Sobre a Revista

1. Breve histórico

Criada em 1971, Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas), publicação editada pela Fundação Carlos Chagas (São Paulo, Brasil), foi uma iniciativa pioneira que visava ao desenvolvimento de um canal de comunicação entre instituições e grupos ou pessoas que se dedicavam à pesquisa educacional. Desde então, configura-se como uma revista científica que tem como objetivo divulgar a produção acadêmica na área de educação. Integrante do SciELO desde 2003, Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) é A1 em Educação no Qualis Capes.

O título abreviado da revista é Cad. Pesqui. (Fund. Carlos Chagas), e deve ser usado em notas de rodapé e referências bibliográficas.

ISSN: 0100-1574 | e-ISSN: 1980-5314

Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) adota a Licença Creative Commons Attribution (CC BY 4.0).

 

2. Conformidade com a Ciência Aberta

A revista vem implementando, de forma progressiva, práticas alinhadas com os princípios da ciência aberta:

  1. acesso livre ao seu conteúdo;
  2. fluxo contínuo de publicação;
  3. aceite de submissão de compuscritos depositados em servidores de preprints; e
  4. declaração e publicação dos dados de pesquisas associados ao texto, por meio de repositórios de dados recomendados pela SciELO.

Além disso, a equipe editorial de Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) reconhece a importância dos princípios da diversidade, equidade, inclusão e acessibilidade, de modo que vem, gradativamente, ampliando sua atenção quanto à transparência nos processos e quanto aos marcadores sociais que caracterizam as diferenças humanas, em todo o processo editorial, e adotando condutas alinhadas à democratização do acesso ao conhecimento científico na área de educação – respeitados o foco e o escopo da revista –, bem como à divulgação de produções que contribuam com a justiça social, com especial atenção à equidade de gênero, de capacidades funcionais e ao antirracismo.

 

3. Ética na publicação

A política editorial da revista Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) segue padrões internacionais para editoria e autoria, em conformidade com as diretrizes e recomendações do Committee on Publication Ethics (COPE) e com o Guia de boas práticas para o fortalecimento da ética na publicação científica.

 

4. Foco e escopo

Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) divulga a produção acadêmica na área de educação, dedicando especial atenção às desigualdades sociais. Contempla estudos que abordam, de forma interdisciplinar, questões relacionadas a gênero, relações étnico-raciais, infância, juventude, escola, trabalho, família e políticas públicas. Acolhe compuscritos inéditos, com perspectivas teóricas diversas, com prioridade para a publicação de pesquisas de caráter empírico, histórico ou documental. Contempla resenhas e, excepcionalmente, ensaios e entrevistas. Referência para a formação de pesquisadores, a revista tem como critérios para avaliação: a relevância social, as contribuições teóricas e metodológicas e o caráter inovador dos estudos.

A revista recebe textos em português, espanhol, inglês e francês. Compuscritos em inglês ou francês, se aprovados, devem ser traduzidos para o português, para publicação bilíngue. Artigos aceitos em português e espanhol podem ser, complementarmente, publicados na versão em língua inglesa.

 

5. Preservação digital

Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) está vinculado a vários indexadores nacionais e internacionais para assegurar a disseminação de suas publicações. Além disso, seu conteúdo está preservado digitalmente na rede privada LOCKSS, por meio da ferramenta PKP PN, e na SciELO.

 

6. Fontes de indexação

Bases de dados

 Portais especializados

 Buscadores de literatura científica open access

Catálogos de bibliotecas

 

7. Ficha bibliográfica

  • Título do periódico: Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas)
  • Título abreviado: Cad. Pesqui. (Fund. Carlos Chagas)
  • Publicação de: Fundação Carlos Chagas
  • Periodicidade: publicação contínua
  • Ano de criação do periódico: 1971
  • ISSN: 0100-1574 (impresso) | e-ISSN: 1980-5314

 

8. Websites e mídias sociais

É possível encontrar informações sobre a revista e suas publicações no site da Fundação Carlos Chagas (https://publicacoes.fcc.org.br/cp/index) e nas redes sociais – LinkedIn e Instagram – da instituição.

