Avaliação no ensino superior: uma análise da prática

Autores

  • Samoara Viacelli da Luz Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Campus Pato Branco, Pato Branco-PR, Brasil https://orcid.org/0000-0002-9280-6380
  • Herivelto Moreira Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Campus Curitiba, Curitiba-PR, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18222/eae.v33.7326

Palavras-chave:

Ensino Superior, Avaliação da Aprendizagem, Avaliação Formativa

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar como acontece a avaliação de desempenho dos acadêmicos nos cursos de graduação em Engenharia Civil, de Computação, Elétrica, Eletrônica e Mecânica em três campi de uma universidade pública do sul do Brasil. A metodologia de pesquisa utilizada foi o delineamento misto sequencial explanatório. Os principais resultados mostram que os professores diversificam as estratégias de avaliação utilizadas, mas, apesar disso, o processo de avaliação é centrado no professor e não corresponde a conhecimentos pautados em discussões atuais da área da didática do ensino superior e de ensino de engenharia, como a avaliação formativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samoara Viacelli da Luz, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Campus Pato Branco, Pato Branco-PR, Brasil

Mestre em Educação e Doutora em Tecnologia e Sociedade. Professora do Departamento de Ciências Humanas da Universidade Técnológica Federal do Paraná.

Herivelto Moreira, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Campus Curitiba, Curitiba-PR, Brasil

Professor e pesquisador voluntário no Programa de Pós-Graduação em Tecnologia e Sociedade da Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Referências

ABREU, M. C. T. A. D.; MASETTO, M. O professor universitário em aula: prática e princípios teóricos. São Paulo: Cortez, 1980. (Coleção Educação Contemporânea).

ANASTASIOU, L. D. G. C.; ALVES, L. P. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 6. ed. Joinville, SC: Univille, 2006.

BARREIRA, C.; BIDARRA, G.; MONTEIRO, F.; VAZ-REBELO, P.; ALFERES, V. Avaliação das aprendizagens no ensino superior. Percepções de professores e estudantes nas universidades portuguesas. Revista Iberoamericana de Educación Superior, v. VIII, p. 24-36, 2017. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=299149615002. Acesso em: 22 nov. 2018.

BAZZO, W. A.; PEREIRA, L. T. D. V.; LINSINGEN, I. V. Educação tecnológica: enfoques para o ensino de engenharia. Florianópolis: UFSC, 2000.

BELHOT, R. V. A didática no ensino de engenharia. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA – COBENGE, 33., 2005, Campina Grande, PB. Anais [...]. Campina Grande, PB, 2005.

BLACK, P.; WILIAM, D. Assessment and classroom learning. Assessment in Education: Principles, Policy and Practice, London, v. 5, p. 7-74, Mar. 1998.

BORDENAVE, J. D.; PEREIRA, A. M. Estratégias de ensino-aprendizagem. 33. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

BOUD, D. Assessment could demonstrate learning gains, but what is required for it to do so? Higher Education Pedagogies, v. 3, p. 54-56, 2018. DOI: https://doi.org/10.1080/23752696.2017.1413671

BRUNI, A. L. SPSS: guia prático para pesquisadores. São Paulo: Atlas, 2012.

CARVALHO, L. M. O. D.; MARTINEZ, C. L. P. Avaliação formativa: a auto-avaliação do aluno e a autoformação de professores. Ciência & Educação, Bauru, SP, v. 11, p. 133-144, abr. 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ciedu/a/KM5pNgvBFLwHGCHsxdqwn6w/?lang=pt. Acesso em: 10 dez. 2015.

CHARMAZ, K. A construção da teoria fundamentada [recurso eletrônico]: guia prático para análise qualitativa. Tradução: Joice Elias Costa. Porto Alegre: Artmed, 2009. Dados eletrônicos.

CRESWELL, J. W. Educacional research: planning, conducting, and evaluating quantitative and qualitative research. Upper Saddle River, New Jersey: Pearson Education, 2005.

CRESWELL, J. W. et al. Advanced mixed methods research designs. In: TASHAKKORI, A.; TEDDLIE C. Handbook on mixed methods in the behavioral and social sciences. Thousand Oaks: Sage, 2003. p. 209-240.

CRESWELL, J. W.; PLANO CLARK, V. L. Pesquisa de métodos mistos. Tradução: Magda França Lopes. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

DEPRESBITERIS, L. Avaliação na educação profissional: a busca na integração de saberes. Pinhais, PR: Melo, 2011.

