Avaliação de projetos e desenvolvimento do pensar avaliativo: relato de um percurso

  • Ana Carolina Vargas Consultora em avaliação de projetos e desenvolvimento organizacional, São Paulo-SP, Brasil
  • Tereza Perez Diretora-Presidente da Comunidade Educativa Cedac, São Paulo-SP, Brasil
  • Patricia Diaz Diretora de desenvolvimento educacional da Comunidade Educativa Cedac, São Paulo-SP, Brasil
Palavras-chave: Avaliação de Projetos, Aprendizagem, Ambiente Participativo, Cultura de Avaliação

Resumo

A principal finalidade deste artigo é jogar luz ao potencial pedagógico das avaliações de projetos e programas sociais e educacionais para o desenvolvimento do pensar avaliativo das organizações e de suas equipes. Apresentam-se o relato sobre o percurso avaliativo de uma organização da sociedade civil do campo educacional e a análise das aprendizagens geradas pelo processo avaliativo de um de seus projetos, baseados em percepções reflexivas e autoavaliativas dos profissionais envolvidos obtidas por meio de entrevistas semidirigidas individuais e coletivas. Observou-se que o processo avaliativo, realizado de maneira interativa e dialógica, pôde contribuir para a ampliação da consciência crítica sobre o projeto, favorecendo o desenvolvimento do raciocínio avaliativo dos participantes, orientando-os para o pensar e o saber-fazer avaliativo crítico, autônomo e emancipatório. Conclui-se que a potência pedagógica das avaliações de projetos para a construção de um pensamento avaliativo nas organizações é ampla, mas ainda timidamente explorada.Palavras-chave: Avaliação de Projetos, Aprendizagem, Ambiente Participativo, Cultura de Avaliação. Evaluación de proyectos y desarrollo del pensar evaluativo: relato de un recorridoLa principal finalidad de este artículo es aclarar el potencial pedagógico de las evaluaciones de proyectos y programas sociales y educativos para desarrollar el pensar evaluativo de las organizaciones y sus equipos. Se presentan el relato sobre el recorrido evaluativo de una organización de la sociedad civil del campo educacional y el análisis de los aprendizajes generados por el proceso evaluativo de uno de sus proyectos, basados en percepciones reflexivas y autoevaluativas de los profesionales involucrados, que se obtuvieron por medio de entrevistas semidirigidas individuales y colectivas. Se observó que el proceso evaluativo, realizado de manera interactiva y dialógica, pudo contribuir para ampliar la consciencia crítica sobre el proyecto, favoreciendo el desarrollo del razonamiento evaluativo de los participantes, orientándolos al pensar y al saber hacer evaluativo crítico, autónomo y emancipatorio. Se concluye que la potencia pedagógica de las evaluaciones de proyectos para construir un pensamiento evaluativo en las organizaciones es amplia, pero todavía tímidamente explorada.Palabras clave: Evaluación de Proyectos, Aprendizaje, Ambiente Participativo, Cultura de Evaluación.  Project evaluation and evaluative thinking: reporting an experienceThe main purpose of this article is to throw light on the pedagogical potential of educational programs’ evaluations with the intention of building capacity of evaluative thinking in social organizations and their teams. It presents the path of a civil society organization in the educational field and the analysis of the learnings generated by the process of evaluating one of its projects. It was based on the reflective and self-evaluative perceptions of the professionals involved and obtained using data collection from semi-structured individual and collective interviews. The evaluation process, which was conducted in an interactive and dialogical way, contributed to the expansion of the critical consciousness about the project, favoring the development of the evaluative reasoning of the participants, guiding them to thinking evaluation critically, autonomously and actively. In conclusion, the pedagogical potential of project evaluations, for the construction of an evaluative thinking in organizations, is broad but still little explored.Keywords: Project Evaluation, Learning, Participatory Environment, Evaluation Culture.

Biografia do Autor

Ana Carolina Vargas, Consultora em avaliação de projetos e desenvolvimento organizacional, São Paulo-SP, Brasil
Pesquisadora e consultora para o campo social com ênfase em desenvolvimento organizacional e em avaliação de iniciativas sociais, é especialista em processos grupais e institucionais segundo orientação psicossocial e psicanalítica. Já trabalhou em consultorias para organizações nacionais e internacionais da área social como Comissão Pró-Índio do Acre, CEDAC, GIFE, Oak Foundation, Instituto C&A, Fundação Telefônica, Instituto Fonte,  Enda Tiers Monde - Senegal, entre outras. É mestre em Psicologia Social e Psicanálise, graduada em Psicologia e em Ciências Sociais, os três pela Universidade de São Paulo.
Tereza Perez, Diretora-Presidente da Comunidade Educativa Cedac, São Paulo-SP, Brasil
A diretora-presidente da Comunidade Educativa CEDAC está na Educação desde 1975. Começou sua carreira como professora e orientadora pedagógica de escolas particulares e nos anos 90 envolveu-se com a educação pública e nunca mais a deixou. Tereza conhece profundamente a educação brasileira porque viaja por inúmeras cidades brasileiras onde a Comunidade Educativa CEDAC desenvolve os projetos. Em 2017, foram 77 municípios em 18 Estados. Tereza permanece até hoje fazendo formação e trabalho de campo nas escolas. Também participa ativamente dos debates relacionados à elaboração e à execução de políticas públicas.
Patricia Diaz, Diretora de desenvolvimento educacional da Comunidade Educativa Cedac, São Paulo-SP, Brasil
Diretora de Desenvolvimento Educacional da CE CEDAC, Patrícia Diaz formou-se em Pedagogia na Faculdade de Educação da USP e é mestranda em Didática, Teorias de Ensino e Práticas Escolares na mesma instituição. Foi professora e coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental e iniciou sua atuação na Comunidade Educativa CEDAC em 1997 como formadora de professores. Antes de compor a diretoria da CE CEDAC, passou também pela coordenação pedagógica. Supervisiona todos os projetos que possuem como foco o desenvolvimento de práticas pedagógicas na formação de professores e coordenadores pedagógicos das diversas áreas e segmentos, além de continuar atuando como formadora.