 

POLÍTICA EDITORIAL

1. Preprints

Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) acolhe compuscritos inéditos, entendidos como textos que não foram publicados em nenhuma revista científica ou livro. Publicações provenientes de eventos científicos (anais de congressos e seminários) devem ser reformuladas, de acordo com as normas de submissão da revista.

Respeitando as orientações da SciELO, a revista aceita preprints, desde que:

  • tenham sido publicados em repositórios que evidenciem controle de qualidade dos arquivos;
  • tenham DOI atribuído ao texto;
  • mantenham os metadados dos arquivos indexados e sejam compatíveis com os princípios FAIR.

Caso a primeira versão do texto tenha sido publicada em repositório, a informação deverá, obrigatoriamente, ser incluída nos metadados de submissão. Nesses casos, a avaliação será realizada por meio de processo simples-anônimo: o revisor conhece a autoria do texto, mas o autor não tem acesso à identificação do revisor.


2. Processo de avaliação por pares

Os originais recebidos passam por oito etapas:

  1. Análise prévia da equipe de edições para verificar se a submissão está de acordo com as normas da revista (desk review). Em caso negativo, rejeita-se a submissão por aspectos de forma.
  2. Submissão ao programa de controle de plágio e autoplágio iThenticate 2.0: o objetivo é verificar se o texto já foi publicado, integral ou parcialmente, pelas pessoas vinculadas à autoria do texto.
  3. Avaliação prévia pela Editoria Científica, que julga a adequação dos textos à linha editorial da revista; e a qualidade do trabalho e sua potencial contribuição para a área de conhecimento.
  4. Processo duplo-anônimo: caso passe por essa triagem inicial, o compuscrito é encaminhado para especialistas da área para avaliação por mérito. Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) adota o sistema duplo-anônimo para avaliação dos compuscritos pelos pares, preservando a identidade do autor e do parecerista. A avaliação envolve, em geral, dois pareceristas. Eventualmente, a Editoria Científica pode designar um dos editores para a avaliação. Lembrete: em caso de submissão de preprints, o sistema de avaliação, nessa etapa, será simples-anônimo. Em caráter experimental, a avaliação de preprints poderá se dar por meio da abertura de pareceres. Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) estimula autores e pareceristas a adotarem práticas de avaliação por pares aberta (open peer review), nas seguintes modalidades: [i] interação aberta entre pareceristas e autores, [ii] publicação de pareceres, [iii] publicação do nome do editor associado/seção no artigo. Em qualquer um dos casos, autores, pareceristas ou editores deverão declarar concordância com tais práticas.
  5. Parecer consolidado: os pareceres emitidos passam pela análise da Editoria Científica, que dará decisão final emitindo um parecer consolidado. Por meio desse parecer, o autor recebe uma comunicação informando se seu texto foi aceito, rejeitado ou se necessita de alterações para publicação. No último caso, o artigo reformulado é submetido a uma nova rodada de avaliação pelos pareceristas iniciais e pela Editoria. A Editoria Científica reserva-se o direito de recusar artigos cujas modificações não atendam a contento às solicitações encaminhadas.
  6. Processo de revisão estatística e de revisão textual: uma vez aceitos para publicação, os compuscritos passam por revisão textual e estatística (se for o caso). Nessa etapa, é possível que os revisores solicitem ajustes e modificações, que deverão ser atendidas pelos autores, de modo que a publicação dos textos está condicionada ao atendimento dos referidos ajustes.
  7. Decisão final: enviada para a pessoa responsável pela submissão do texto na revista, com informações sobre o andamento da submissão: aceito ou rejeitado. A Editoria Científica reserva-se o direito de recusar artigos cujas modificações não atendam a contento às solicitações encaminhadas.
  8. Nova aplicação de software de análise de plágio (iThenticate 2.0), a fim de verificar se o texto não foi publicado em outro meio de divulgação durante o processo avaliativo.

Cabe esclarecer que as submissões na forma de entrevistas, relatos de experiência e resenhas são avaliadas pela Editoria Científica, que decidirá pela pertinência de sua publicação, conforme as demandas da revista.

