Avaliação de programas governamentais: Ciência sem Fronteiras em foco

André Luiz Mendes Athayde, Telma Regina da Costa Guimarães Barbosa

Resumo


Este artigo trata da avaliação de um expressivo programa do governo federal: Ciência sem Fronteiras. A avaliação de políticas e programas públicos tem sido apontada pela literatura como capaz de subsidiar a formulação de intervenções governamentais e o controle de sua execução. Essa experiência recente de internacionalização do ensino superior no Brasil, manifestada pelo referido programa, apesar de apresentar benefícios potenciais, também aponta deficiências que precisam ser solucionadas. Os resultados deste estudo, que não podem, obviamente, ser generalizados para todas as bolsas já distribuídas no Brasil, mostraram processos bem-sucedidos do Programa Ciência sem Fronteiras, assim como algumas falhas pontuais. Mesmo apresentando limitantes típicos de estudos de abordagem qualitativa, como o reduzido grau de reprodutibilidade, a presente pesquisa estimula a reflexão com respeito aos programas públicos de internacionalização do ensino superior no Brasil e o aprofundamento do tema.

Palavras-chave: Avaliação de Programas, Políticas Públicas, Programa Governamental, Ciência Sem Fronteiras.

 

Evaluación de programas gubernamentales: enfoque en Ciencia sin Fronteras

Este artículo trata de la evaluación de un expresivo programa del gobierno federal: Ciência sem Fronteiras. La evaluación de políticas y programas públicos ha sido señalada por la literatura como capaz de subsidiar la formulación de intervenciones gubernamentales y el control de su ejecución. Dicha reciente experiencia de internacionalización de la educación superior en Brasil, manifestada por el mencionado programa, a pesar de presentar beneficios potenciales también pone de manifiesto deficiencias que deben solucionarse. Los resultados de este estudio, que por supuesto no se pueden generalizar para todas   las becas ya distribuidas en Brasil, mostraron procesos exitosos del Programa Ciência sem Fronteiras, así como algunas fallas puntuales. Aunque presenten limitaciones típicas de estudios de abordaje cualitativo, como el reducido grado de reproductibilidad, la presente investigación estimula la reflexión en lo que se refiere a los programas públicos de internacionalización de la educación superior en Brasil y la profundización del tema.

Palabras clave: Evaluación de Programas, Políticas Públicas, Programa Gubernamental, Ciência Sem Fronteiras.

 

Evaluation of governmental programs: Ciência sem Fronteiras in focus

This paper deals with an important program of the Brazilian federal government. The evaluation of public policies and programs has been identified in the literature as capable of developing governmental interventions and controlling their implementation. This recent experience of the internationalization of higher education in Brazil, demonstrated by the program described herein, despite presenting potential benefits, also points out deficiencies that need to be resolved. The results of this study, which obviously cannot be generalized to all benefits already distributed in Brazil, have shown the successful processes, as well as occasional failures, of the Programa Ciência sem Fronteiras [Science without Borders Program]. Although presenting typical limitations of qualitative studies, such as the reduced degree of reproducibility, this study stimulates the reflection and need for further studies on internationalization of higher education public programs in Brazil.

Keywords:Program Evaluation, Public Policies, Governmental Programs, Ciência Sem Fronteiras.


Palavras-chave


Avaliação de Programas, Políticas Públicas, Programa Governamental, Ciência Sem Fronteiras

Texto completo:

PDF

Referências


ALA-HARJA, M.; HELGASON, S. Em direção às melhores práticas de avaliação. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 51, n. 4, p. 5-60, out./dez. 2000.

ALMEIDA, P. H. O compartilhamento do conhecimento entre pesquisadores nacionais e internacionais do Programa Ciência sem Fronteiras. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2017.

ARRETCHE, M. T. S. Tendências no estudo sobre avaliação. In: RICO, E. M. (org.). Avaliação de políticas sociais: uma questão em debate. São Paulo: Cortez, 2009. p. 29-40.

AVEIRO, T. M. M. O programa Ciência sem Fronteiras como ferramenta de acesso à mobilidade internacional. Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 3, n. 2, 2014.

BRASIL. Decreto n. 7.642, de 13 de dezembro de 2011. Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/ decreto/d7642.htm. Acesso em: 13 set. 2018.

BRASIL. Senado Federal. Secretaria de Transparência. Coordenação de Controle Social. Serviço de Pesquisa DataSenado. Avaliação do Programa Ciência sem Fronteiras. Brasília: Senado Federal, 2015a. 138 p.

Brasil. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Capes e CNPq apresentam avaliação preliminar do Ciência sem Fronteiras. Brasília, 2015b. Disponível em: http://capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/7583-capes-e-cnpq-apresentam-avaliacao- preliminar-do-ciencia-sem-fronteiras. Acesso em: 10.set.2018.

CARVALHO, S. N. de. Avaliação de programas sociais: balanço das experiências e contribuição para o debate. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 17, n. 3-4, p. 185-197, 2003.

CASTRO, C. M. et al. Cem mil bolsistas no exterior. Interesse Nacional, Rio de Janeiro, v. 2, n. 17, p. 25-36, abr./jun. 2012.