Referências

BRANDÃO, Carlos R. Pesquisa participante. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1983. 1981.

BRANDÃO, Carlos R. Avaliação, participação. Anotações sobre um ritual de fim de período. Cadernos Cedes, Campinas, v. 12, n. 1, p. 57-64, 1984.

CHIANCA, Thomaz. Avaliações válidas, relevantes e úteis. In: FUNDAÇÃO ITAÚ SOCIAL; FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO; FUNDAÇÃO MARIA CECÍLIA SOUTO VIDIGAL; MOVE (org.). Avaliação para o investimento social privado: metodologias. São Paulo: Fundação Santillana, 2013.

COMUNIDADE EDUCATIVA CEDAC; FTD EDUCAÇÃO. Projeto Pequenos Leitores: um projeto de formação de educadores para a garantia do direito à literatura desde a primeira infância. São Paulo: FTD, 2018.

DAVIDSON, Jane. Tornar as avaliações estrategicamente práticas e relevantes. In: FUNDAÇÃO ITAÚ SOCIAL; FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO; MOVE (org.). A relevância da avaliação para o investimento social privado. São Paulo: Fundação Santillana, 2012.

DEMO, Pedro. Ciência, ideologia e poder – Uma sátira às ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1988.

FALS BORDA, Orlando. Conocimiento y poder popular: lecciones con campesinos de Nicaragua, México y Coimbra: estudio preparado para los grupos de base y para la oficina internacional del trabajo. México: Siglo Veintiuno, 1985.

FETTERMAN, David. Transformative empowerment evaluation and freirean pedagogy: alignment with an emancipatory tradition. New Directions for Evaluation, n. 155, p. 111-126, Fall 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2013.

GADOTTI, Moacir. The global impact of Freire’s pedagogy. New Directions for Evaluation, n. 155, p. 17-30, Fall 2017.

GUBA, Ergon; LINCOLN, Yvonna. Avaliação de quarta geração. Campinas: Editora Unicamp, 2011.

MARINO, Eduardo; LOCATELLI, Cristiane. Avaliação externa e avaliação interna: distinções, aplicações, competências do avaliador, passos e cuidados para a execução. In: OTERO, Martina Rillo (org.). Contexto e prática da avaliação de iniciativas sociais no Brasil: temas atuais. São Paulo: Peirópolis, 2012.

PATTON, Michael. Essentials of utilization – Focused evaluation. Thousand Oaks: Sage Publications, 2012.

PATTON, Michael. Pedagogical principles of evaluation: interpreting Freire. New Directions for Evaluation, n. 155, p. 49-78, Fall 2017.

PIAGET, Jean. A equilibração das estruturas cognitivas: problema central do desenvolvimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

SILVA, Rogério. Para fazer avaliações relevantes. In: FUNDAÇÃO ITAÚ SOCIAL; FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO; MOVE (org.). A relevância da avaliação para o investimento social privado. São Paulo: Fundação Santillana, 2012.

SILVA, Rogério; BRANDÃO, Daniel. A escolha de métodos para fazer avaliação. In: FUNDAÇÃO ITAÚ SOCIAL; FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO; FUNDAÇÃO MARIA CECÍLIA SOUTO VIDIGAL; MOVE (org.). Avaliação para o investimento social privado: metodologias. São Paulo: Fundação Santillana, 2013.

SILVA, Rogério; VARGAS, Ana Carolina. Avaliação e investimento social privado: acúmulos, limites e disrupção. In: SAEZ, Erika; SANTIAGO, Graziela; ZACCHI, José (org.). Censo Gife. São Paulo: Gife, 2017.

THIOLLENT, Michel. Crítica metodológica, investigação social e enquete operária. 3. ed. São Paulo: Polis, 1982.

VARGAS, Ana Carolina; SILVA, Rogério. Avaliação para o investimento social privado: comunicar e utilizar a avaliação de maneira efetiva. São Paulo: Grupo de Institutos e Fundações Empresariais (Gife); Fundação Roberto Marinho; Itaú Social, 2017a. Disponível em: https://sinapse.gife.org.br/download/avaliacao-para-o-investimento-social-privado-comunicar-e-utilizar-avaliacao-de- maneira-efetiva. Acesso em: 14 jan. 2019.

VARGAS, Ana Carolina; SILVA, Rogério. Avaliação para o investimento social privado: criar condições antes de avaliar. São Paulo: Grupo de Institutos e Fundações Empresariais (Gife); Fundação Roberto Marinho; Itaú Social, 2017b. Disponível em: https://sinapse.gife.org.br/download/ avaliacao-para-o-investimento-social-privado-criar-condicoes-antes-de-avaliar. Acesso em: 14 jan. 2019.

VARGAS, Ana Carolina; SILVA, Rogério. Avaliação para o investimento social privado: definir o caminho metodológico mais adequado. São Paulo: Grupo de Institutos e Fundações Empresariais (Gife): Fundação Roberto Marinho; Itaú Social, 2017c. Disponível em: https://sinapse.gife.org.br/ download/avaliacao-para-o-investimento-social-privado-definir-o-caminho-metodologico-mais- adequado. Acesso em: 14 jan. 2019.

Publicado
31-05-2019
Seção
Artigos