A composição social importa para os efeitos das escolas no ensino fundamental?

Flavia Pereira Xavier, Maria Teresa Gonzaga Alves

Resumo


O artigo analisa o efeito das escolas públicas brasileiras de ensino fundamental para o aprendizado de seus alunos, considerando o contexto socioeconômico e a composição do alunado por gênero e raça. Os alunos foram distribuídos em três níveis de proficiência: insuficiente, básico e adequado. Os que estão no nível insuficiente são considerados   excluídos, uma vez que o seu direito à educação não é atendido. Utilizaram-se os dados de 2007, 2009 e 2011 da Prova Brasil. Os principais resultados indicam que os efeitos das escolas para a retirada dos alunos da exclusão e para sua promoção ao nível adequado de aprendizagem estão associados às características de composição social dessas escolas em termos de raça e gênero, independentemente do nível socioeconômico médio da escola. Tal composição também afeta as chances individuais de os alunos serem retirados da exclusão e promovidos ao nível de adequação.


Palavras-chave


Efeitos das escolas; Desigualdades escolares; Níveis de proficiência; Ensino Fundamental.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERNAZ, Ângela; FERREIRA, Francisco H. G.; FRANCO, Creso. Qualidade e equidade no ensino fundamental brasileiro. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 32, n. 3, p. 453-476, 2005.

ALVES, Maria Teresa Gonzaga; FRANCO, Creso. A Pesquisa em eficácia escolar no Brasil. In: BROOKE, Nigel; SOARES, José Francisco (Org.). Pesquisa em eficácia escolar: origem e trajetórias. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008. p. 482-500.

ALVES, Maria Teresa Gonzaga; SOARES, José Francisco; XAVIER, Flavia Pereira. Índice socioeconômico das escolas de educação básica brasileiras. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 84, p. 671-703, 2014.

ANDRADE, Josemberg M. de; LAROS, Jacob A. Fatores associados ao desempenho escolar: estudo multinível com dados do Saeb/2001. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 23, n. 1, p. 33-42, 2007.

ANDRADE, Renato Júdice de; SOARES, José Francisco. O efeito da escola básica brasileira. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 19, n. 41, p. 379-406, 2008.

BARBOSA, Maria Eugênia Ferrão; FERNANDES, Cristiano. A escola brasileira faz diferença? Uma investigação dos efeitos da escola na proficiência em Matemática dos alunos da 4ª série. In: FRANCO, Creso (Ed.). Promoção, ciclos e avaliação educacional. Porto Alegre: ArtMed, 2001. p. 155-172.

BOURDIEU, Pierre. Classificação, desclassificação, reclassificação. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (Ed.). Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998. p. 145-183.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

BROOKE, Nigel; CUNHA, Maria Amália de A. A avaliação externa como instrumento da gestão educacional nos estados. Estudos & Pesquisas Educacionais, São Paulo, n. 2, p. 17-79, 2011.

BROOKE, Nigel; SOARES, José Francisco (Org.). Pesquisa em eficácia escolar: origem e trajetórias. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

CARVALHO, Maria Pinto de. Sucesso e fracasso escolar: uma questão de gênero. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 1, p.185-193, jun. 2003.

CARVALHO, Maria Pinto de. O fracasso escolar de meninos e meninas: articulações entre gênero e cor/raça. Cadernos Pagu, Campinas, n. 22, p. 247-290, jun. 2004.

COLEMAN, James S. et al. Equality of educational opportunity. Washington D.C.: US Government Printing Office, 1966.

DAVIS, Kingsley; MOORE, Wilbert E. Alguns princípios da estratificação social. In: VELHO, Otávio et al. (Org.). Estrutura de classes e estratificação social. Rio de Janeiro: Zahar, 1981. p. 114-132.

FLETCHER, Philip. À procura do ensino eficaz: relatório de pesquisa. Rio de Janeiro, PNUD/MEC/Saeb, 1997.

HALLER, Archibald O.; SARAIVA, Helcio U. Ascription and status transmission in Brazil. In: SCOVILLE, James G. Status influences in the Third World labor market: caste, gender and custom. New York: Walter de Gruyter, 1991. p. 63-93.

LEE, Valerie E. Using multilevel methods to investigate research questions that involve nested data. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, n. 24, p. 46-68, 2001.

MORTIMORE, Peter; SAMMONS, Pamela; STOLL, Louise; LEWIS, David; ECOB, Russel. A importância da escola. In: BROOKE, Nigel; SOARES,

José Francisco (Org.). Pesquisa em eficácia escolar: origem e trajetórias. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

OSÓRIO, Rafael Guerreiro. O sistema classificatório de “cor ou raça” do IBGE. Rio de Janeiro: Ipea, 2003. (Texto para discussão, n. 996).

PARSONS, Talcott. Equality and inequality in modern society, or social stratification revisited. Sociology Inquiry, v. 40, n. 2, p. 13-72, Apr. 1970.

PARSONS, Talcott. O sistema das sociedades modernas. São Paulo: Pioneira, 1974. RAUDENBUSH, Stephen W.; BRYK, Anthony S. Hierarchical linear models: applications and data analysis methods. 2. ed. Newbury Park, California: Sage, 2002.

RAUDENBUSH, Stephen. W.; WILLMS, Jon Douglas. The estimation of school effects. Journal of Educational and Behavioral Statistics, v. 20, n. 4, p. 307-335, 1995.

RAUDENBUSH, Stephen W. et al. HLM 7: Hierarchical linear and nonlinear modeling. Lincolnwood, IL: Scientific Software International, 2011.

RUMBERGER, Russell W.; PALARDY, Gregory J. Does segregation still matter? The impact of student composition on academic achievement in high school. Teachers College Record, v. 107, n. 9, p. 1999-2045, Sep. 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.18222/eae266102933

Apontamentos

  • Não há apontamentos.