Caminhos da construção de uma Avaliação Institucional Participativa

Autores

  • Adilson Dalben Faculdade Sesi-SP de Educação; Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal), São Paulo, São Paulo, Brasil. Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (LOED) da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (FE/Unicamp), Campinas, São Paulo, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18222/eae.v0ix.3919

Palavras-chave:

Avaliação Institucional, Participação, Qualidade da Educação, Políticas Educacionais

Resumo

Este artigo apresenta a constituição conceitual da Avaliação Institucional Participativa (AIP) e sua formatação no Projeto Geres-AI, na política educacional na cidade de Campinas e na reforma do Sistema de Inspeção Educativa em Angola. Trata-se de um modelo proposto pelo Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (LOED) da Universidade Estadual de Campinas que tem como finalidade a melhoria da qualidade social oferecida nas escolas. Após a apresentação do contexto em que surge a avaliação institucional enquanto processo contrarregulatório, são descritos os principais movimentos nessas três experiências, explicitando as características do modelo, seus conceitos centrais e pressupostos, além da importância do protagonismo da comunidade escolar. É evidenciada a sinuosidade das trajetórias de implementação, dada a influência de diversos fatores, requerendo, por isso, planejamento e apoio dos órgãos governamentais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adilson Dalben, Faculdade Sesi-SP de Educação; Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal), São Paulo, São Paulo, Brasil. Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (LOED) da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (FE/Unicamp), Campinas, São Paulo, Brasil

Coordenador dos cursos de graduação e pós-graduação lato sensu da Faculdade Sesi-SP de Educação. Professor do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal), São Paulo, São Paulo, Brasil. Pesquisador colaborador do Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (LOED) da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (FE/Unicamp), Campinas, São Paulo, Brasil

Referências

ANJOS, Marlene G. O sistema participativo da avaliação institucional e as contribuições na formação de estudantes: estudo de caso de uma escola da rede municipal de Campinas. 2013. 286f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

BETINI, Geraldo A. Avaliação institucional em escolas públicas de ensino fundamental de Campinas. 2009. 394f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

BONDIOLI, Anna (Org.). O projeto pedagógico da creche e a sua avaliação. A qualidade negociada. Campinas: Autores Associados, 2004.

COSTA, Maria S. P. F. M. Avaliação institucional no ensino fundamental: a participação dos estudantes. 2012. 402f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

DALBEN, Adilson. Avaliação institucional participativa na educação básica: possibilidades, limitações e potencialidades. 2008. 243 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

DIAS SOBRINHO, José. Avaliação institucional, instrumento de qualidade educativa: a experiência da Unicamp. In: BALZAN, Newton C.; DIAS SOBRINHO, José (Org.), Avaliação institucional: teoria e experiências. São Paulo: Cortez, 1995. DIAS SOBRINHO, José. Campo e caminhos da avaliação: a avaliação da educação superior no Brasil. In: FREITAS, Luiz C. (Org.). Avaliação: construindo o campo e a crítica. Florianópolis: Insular, 2002.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação, uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Moraes, 1980.

FREITAS, Luiz C. Qualidade negociada: avaliação e contra-regulação na escola pública. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 92, (n. Especial), out. 2005.

FREITAS, Luiz C.; SORDI, Mara R. L.; FREITAS, Helena C. L; MALAVAZI, Maria. M. Dialética da inclusão e da exclusão: por uma qualidade negociada e emancipadora nas escolas. In: GERALDI, Corinta G.; RIOLFI, Claudia R.; GARCIA, M. F. Escola viva: elementos para a construção de uma educação de qualidade social. São Paulo: Mercado de Letras, 2004.

LEITE, Denise. Reforma universitária: Avaliação Institucional Participativa. Petrópolis: Vozes, 2005.

MENDES, Geisa S. C. V. M. Avaliação institucional: estudo da implementação de uma política para a escola fundamental do município de Campinas/SP. 2011. 332f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

MORAES, Mônica C. M. A avaliação da escola pelos pais. 2010. 157f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

MORAES, Sandro R. C. Avaliação institucional na educação infantil de Campinas/SP: a experiência de três instituições públicas. 2014. 307f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014.

PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática da escola pública. São Paulo: Ática, 2005.

PENTEADO, Thaís C. Z. P. O protagonismo de especialistas da educação na política de avaliação institucional participativa na rede municipal de educação de Campinas. 2016. 231f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2016.

RODRIGUES, Camila. A participação dos professores no processo de autoavaliação de uma escola de ensino fundamental da Rede Municipal de Campinas. 2015. 171f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

SORDI, Mara R. L. A implicações ético-epistemológicas da negociação nos processos de avaliação institucional participativa. Revista Educação & Sociedade, Campinas, v. 3, n. 119, p. 485-510, abr./jun. 2012.

SORDI, Mara R. L.; FREITAS, Luiz C. O trabalho de apoio às escolas no processo de Avaliação Institucional Participativo: pontos e contrapontos. 2005. (Texto de trabalho).

SORDI, Mara R. L.; FREITAS, Luiz C.; MALAVAZI, Maria M. A avaliação institucional potencializando a produção de qualidade nas escolas de ensino fundamental. 2005. (Texto de trabalho).

SORDI, Mara R. L.; SOUZA, Eliana S. A avaliação institucional com instância mediadora da qualidade da escola pública: a Rede Municipal de Educação de Campinas como espaço de aprendizagem. Campinas: Millennium, 2009.

SORDI, Mara R. L.; SOUZA, Eliana S. A avaliação institucional com instância mediadora da qualidade da escola pública: o processo de implementação da rede em destaque. Campinas: Prefeitura Municipal de Campinas, Secretaria Municipal de Educação, 2012.

SORDI, Mara R. L. et al. Comissão Própria de Avaliação: estratégia para a produção de sentidos na realidade das escolas. 2005. (Texto de trabalho).

SOUTO SIMÃO, Marcelo et al. Fundamentos teóricos da revitalização de inspeção da educação e diagnóstico institucional para a melhoria da qualidade educativa: materiais de apoio à formação em competências de inspetores da educação em Angola. Livro I. Buenos Aires: IIPE-Unesco, 2012a.

SOUTO SIMÃO, Marcelo et al. Avaliação da capacidade institucional para a melhoria da qualidade educativa: materiais de apoio à formação em competências de inspetores da educação em Angola. Livro III. Buenos Aires: IIPE-Unesco, 2012b.

SOUZA, Eliana S. Avaliação institucional na Rede Municipal de Campinas: experiências e desafios na condução da implementação. In: SORDI, Mara R. L.; SOUZA, Eliana S. A avaliação institucional com instância mediadora da qualidade da escola pública: o processo de implementação da rede em destaque. Campinas: Prefeitura Municipal de Campinas, Secretaria Municipal de Educação, 2012.

XAVIER, Cecilia A. O orientador pedagógico na implementação da avaliação institucional participativa: um olhar sobre a experiência. 2011. 139f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

Downloads

Publicado

31-08-2016

Como Citar

DALBEN, A. Caminhos da construção de uma Avaliação Institucional Participativa. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 27, n. 65, p. 346–374, 2016. DOI: 10.18222/eae.v0ix.3919. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/eae/article/view/3919. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Tema em Destaque