Infraestrutura escolar e Educação Física: tensões e conflitos

Rubem Barboza Ferreira Neto

Resumo


Pretende-se, neste artigo, estudar a influência das infraestruturas escolares desportivas no cumprimento do currículo de Educação Física, na qualidade do processo de ensino e nas aprendizagens realizadas pelos alunos. Trata-se de um estudo de metodologia investigativa qualitativa que utilizou a entrevista semiestruturada como instrumento de coleta e produção de dados. A pesquisa empírica contemplou entrevistas com os cinco diretores das escolas públicas municipais dos anos finais do ensino fundamental da cidade de Armação dos Búzios-RJ. Os dados obtidos pela análise de conteúdo foram organizados em três categorias, sendo a categoria “Descaso Público” elucidativa e didática. Infere-se que o ambiente de aprendizagem existente (as quadras polidesportivas em praças públicas) e a infraestrutura escolar disponibilizada para as aulas de Educação Física inviabilizam o cumprimento do currículo em sua integralidade, afetam os conteúdos de ensino e, por conseguinte, os objetivos educacionais não são atingidos.

Palavras-chave: Infraestrutura Escolar, Educação Física, Ensino Fundamental, Políticas Públicas.

 

Infraestructura escolar y Educación Física: tensiones y conflictos

Se preconiza, en este artículo, estudiar la influencia que tienen las infraestructuras deportivas de las escuelas en el cumplimiento de la asignatura de Educación Física, en la calidad del proceso de enseñanza y en el aprendizaje realizado por los estudiantes. Este es un estudio de metodología de investigación cualitativa que utilizó, como instrumento de recolección y producción de datos, la entrevista semiestructurada. La investigación empírica incluyó entrevistas con los cinco directores de las escuelas públicas municipales de los últimos años de la enseñanza primaria en la ciudad de Armação dos Búzios-RJ. El análisis de contenidos nos hizo llegar a tres categorías, siendo la categoría “Desconsideración Pública” esclarecedora y didáctica. Se infiere que el ambiente de aprendizaje (las instalaciones polideportivas en plazas públicas) existente y la infraestructura escolar disponible para las clases de Educación Física, hacen que sea imposible cumplir el plan de actividades en su totalidad, afectan a los contenidos de enseñanza y, por consiguiente, no se logran los objetivos educacionales.

Palabras clave: Escuela Infraestructura, Educación Física, Escuela Primaria, Políticas Públicas.

 

School infrastructure and Physical Education: tensions and conflicts

It is recommended, in this article, to study the influence that sports school infrastructures have on the fulfillment of the Physical Education curriculum, on the quality of the teaching process and on the learning carried out by the students. This is a qualitative research methodology that used as a data collection and production tool, the semi-structured interview. The empirical research included interviews with the five directors of municipal public schools in the final years of elementary education in the city of Armação dos Búzios-RJ. The content analysis brought us to three categories, being the category “Public Neglect”, elucidative and didactic. It is inferred that the existing learning environment (the multi-sports courts in public squares) and the school infrastructure made available to the Physical Education classes make it impossible to comply with the curriculum in its entirety, affects the contents of teaching and, therefore, the objectives are not reached.

Keywords:School Infrastructure, Physical Education, Elementary School, Public Policy.

 


Palavras-chave


Infraestrutura Escolar, Educação Física, Ensino Fundamental, Políticas Públicas

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. Ideologia e aparelhos ideológicos do Estado. Lisboa: Editorial Presença, 1980.

ALVES, Maria Teresa Gonzaga; XAVIER, Flavia Pereira. Indicadores multidimensionais para avaliação da infraestrutura escolar: o ensino fundamental. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 48, n. 169, p. 708-746, jul./set. 2018.

ARAÚJO, Samuel Nascimento de. O tempo e o espaço da educação física em escolas da rede municipal de Guarani das Missões/RS. Motrivivência, Florianópolis, n. 39, p. 25-34, 2012.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BENTO, Lilian; RIBEIRO, Romes. As aulas de educação física na concepção dos alunos de 5ª a 8ª séries do ensino fundamental da cidade de Indianópolis-MG. Motrivivência, Florianópolis, n. 31, p. 354-368, dez. 2008.

BOURDIEU, Pierre. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004.

BRASIL. Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Supremo Tribunal Federal, Secretaria de Documentação, 2018.

BRITTIN, Jeri et al. Physical activity design guidelines for school architecture. PLoS ONE, San Francisco, v. 10, n. 7, p. 1-30, 2015.

DAMAZIO, Márcia; SILVA, Maria Fátima. O ensino da Educação Física e o espaço físico em questão. Pensar a Prática, Goiânia, v. 11, n. 2, p. 189-196, ago. 2008.

DE PAULA, Alisson Slider do Nascimento et al. O ensino da educação física e a sua infraestrutura em questão: correlação com a prática pedagógica dos professores das escolas da rede municipal de Sobral/CE. Motrivivência, Florianópolis, n. 39, p. 57-65, 2012.

DURKHEIM, Émile. Educação e sociologia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

FERNÁNDEZ, Iván López. Aprovechamiento en horario no lectivo de instalaciones deportivas de colegios de educación primaria. Apunts. Educación Física y Deportes, n. 103, p. 83-90, 2011.