DEPRESBITERIS, L.; TAVARES, M. R. Diversificar é preciso: instrumentos e técnicas de avaliação de aprendizagem. São Paulo: Senac, 2009.

FERNANDES, D. Para uma teoria da avaliação no domínio das aprendizagens. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 19, p. 347-372, set./dez. 2008. Disponível em: http://fcc.org.br/pesquisa/ publicacoes/eae/arquivos/1454/1454.pdf. Acesso em: 13 out. 2017.

FERNANDES, D. Ensino e avaliação no ensino superior: reflexões a partir da pesquisa realizada no âmbito do projeto Avena. Cadernos Cedes, Campinas, SP, v. 36, n. 99, p. 223-238, maio/ago. 2016. Disponível em: https://doaj.org/article/7b321f555a8b49e2b43f8f0dd0b8a27d?frbrVersion=2. Acesso em: 12 dez. 2018.

FRAILE, A.; CORNEJO, P. V. La evaluación formativa en la enseñanza universitaria: una experiencia de innovación educativa con estudiantes de educación física. Revista de Evaluación Educativa, v. 2, p. 22-43, 2012. Disponível em: http://revalue.mx/revista/index.php/revalue/issue/ current. Acesso em: 11 dez. 2015.

GARCIA, J. Avaliação e aprendizagem na educação superior. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 20, n. 43, p. 201-2013, maio/ago. 2009. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/eae/ v20n43/v20n43a04.pdf. Acesso em: 29 set. 2015.

GIL, A. C. Didática do ensino superior. São Paulo: Atlas, 2013.

GODOY, A. S. Avaliação da aprendizagem no ensino superior: um estudo exploratório a partir das opiniões dos alunos do primeiro e do último ano de três cursos de graduação. Administração On Line: Prática, Pesquisa, Ensino, v. 1, n. 1, jan./mar. 2000. Disponível em: http://www.fecap.br/ adm_online/art11/arilda.htm. Acesso em: 23 mar. 2015.

GREENE, J. C.; CARACELLI, V. J.; GRAHAM, W. F. Toward a conceptual framework for mixed- -method evaluation designs. Educacional Evaluation and Policy Analysis, v. 3, p. 255-274, 1989.

JOHNSON, A. M.; TURNER, L. A. Data collection strategies in mixed methods research. In: TASHAKKORI, A. M.; TEDDLIE, C. B. Handbook of mixed methods in social and behavioral research. Thousand Oaks: Sage, 2003. p. 297-319.

LAGUARDIA, J.; PORTELA, M. C.; VASCONCELLOS, M. M. Avaliação em ambientes virtuais de aprendizagem. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 33, n. 3, p. 513-530, set./dez. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/SjqMdvjbpY5BzLJMprTjJ7n/?lang=pt. Acesso em: 10 dez. 2015.

LEITE, F. Raciocínio e procedimentos da Grounded Theory Construtivista. Questões Transversais – Revista de Epistemologias da Comunicação, São Leopoldo, RS, v. 3, n. 6, p. 76-85, jul./dez. 2015. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/questoes/article/view/11310. Acesso em: 2 mar. 2017.

LOWMAN, J. Dominando as técnicas de ensino. Tradução: Harue Ohara Avritscher. São Paulo: Atlas, 2004.

LUCKESI, C.; BARRETO, E.; COSMA, J.; BAPTISTA, N. Fazer universidade: uma proposta metodológica. 17. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

MARTON, F.; SÄLJÖ, R. Approaches to learning. In: MARTON, F.; HOUNSELL, D.; ENTWISTLE, N. J. The experience of learning: implications for teaching and studying in higher education. [S.l.]: Scottish Academic Press, 1997. p. 39-59.

MENEZES et al. Manual de avaliação – ESCS: primeira série. Brasília, DF: Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde, 2019. Disponível em: http://docplayer.com.br/147342191-Manual-de-avaliacao-curso-de-graduacao-em-enfermagem.html. Acesso em: 6 out. 2022.

MOREIRA, H.; CALEFFE, L. G. Metodologia de pesquisa para o professor pesquisador. 2. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.