 

3. Dados abertos

Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) inicia processo de adesão às práticas da ciência aberta, em que autores são encorajados a disponibilizar todos os conteúdos (dados, códigos de programa e outros materiais) subjacentes ao texto do manuscrito. Exceções são permitidas em casos de questões legais e éticas. O objetivo é contribuir para a preservação e reuso dos conteúdos e a reprodutibilidade das pesquisas. Os conteúdos subjacentes serão depositados no repositório SciELO Data, com atribuição de DOI e possibilidade de acesso público ou controlado.

 

4. Cobrança de taxas

Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) não cobra taxa de submissão ou de editoração de artigos (article processing charges – APC), mas no caso de traduções elas deverão ser realizadas por profissionais indicados pela própria revista e os custos são de responsabilidade das pessoas vinculadas à autoria do texto. Seu acesso é aberto e gratuito.

 

5. Política de ética e más condutas, errata e retratação

A Editoria Científica da revista atua de forma a implementar sua política editorial com rigor e transparência. Sua responsabilidade principal é garantir a qualidade e a integridade do conteúdo da revista, bem como aderir às diretrizes estabelecidas. Para tanto, o coletivo de editores procura monitorar, de forma colaborativa, suas próprias ações.

A editoria procura manter-se atenta às mudanças nas demandas e tendências do campo educacional, acompanhar as devolutivas dos leitores, autores e revisores, bem como de outros periódicos, da SciELO e de outros coletivos e associações, como a Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC Brasil) e o Fórum de Editores de Periódicos da Área de Educação (Fepae). Nessa perspectiva, mantém-se atenta à necessidade de realizar ajustes na política editorial, se necessário, para melhor atender à sociedade.

Sendo assim, a revista Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) procura agir de maneira engajada com o fortalecimento da ética na publicação científica, com base na adoção das seguintes condutas:

  • Transparência de dados e informações: a equipe editorial mantém-se atenta para identificar plágio, autoplágio, falsificação de dados, conflitos de interesse e cuidado com pesquisas envolvendo a participação de seres humanos.
  • Revisão por pares rigorosa: o processo de revisão por pares é rigoroso e imparcial. Os revisores indicados e selecionados para avaliar os artigos devem ser conhecedores dos assuntos e métodos abordados nos textos, considerando gênero, pertencimento étnico-racial e origem geográfica diversificados, para minimizar quaisquer vieses que comprometam a política editorial e seus princípios.
  •  Identificação de plágio e autoplágio: por meio das ferramentas utilizadas pela revista, suspeitas de plágio e autoplágio são debatidas e analisadas caso a caso, salvaguardados o sigilo e o respeito às partes envolvidas nas tomadas de decisões, inclusive aquelas que requeiram judicialização.
  • Transparência e divulgação: a revista procura ser transparente em relação aos seus processos e critérios de seleção de artigos e mantém seus canais de comunicação públicos, podendo os autores e a comunidade acionarem a equipe editorial a qualquer tempo. Ainda no que se refere à transparência, cabe aos autores informar as fontes de financiamento das pesquisas divulgadas no periódico e relatar possíveis conflitos de interesse, em seus textos.
  • Retratações e correções: após a conclusão de todas as etapas do processo editorial, os autores deverão aceitar a versão final do texto, responsabilizar-se pelo seu conteúdo e informar a contribuição de cada autor ao final do compuscrito (quando for o caso). Se houver casos de má conduta identificados após a publicação de um artigo, a revista tomará as medidas apropriadas, que poderão envolver: a) contato e encaminhamento com os autores, em situação de reivindicação de autoria por terceiros; b) solicitação de documentos que comprovem a aprovação de pesquisas envolvendo seres humanos por um comitê de ética em pesquisa; c) solicitação de justificativa quando for verificado excesso de autocitação; d) imediata retirada e exclusão de textos que tenham sido produzidos a partir da fabricação de dados e imagens. As comunicações de suspeita de más condutas deverão ser reportadas à equipe editorial, utilizando os canais disponibilizados para o contato com Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas). A equipe editorial poderá, ainda, formar comissões, compostas por membros internos e externos, para analisar suspeitas e comprovações de má conduta. O compuscrito que estiver publicado e no qual for identificada má conduta permanecerá indexado na base de dados SciELO, na condição de retratado. A retratação deverá documentar o motivo, mediante comunicação do autor ou do editor-chefe da revista, e publicada no mesmo periódico. A retratação poderá ser parcial, quando a má conduta disser respeito a uma parte do texto, desde que não comprometa o texto como um todo. Possíveis erros ou falhas que não sejam oriundos de má conduta poderão ser corrigidos por meio de errata. A revista Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) publicará erratas, correções e retratações sempre que necessário e seguindo a temporalidade e condições de seu fluxo editorial, com base nas diretrizes SciELO.
  • Educação e conscientização: periodicamente, a revista poderá promover a educação e a conscientização sobre ética na pesquisa científica, tanto entre os autores quanto entre os revisores e editores, por meio de revisão de suas diretrizes éticas bem como da realização de seminários e outras atividades relacionadas à integridade da pesquisa educacional.
  • Acompanhamento e monitoramento: a revista acompanha e monitora constantemente a aderência às boas práticas éticas. Por isso, realiza a análise regular da conduta dos autores, devolutivas dos revisores e leitores, e análise estatística de indicadores relevantes, como taxas de aprovação, rejeição e tempo de revisão. Ao adotar e promover essas boas práticas, a revista busca fortalecer a ética na publicação científica e contribuir para a integridade e confiabilidade da pesquisa acadêmica.

 

6. Política sobre conflito de interesses

Conflitos de interesses podem ocorrer entre autores, revisores ou editores. O ato de submissão implica a ausência de conflito de interesses de ordem financeira, comercial, política, acadêmica e pessoal. Se houver potenciais conflitos de interesse relacionados à pesquisa ou à publicação do compuscrito, as pessoas vinculadas à autoria dos textos deverão informar, em nota de rodapé, as relações com órgãos de financiamento, bem como com instituições comerciais e políticas. Deverão explicitar que o apoio financeiro ou material recebido está claramente manifesto no texto submetido.

 

7. Adoção de softwares de verificação de similaridade

Para combater o plagiarismo, Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) faz uso do iThenticate 2.0, mediante acordo de uso com a SciELO.

 

8. Questões de sexo e gênero

A equipe editorial de Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas), além dos autores que publicam na revista, devem sempre observar as diretrizes sobre Equidade de Sexo e Gênero em Pesquisa (Sex and Gender Equity in Research – Sager). As diretrizes Sager compreendem um conjunto de diretrizes que orientam o relato de informações sobre sexo e gênero no desenho do estudo, na análise de dados e nos resultados e interpretação dos achados. Além disso, Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) observa a política de equidade de gênero na formação de seu corpo editorial.

 

9. Comitê de Ética

Os procedimentos éticos estabelecidos para a pesquisa científica deverão ser informados quando houver o envolvimento de seres humanos. É necessário garantir o anonimato dos participantes da pesquisa, salvo nos casos em que a identificação tenha sido permitida. Tanto a autorização quanto a restrição à identificação dos sujeitos devem ser informadas em nota de rodapé, no corpo do artigo. A divulgação de imagens de pessoas ou instituições deve seguir o mesmo princípio.

 

10. Direitos autorais

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

a. Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação. Os textos publicados estão licenciados sob a Licença Creative Commons Attribution (CC BY 4.0), o que permite o seu compartilhamento.

b. Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.

c. Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line(ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), depois de finalizado o processo editorial.

 

11. Propriedade intelectual e termos de uso

As ideias e opiniões expressas nos artigos publicados são de exclusiva responsabilidade dos seus autores, não refletindo, necessariamente, a opinião do periódico.

Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas) permite-se realizar, durante o processo de revisão, pequenas mudanças formais no texto, respeitando o estilo e a opinião dos autores.

 

12. Patrocinadores

 

Ficha catalográfica

Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas), n. 1, jul. 1971, São Paulo

Somente on-line a partir de 2020 e contínua a partir de 2021.

Publicação da Fundação Carlos Chagas.

ISSN: 0100-1574 (impresso)

e-ISSN: 1980-5314 (on-line)

1. Educação. 2. Pedagogia. I. Fundação Carlos Chagas. II. Departamento de Pesquisas Educacionais/FCC. III. Título. 

CDU 37

Ficha elaborada por: Ana Maria de Souza CRB-8/5580, Biblioteca Ana Maria Poppovic (Bamp)