FERREIRA NETO, Rubem Barboza. O reflexo da infraestrutura escolar nas aulas de educação física no ensino fundamental. 2017. 183 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico do Porto, Porto, 2017. Disponível em: http://recipp.ipp.pt/ bitstream/10400.22/10015/1/DM_RubemNeto_2017.pdf. Acesso em: 12 fev. 2019.

FIRESTONE, William A.; PENNELL, James R. Teacher commitment, working conditions, and differential incentive policies. Review of Educational Research, v. 63, n. 4, p. 489-525, 1993.

FLICK, Uwe. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREIRE, Paulo. Educação como prática para a liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

FUNDAÇÃO LEMANN; MERITT. Pesquisa sobre o Censo Escolar/INEP 2017 da cidade de Armação dos Búzios-RJ. Portal QEdu, 2019. Disponível em: https://www.qedu.org.br/cidade/2733-armacaodos-buzios/aprendizado. Acesso em: 27 fev. 2019.

GIBBS, Graham. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.

HARGREAVES, Andy. Four ages of professionalism and professional learning. Teachers and Teaching: History and Practice, v. 6, n. 2, p. 151-182, 2000.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Perfil dos Municípios Brasileiros: Esporte 2003. Rio de Janeiro: IBGE, 2006.

KANTERS, Michael A. et al. Shared use of school facilities with community organizations and afterschool physical activity program participation: a cost-benefit assessment. Journal of School Health, v. 84, n. 5, p. 302-309, 2014.

KUNZ, Elenor. Educação Física: ensino e mudanças. 3. ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2012.

LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira de; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

MACEDO, Christiane Garcia; GOELLNER, Silvana Vilodre. Espaços e equipamentos para a educação física escolar e não-escolar: entrevista com Celi Nelza Zulke Taffarel. Motrivivência, Florianópolis, n. 39, p. 66-75, dez. 2012.

MAGALHÃES, Carlos Henrique Ferreira; MARTINELI, Telma Adriana Pacífico. Soluções formais no enfrentamento dos problemas da prática escolar: o estranhamento dos professores de educação física escolar. Motrivivência, Florianópolis, n. 36, p. 214-235, 2011.

MARQUES, Margarete Oleiro. Ambiente escolar e atividades físicas em escolares de Pelotas, RS. 2012. 99 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2012.

MOTA, Maria Océlia. Implementação de políticas públicas educacionais na perspectiva dos agentes burocráticos. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 29, n. 72, p. 684-709, set./dez. 2018.

PORATH, Margareth et al. Fase de desinvestimento da carreira docente de professores de Educação Física. Movimento, Florianópolis, n. 4, p. 203-222, out/dez. 2011.

REZENDE, Leandro Fórnias Machado de et al. The role of school environment in physical activity among Brazilian adolescents. PLoS ONE, v. 10, n. 6, p. 1-14, 2015.

SÁ, Jauri dos Santos; WERLE, Flávia Obino Corrêa. Infraestrutura escolar e espaço físico em educação: o estado da arte. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 164, p. 386-413, out./dez. 2017.

SAMPAIO, Pedro Augusto Carvalho; SILVA, Junior Vagner Pereira da; BAHIA, Cristiano Sant’Anna. Investimento em infraestrutura do mundial FIFA 2014: “quem ganha?” e “quem paga a fatura?”. Motrivivência, Florianópolis, n. 39, p. 76-91, 2012.

SÁTYRO, Natália; SOARES, Sergei. A infraestrutura das escolas brasileiras de ensino fundamental: um estudo com base nos censos escolares de 1997 a 2005. Brasília: Ipea, 2007.

SILVA, Cristina Rocha; GOBBI, Beatriz Christo; SIMÃO, Ana Adalgisa. O uso da análise de conteúdo como uma ferramenta para a pesquisa qualitativa: descrição e aplicação do método. Organizações Rurais & Agroindustriais, Lavras, v. 7, n. 1, p. 70-81, jan./abr. 2005.

SILVA, João Coletto da; SILVEIRA, Éder da Silva da. Avaliação emancipatória do ensino médio politécnico: experiências etnográficas na educação física. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 29, n. 71, p. 472-503, maio/ago. 2018.

SOARES NETO, Joaquim José et al. Uma escala para medir a infraestrutura escolar. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 24, n. 54, p. 78-99, jan./abr. 2013.

SOUZA, Silvana Esmenia de Dalto de. A prática pedagógica e o ensino de educação física no cotidiano de duas escolas públicas estaduais do bairro Jardim Santo André: entre o texto oficial e o contexto cotidiano. 2009. 130 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

TARDIF, Maurice. A profissionalização do ensino passados trinta anos: dois passos para a frente, três para trás. Educação e Sociedade, Campinas, v. 34, n. 123, p. 551-571, 2013.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

ZANDVLIET, David; BROEKHUIZEN, Avril. Spaces for learning: development and validation of the school physical and campus environment survey. Learning Environment Research, Heidelberg, v. 20, p. 175-187, 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.18222/eae.v0ix.6547

Apontamentos

  • Não há apontamentos.