MOREIRA, H.; GRAVONSKI, I.; ARANDA, A. As percepções dos alunos de engenharia sobre as práticas de avaliação da aprendizagem. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, Madrid, v. 5, n. 3, p. 275-290, 2012. Disponível em: http://www.rinace.net/riee/numeros/vol5-num3/art16. html. Acesso em: 28 set. 2015.

MOREIRA, H.; ZAIONS, R.; LUZ, S. V.; KOLBE JUNIOR, A. A avaliação nos cursos de engenharia mecânica e civil na visão de alunos de uma universidade pública no sul do Brasil. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, Madrid, v. 8, p. 219-231, 2015. Disponível em: https://revistas.uam.es/index.php/riee/article/view/2886. Acesso em: 8 dez. 2015.

NUNES, K. D. C. S.; RODRIGUES, G. M. Reflexões sobre avaliação no ambiente virtual de aprendizagem. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DA SBEC, 5., 2012, Belém. Anais [...]. Belém: Sociedade Brasileira de Educação Comparada, 9-11 maio 2012. Disponível em: https://www.sbec. fe.unicamp.br/pf-sbec/eventos/eventos-realizados/5o-encontro-internacional-da-SBEC/trab28.pdf. Acesso em: set. 2022.

PIMENTA, S. G.; ANASTASIOU, L. D. G. C. Docência no ensino superior. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, M. D. P. B. Metodologia de pesquisa. Tradução: Daisy Vaz de Moraes. 5. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

SHUTE, V. J. Focus on formative feedback. Review of Educational Research, v. 78, p. 153-189, Mar. 2008. Disponível em: http://projects.ict.usc.edu/dlxxi/materials/Sept2009/Research%20 Readings/Shute%202008%20Focus%20on%20formative%20feedback.pdf. Acesso em: 11 dez. 2015.

SIEGEL, S. Estatística não-paramétrica para as ciências do comportamento. Tradução: Alfredo Alves de Farias. Revisão Técnica: Eva Nick. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1981.

SILVA, A. C. D.; SILVA, C. M. T. D. Avaliação da aprendizagem em ambientes virtuais: rompendo as barreiras da legislação. In: CONGRESSO INTERNACIONAL ABED DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 14., 2008, Santos, SP. Anais [...]. Santos, SP, 2008. Disponível em: http:// www.abed.org.br/ congresso2008/tc/510200863228PM.pdf. Acesso em: 10 dez. 2015.

TAI, J.; AJJAWI, R.; BOUD, D.; DAWSON, P.; PANADERO, E. Developing evaluative judgement: enabling students to make decisions about the quality of work. Higher Education, v. 76, p. 467-481, Sept. 2018. DOI: https://doi.org/10.1007/s10734-017-0220-3

TASHAKKORI, A.; TEDDLIE, C. Handbook on mixed methods in the behavioral and social sciences. Thousand Oaks: Sage, 2003.

VIEIRA, I. M. A. A autoavaliação como instrumento de regulação da aprendizagem. 2013. 161f. Dissertação (Mestrado em Supervisão Pedagógica) – Universidade Aberta, Lisboa, 2013.

VILLAS BOAS, B. M. D. F. Avaliação no trabalho pedagógico universitário. In: CASTANHO, S.; CASTANHO, M. E. (org.). O que há de novo na educação superior: do projeto pedagógico à prática transformadora. Campinas, SP: Papirus, 2000. p. 133-158. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

WACHOWICZ, L. A. A dialética da avaliação da aprendizagem na pedagogia diferenciada. In: CASTANHO, S.; CASTANHO, M. E. (org.). O que há de novo na educação superior: do projeto pedagógico à prática transformadora. Campinas, SP: Papirus, 2000. p. 95-131. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

YORKE, M. Formative assessment in higher education: moves towards theory and the enhancement of pedagogic practices. Higher Education, v. 45, p. 477-501, June 2003. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/3447452. Acesso em: 30 maio 2018.

ZANON, D. P.; ALTHAUS, M. Instrumentos de avaliação na prática pedagógica universitária. 2008. Disponível em: https://www.fag.edu.br/novo/arquivos/nucleos/nad/arquivos/apoio10.pdf. Acesso em: 30 maio 2018.

Downloads

Publicado

01-11-2022

Como Citar

LUZ, S. V. da; MOREIRA, H. Avaliação no ensino superior: uma análise da prática. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 33, p. e07326, 2022. DOI: 10.18222/eae.v33.7326. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/eae/article/view/7326. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos