. M. (org.). Observatório de cultura escolar: estudos e pesquisas sobre escola, currículo e cultura escolar. Campo Grande: Ed. UFMS, 2013. p. 69-97.

SANTOS, Lucíola, L. C. P. A avaliação em debate. In: BAUER, A., GATTI, B. A. Vinte e cinco anos de avaliação de sistemas educacionais no Brasil. Implicações nas redes de ensino, no currículo e na formação de professores. Florianópolis: Insular, 2013. p. 229-245.

VIEIRA, Jarbas; FEIJÓ, José. A Base Nacional Comum Curricular e o conhecimento como commodity. Educação Unisinos, São Leopoldo, RS, v. 22, n. 1, p. 35-43, jan./mar. 2018.

YOUNG, Michael. Conhecimento e currículo: do socioconstrutivismo ao realismo social na sociologia da educação. Porto: Porto Editora, 2010.

YOUNG, Michael. Por que o conhecimento é importante para as escolas do século XXI? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 46, n. 159, p. 18-37, jan./mar. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.18222/eae.v30i74.5693

Apontamentos

  • Não há apontamentos.