Políticas de cotas na UEPG: análise do abandono e do rendimento acadêmico

Autores

  • Augusta Pelinski Raiher Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa-PR, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18222/eae.v33.8475

Palavras-chave:

Ação Afirmativa , Abandono, Rendimento Acadêmico , Educação Superior

Resumo

Este artigo teve como objetivo avaliar o abandono e a eficiência (em termos de nota média) dos alunos cotistas versus os não cotistas da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), subdividindo a análise entre licenciatura e bacharelado. Para isso, os alunos foram acompanhados durante pelo menos oito anos e, na sequência, aplicou-se o método Propensity Score Matching. Como corolário, não se encontrou diferença significativa entre o rendimento médio dos graduados cotistas versus os de entrada universal. No caso do abandono, constatou-se menor desistência dos alunos cotistas, especialmente quando se analisou os cursos de bacharelado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, C. Y. Acesso ao ensino superior no Brasil: equidade e desigualdade social. Revista Ensino Superior Unicamp, Campinas, SP, v. 1, n. 6, p. 1-20, 2012.

ARRIGONI, F. J. Gestão pública: busca da igualdade social a partir da ação afirmativa cota no ensino superior brasileiro. 2018. 307 f. Tese (Doutorado em Administração) – Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2018.

BEZERRA, T. O. C.; GURGEL, C. A política pública de cotas na UERJ: desempenho e inclusão. In: ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E GOVERNO, 5., 2012, Salvador. Anais [...]. Salvador: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 2012. p. 1-15.

BITTAR, M.; ALMEIDA, C. E. M. de. Mitos e controvérsias sobre a política de cotas para negros na educação superior. Educar em Revista, Curitiba, v. 28, n. 1, p. 141-159, dez. 2006.

BLOM, A. L. H.; VERNER, D. Education, earnings, and inequality in Brazil, 1982-98. Peabody Journal of Education, v. 76, n. 3, p. 180-221, 2001.

CARVALHAES, C.; RIBEIRO, C. Estratificação horizontal da educação superior no Brasil. Tempo Social, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 195-233, 2019.

COUTINHO, C. V. S.; PISTORE, A.; CRUZ, M. R.; CAMARGO, M. E. Perfil socioeconômico do aluno de graduação em Licenciatura e Tecnologia no ensino a distância: estudo de caso em um polo de apoio presencial da Serra Gaúcha. Scientia Plena, Aracaju, v. 9, n. 2, p. 1-13, fev. 2013.

DINIZ-PEREIRA, J. E. O ovo ou a galinha: a crise da profissão docente e a aparente falta de perspectiva para a educação brasileira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, DF, v. 92, n. 230, p. 34-51, jan./abr. 2011.

D’SOUZA, D. Illiberal Education. New York: Free Press, 1991.

FERNANDES, R.; FILHO, N. A. M. A evolução da desigualdade no Brasil metropolitano entre 1983 e 1997. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 30, n. 4, p. 549-569, out./dez. 2000.

GUARNIERI, F. V. Cotas universitárias: perspectivas de estudantes em situação de vestibular. 2008. 146 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.

HEINRICH, C.; MAFFIOLI, A.; VÁZQUEZ, G. A primer for applying Propensity-Score Matching: impact-evaluation guidelines. S.l.: Inter-american Development Bank, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. 2018. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/9171- pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-mensal.html?=&t=microdados. Acesso em: dez. 2018.

LIMA E SILVA, A.; MOTA, R.; LIMA, J.; QUEIROZ, F. A influência da escolaridade dos pais e da renda familiar no desempenho dos candidatos do Enem. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 37, 2017, Joinville. Anais [...]. Joinville: Associação Brasileira de Engenharia de Produção, 2017. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/TN_ STO_243_410_32201.pdf. Acesso em: 14 dez. 2021.

LUCAS, R. E. On the mechanics of economic development. Jounal of Monetary Economics, v. 22, n. 1, p. 3-42, 1988.

MAZZETTO, S. E.; CARNEIRO, C. C. B. e S. Licenciatura em Química da UFC: perfil socioeconômico, evasão e desempenho dos alunos. Química Nova, São Paulo, v. 25, n. 6, p. 1204- 1210, 2002.

MIRANDA, E. A. A política de cotas no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais: análise do acesso e da permanência. 2017. 224f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, 2017. Disponível em: https://locus.ufv.br//handle/123456789/24337. Acesso em: 20 abr. 2019.

NASCIMENTO, J. D.; PEREIRA, R. S. O perfil dos estudantes cotistas da UFBA: um estudo descritivo. In: ENCONTRO DE PESQUISA EDUCACIONAL DO NORTE E NORDESTE, 22, 2014, Natal. Anais [...]. Natal: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, 2014.

PINHEIRO, D.; PEREIRA, R.; XAVIER, W. Impactos das cotas no ensino superior: um balanço do desempenho dos cotistas nas universidades estaduais. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 26, e260020, 2021. DOI: 10.1590/S1413-24782021260020

QUEIROZ, D. M. Universidade e desigualdade: brancos e negros no ensino superior. Brasília: Liber Livro, 2004.

ROMER, P. M. Increasing Returns and Long-Run Growth. Journal of Political Economy, v. 94, n. 5, p. 1002-1037, 1986.

SANTOS, J. T.; QUEIROZ, D. M. Affirmative action and higher education in Brazil. International Encyclopedia of Education, v. 1, n. 1, p. 760-766, 2010.

SILVA, B. C. Desconstruindo mitos: meritocracia e a lei de cotas. 2017. 151 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2017.

SOWELL, T. Affirmative action around the world: an empirical study. New Haven; London: Yale University Press, 2004.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA. Resolução n. 9 de 26 de abril de 2006. Disponível

em: https://www2.uepg.br/prae/wp-content/uploads/sites/18/2020/11/3_Reserva-de-vagas-nos-Processos-Seletivos-da-UEPG.pdf. Acesso em: jan. 2019.

VALENTE, R. R.; BERRY, B. J. L. Performance of students admitted through affirmative action in Brazil. Latin American Research Review, v. 52, n. 1, p. 18-34, 2017.

VELLOSO, J. Cotistas e não-cotistas: rendimento de alunos da Universidade de Brasília. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 137, p. 621-644, maio/ago. 2009.

VELLOSO, J.; CARDOSO, C. B. Evasão na educação superior: alunos cotistas e não cotistas na Universidade de Brasília. In: REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO, 31., 2008, Caxambu. Anais [...]. Caxambu: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, 2008. p. 1-15.

VIEIRA, M. A.; TENÓRIO, R. M. Impacto da escolaridade dos pais e nível socioeconômico familiar nos resultados de testes cognitivos. 2014. Disponível em: http://www.anpae.org.br/IBERO_AMERICANO_IV/GT3/GT3_Coimunicacao/MarcosAntonioVieira_GT3_integral.pdf. Acesso em: nov. 2019.

WAINER, J.; MELGUIZO, T. Políticas de inclusão no ensino superior: avaliação do desempenho dos alunos baseado no Enade de 2012 a 2014. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 44, e162807, 2018. DOI: 10.1590/S1517-9702201612162807

Downloads

Publicado

03-03-2022

Como Citar

PELINSKI RAIHER, A. Políticas de cotas na UEPG: análise do abandono e do rendimento acadêmico. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 33, p. e08475, 2022. DOI: 10.18222/eae.v33.8475. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/eae/article/view/8475. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos