Leitura e escrita na educação infantil: contextos e práticas em diálogo

Maria Fernanda Rezende Nunes, Patricia Corsino

Resumo


O artigo analisa relatórios de entrevista e observação de 27 escolas e turmas da pesquisa “Boas práticas de leitura e escrita na educação infantil”, em sete municípios de regiões brasileiras. Boas práticas são aquelas nas quais infância e experiência, educação e cuidado constituem binômios de criação, conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI) 2009. Apresenta-se um perfil das escolas e são analisados os registros de observação segundo as categorias espaços e materiais e interações e interlocuções. Revela-se, nas conclusões, a busca de uma identidade para a educação infantil, na forma dialógica como as professoras escutam e respondem às crianças. Na creche, predominam práticas de cunho lúdico-simbólico, enquanto na pré-escola estas ainda convivem com outras mais diretivas, pautadas em conteúdos relacionados à alfabetização. 

Educação Infantil, Leitura, Escrita, Práticas Educativas 

 

Reading and writing in early childhood education: contexts and practices under debate 

The article reports an analysis of interviews and observations carried out in 27 schools by the research team in charge of project “Boas práticas de leitura e escrita na educação infantil” [Good reading and writing practices in Early Childhood Education], which encompasses 7 counties in different Brazilian regions. Good practices are the ones in which childhood and experience, education and care are creation binomials based on the Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil [National Curriculum Guidelines for Early Childhood Education] (DCNEI – 2009). The article introduces the profile of the assessed schools and analyzes the observation records according to space and materials and interaction and interlocution categories. Based on the results, it is essential to seek an identity for early childhood education based on the dialogic way teachers listen and respond to children. Ludicsymbolic practices prevail in daycare centers, whereas these practices are added with more directive practices in pre-schools, which are substantiated by contents linked to literacy. 

Early Childhood Education, Reading, Writing, Educational Practices

  

Lecture et écriture dans l’éducation de la petite enfance : mise en dialogue des contextes et des pratiques 

Cet article analyse des rapports d’entretiens et d’observation de 27 classes de differentes écoles dans le cadre de la recherche sur les “Boas práticas de leitura e escrita na educação infantil” [Bonnes pratiques de lecture et d’écriture dans l’éducation de la petite enfance], menée dans sept communes de plusieurs régions brésiliennes. Les bonnes pratiques sont celles où enfance et expérience et éducation et soins constituent des binômes de création, conformément aux Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI – 2009) [Lignes Directrices du Programme National pour l’Éducation de la Petite Enfance]. Un profil des écoles est dressé et les comptes rendus d’observation en fonction des catégories espaces et matériaux et interactions et interlocutions sont analysés. Les conclusions révèlent une quête d’identité pour l’éducation de la petite enfance dans la forme dialogique avec laquelle les enseignants écoutent et répondent aux enfants. Les pratiques ludiques et symboliques prédominent dans les crèches tandis que dans les maternelles elles coexistent avec des pratiques plus directives, basées sur les contenus de l’alphabétisation. 

Éducation de la Petite Enfance, Lecture, Écriture, Pratiques Éducatives 

 

Lectura y escritura en la educación infantil: contextos y prácticas en diálogo 

El artículo analiza informes de entrevista y observación de 27 escuelas y grupos de la investigación “Boas práticas de leitura e escrita na educação infantil” [Buenas prácticas de lectura y escritura en la educación infantil], en siete municipios de regiones brasileñas. Las buenas prácticas son aquellas en las que la infancia y la experiencia, la educación y el cuidado constituyen binomios de creación, conforme a las Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil [Directrices Curriculares Nacionales para la Educación Infantil] (DCNEI – 2009). Se presenta un perfil de las escuelas y se analizan los registros de observación según las categorías espacios y materiales e interacciones e interlocuciones. Se revela, en las conclusiones, al buscar una identidad para la educación infantil, en la forma dialógica, como las profesoras escuchan y responden a los niños. En la guardería, predominan prácticas de cuño lúdico-simbólico, mientras que en la preescolar éstas todavía conviven con otras más directivas, basadas en contenidos relacionados con la alfabetización. 