COHEN, E.; FRANCO, R. Avaliação de projetos sociais. Petrópolis: Vozes, 2004.

COSTA, F. L. da; CASTANHAR, J. C. Avaliação de programas públicos: desafios conceituais e metodológicos. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 37, n. 5, p. 969-992, set./out. 2003.

COTTA, T. C. Metodologias de avaliação de programas e projetos sociais: análise de resultados e de impacto. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 49, n. 2, p. 103-124, abr./jun. 1998.

COTTA, T. C. Avaliação educacional e políticas públicas: a experiência do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Revista do Serviço Público, Brasília, v. 52, n. 4, p. 89-111, out. 2001.

CRUZ, V. X. de A. Programa Ciência sem Fronteiras: uma avaliação da política pública de internacionalização do ensino superior sob a perspectiva do paradigma multidimensional. 2018. 209 f. Dissertação (Mestrado) – Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Federal de Goiás, Goiânia-GO, 2018. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6543. Acesso em: 13 set. 2018.

CUNHA, C. G. S. Avaliação de políticas públicas e programas governamentais: tendências recentes e experiências no Brasil. Porto Alegre: Secretaria de Planejamento do Rio Grande do Sul, 2006.

DERLIEN, H-U. Una comparación internacional en la evaluación de las políticas públicas. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 52, n. 1, p. 105-124, jan. 2001.

FIGUEIREDO, M. F.; FIGUEIREDO, A. M. C. Avaliação política e avaliação de políticas: um quadro de referência teórica. São Paulo: Idesp, 1986.

FINARDI, K.; ORTIZ, R. A. Globalization, internationalization and education: what is the connection?. In: INTCESS14- International Conference on Education and Social Sciences, 2014, Istambul. Proceedings of INTCESS14- International Conference on Education and Social Sciences. Istambul: Ocerint., v. 1. p. 45-53, 2014.

FREIRE JÚNIOR, J. C. Internacionalização de instituições de ensino superior no Brasil. Revista Unespciência, São Paulo, n. 62, n.p., abr. 2015.

GARCIA, R. C. Subsídios para organizar avaliações da ação governamental. Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, n. 23, p. 7-70, jan./jun. 2001.

GENERAL ACCOUNTING OFFICE. The results act: an evaluator’s guide to assessing agency annual performance plans. Washington: GAO/GGD, 1998.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2007.

LUBAMBO, C. W.; ARAÚJO, M. L. C. de. Avaliação de programas sociais: virtualidades técnicas e virtualidades democráticas. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2003.

LOBO, T. Avaliação de processos e impactos em programas sociais: algumas questões para reflexão. In: RICO, E. M. (org.). Avaliação de políticas sociais: uma questão em debate. São Paulo: Cortez, 1998. p. 75-84.

MANÇOS, G. de R.; COELHO, F. de S. Internacionalização da ciência brasileira: subsídios para avaliação do Programa Ciência sem Fronteiras. Revista Brasileira de Políticas Públicas e Internacionais, João Pessoa, v. 2, n. 2, p. 52-82, dez. 2017.

MEDEIROS, F. S.; LOPES, C. V. M. Uso de questionários nos trabalhos de conclusão de curso da licenciatura em química: uma discussão metodológica. Porto Alegre: UFRGS, 2012.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. Glossary of key terms in evaluation and results-based management. 2002. Disponível em: https://www.oecd.org/dac/2754804. pdf. Acesso em 13 set. 2016.

OLIVEIRA, J. S. A internacionalização da educação superior nas relações internacionais do Brasil: o caso do Programa Ciência sem Fronteiras. Brasília: Universidade de Brasília. 2015.

PATI, Camila. As 30 melhores universidades do mundo em 2015. Revista Exame, Editora Abril, Edição de 15 de setembro de 2015. Disponível em: http://exame.abril.com.br/carreira/as-30-melhores-universidades-do-mundo-em-2015/. Acesso em: 23 out. 2016.

PIRES, R. R. C.; LOPEZ, F. G.; SILVA, F. de S. e. Métodos qualitativos de avaliação e suas contribuições para o aprimoramento de políticas públicas. In: CARDOSO JUNIOR, José Celso (coord.). Brasil em desenvolvimento: Estado, planejamento e políticas públicas. Brasília: Ipea, 2010. p. 661-688. (Brasil: O Estado de uma Nação, v. 3).

SANDER, B. Administração da educação e relevância cultural. In: SANDER, B. Gestão da educação na América Latina: construção e reconstrução do conhecimento. Campinas: Autores Associados, 1995.

SHIN, J. C.; TEICHLER, U. The future of the post-massified university at the crossroads: restructuring systems and functions. Heidelberg: Springer, 2014.

SILVA, P. L. B. (coord.). Modelo de avaliação de programas sociais prioritários: relatório final. Programa de Apoio à Gestão Social no Brasil. Campinas: NEPP-Unicamp, 1999.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.18222/eae.v30i73.5724

Apontamentos

  • Não há apontamentos.