Educación Infantil, Lectura, Escritura, Prácticas Educativas

 


Palavras-chave


Educação Infantil, Leitura, Escrita, Práticas Educativas

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ABRAMOWICZ, A.; TEBET, G. G. de C. Educação infantil: um balanço a partir do campo das diferenças. Pro-posições, v. 28, supl. 1, p. 182-203, dez. 2017.

ARAÚJO, V. C. de. O tempo integral na educação infantil: uma virtude pública? Cadernos de Pesquisa em Educação, Vitória, v. 19, n. 42, p. 13-28, jul./dez. 2015.

ANDRADE, E. R.; NUNES, M. F. R.; FARAH NETO, M.; ABRAMOVAY, M. (org.). Perfil dos professores brasileiros: o que fazem, o que pensam, o que almejam... Pesquisa Nacional Unesco. São Paulo: Moderna, 2004.

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1997.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1992.

BONDIOLI, A.; MANTOVANI, S. Manual de educação infantil: de 0 a 3 anos. Porto Alegre: Artmed, 1998.

BOURDIEU, P. O senso prático. Petrópolis: Vozes, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Política de Educação Infantil: proposta. Brasília: MEC/SEF/Coedi, 1993.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução no 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Contribuições para a política nacional: a avaliação em educação infantil a partir da avaliação de contexto. Curitiba: Imprensa/UFPR; Brasília: MEC/SEB/Coedi, 2015.

CAMPOS, M. M. Educar e cuidar: questões sobre o perfil do profissional da educação infantil. In: BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Por uma política de formação do profissional da educação infantil. Brasília: MEC/SEF/DPE/Coedi, 1994.

CAMPOS, M. M. Entre as políticas de qualidade e a qualidade das práticas. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 148, p. 22-43, jan./abr. 2013.

CAMPOS; M. M.; CRUZ, S. H. V. Consulta sobre a qualidade na educação infantil: o que pensam e querem os sujeitos deste direito. São Paulo: Cortez, 2006.

CORSINO, P. Infância, linguagem e letramento: educação infantil na rede municipal de ensino do Rio de Janeiro. 2003. 300 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2003.

CORSINO, P.; GUIMARÃES, D. O. Contrastes e deslocamentos na experiência com instrumentos italianos de avaliação de contexto numa instituição da rede municipal de ensino da cidade do Rio de Janeiro. RELAdEI – Revista Latino Americana de Educación Infantil, v. 6, n. 1-2 Evaluación de Contextos en Educación Infantil, p. 71-81, enero/jun. 2017.

FANFANI, E. T. Consideraciones sociologicas sobre profesionalización docente. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 99, p. 335-353, maio/ago. 2007.

FREIRE, M. A paixão de conhecer o mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

KRAMER, S.; NUNES, M. F.; CORSINO, P. Infância e crianças de 6 anos: desafios das transições na educação infantil e no ensino fundamental. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 69-85, jan./abr. 2011.

MOSS, P. Qual o futuro da relação entre educação infantil e ensino obrigatório? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 142, p.142-159, jan./abr. 2011.

RICHTER, A. C.; VAZ, A. F. Momentos do parque em uma rotina de educação infantil: corpo, consumo, barbárie. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 3, p. 673-684, dez. 2010.

ROSEMBERG, F. Políticas públicas e qualidade da educação infantil. In: ARTES, A.; UNBEHAUM, S. Escritos de Fúlvia Rosemberg. São Paulo: Cortez, 2015.

SOUZA, G. de; MORO, C.; COUTINHO, A. S. (org.). Formação da rede em educação infantil: avaliação de contexto. Curitiba: Appris, 2015. v. 1.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VOLOCHÍNOV, V. N. Palavra na vida e a palavra na poesia: introdução ao problema de poética sociológica. In: VOLOCHÍNOV, V. N. A construção da enunciação e outros ensaios. São Carlos: Pedro & João, 2013. p. 71-100.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Financiadores: