Educação especial e autismo: das práticas baseadas em evidências à escola

Debora R. P. Nunes, Carlo Schmidt

Resumo


Nos últimos anos, a literatura vem registrando um aumento expressivo do ingresso de alunos com autismo em classes comuns. Dentre as competências docentes essenciais para lidar com essa demanda insere-se o conhecimento sobre práticas baseadas em evidências (PBE), definidas como estratégias interventivas cientificamente eficazes. Assinale-se que o conhecimento sobre as PBE, produzido por centros de pesquisa, não é transposto aos professores, no contexto da escola. Assim, os objetivos deste artigo são revisar o conceito de PBE, no âmbito das pesquisas em educação especial e autismo, e identificar fatores que interferem na mobilização do conhecimento. Como alternativa propositiva, é apresentado um modelo teórico-explicativo de transposição do conhecimento dos muros da academia para o chão da escola.

Educação Especial, Autismo, Práticas Baseadas em Evidências

 

Special education and autism: from evidence-based practices to school

In recent years, the literature has shown a significant increase in the enrollment of students with autism in regular classrooms. Among the essential teacher competencies to effectively deal with this demand is the knowledge on Evidence-Based Practices (EBP), conceived as scientifically effective intervention strategies. Knowledge produced by research centers about these practices is not disseminated and incorporated by teachers in the school context. In this scenario, this article aims: to revise the concept of EBP, in the scope of research in Special Education and autism; and identify factors that interfere with the transposition of the knowledge. As a complement, a theoretical-explanatory model of transposition of scientific knowledge beyond the walls of the academy is proposed. 

Special Education, Autism, Evidence-Based Practices

  

L’éducation spéciale et l’autisme: des pratiques fondées sur des preuves à l’école

Au cours des dernières années, la littérature a montré une augmentation significative de l’inscription des élèves autistes dans les classes régulières. Pour répondre à cette demande on trouve parmi les compétences essentielles des enseignants les connaissances sur les pratiques fondées sur les preuves (PFP), définies comme des stratégies d’intervention scientifiquement efficaces. Il faut noter que les connaissances sur les PFP, produites par les centres de recherche, ne sont pas appliquées aux enseignants dans le contexte de l’école. Les objectifs de cet article sont donc d’examiner le concept de PBE dans le contexte de la recherche en éducation spécialisée et autisme et d’identifier les facteurs qui interfèrent dans la mobilisation des connaissances. Comme alternative, un modèle théorique-explicatif de transposition de connaissances des murs de l’académie à l’école est proposé. 

Éducation Spéciale, Autisme, Pratiques Fondées Sur des Preuves

 

Educación especial y autismo: de las prácticas basadas en evidencias a la escuela 

La literatura viene registrando en los últimos años, un aumento expresivo del ingreso de alumnos con autismo en las clases comunes. Entre las competencias docentes esenciales para lidiar con esa demanda, se encuentra el conocimiento sobre Prácticas Basadas en Evidencias (PBE), definidas como estrategias de intervención científicamente eficaces. Se señala que el conocimiento sobre las PBE, producido por universidades y centros de investigación, no se traspone a los profesores en el ámbito escolar. Así, los objetivos de este artículo son revisar el concepto de las PBE en el contexto de las investigaciones en Educación Especial y autismo, así como identificar factores que interfieren en la movilización del conocimiento. Como alternativa, se propone un modelo teórico-explicativo de transposición del conocimiento científico desde los muros de la academia hasta el piso de la escuela.

 

Educación Especial, Autismo, Prácticas Basadas en Evidencias


Palavras-chave


Educação Especial, Autismo, Práticas Baseadas em Evidências

Texto completo:

PDF pdf inglês

Referências


ALMEIDA, P. C. A.; BIAJONE, J. Saberes docentes e formação inicial de professores: implicações e desafios para as propostas de formação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 33, n. 2, p. 281-29, maio/ago. 2007.

AZEVEDO. M. O. Práticas pedagógicas desenvolvidas com alunos com transtorno do espectro autista na escola regular: uma revisão integrativa da literatura. 2017. 153 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

BAIO, J. et al. Prevalence of autism spectrum disorder among children aged 8 years – autism and developmental disabilities monitoring network, 11 sites, United States, 2014. Surveillance Summaries, v. 67, n. SS-6, p. 1-23, 2018. http://dx.doi.org/10.15585/mmwr.ss6706a1External

BARBERINI, K. Y. A escolarização do autista no ensino regular e as práticas pedagógicas. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 46-55, jun. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB n. 2, de 11 de setembro de 2001. Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pdf. Acesso em: 24 jun. 2019. BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução n. 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, Brasília, 9 abr. 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP n. 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Brasília, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf. Acesso em: 24 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução n. 4, de 2 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Brasília, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf. Acesso em: 24 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Saberes e práticas da inclusão. Dificuldades acentuadas de aprendizagem: autismo. Brasília: MEC, Seesp, 2003. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me000436.pdf. Acesso em: 11 set. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf. Acesso em: 24 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Nota Técnica n. 24/2013/MEC/SECADI/DPE. Orientação aos Sistemas de Ensino para a implementação da Lei nº 12.764/2012. Brasília, 2013.

CHASSON, G. S.; HARRIS, G. E.; NEELY, W. J. Cost comparison of early intensive behavioral intervention and special education for children with autism. Journal of Child and Family Studies, v. 16, p. 401-413, 2007.

COUNCIL FOR EXCEPTIONAL CHILDREN. What every special educator must know: ethics, standards, and guidelines for special education. Arlington, VA: Council for Exceptional Children, 2009.

DAWSON, G.; ROGERS, S. J.; MUNSON, J.; SMITH, M.; WINTER, J.; GREENSON, J.; DONALDSON, A.; VARLEY, J. Randomized, controlled trial of an intervention for toddlers with autism: The Early Start Denver Model. Pediatrics, v. 125, n. 1, p. 17-23, 2010.

DINGFELDER, H. E.; MANDELL, D. Bridging the research-to-practice gap in autism intervention: an application of diffusion of innovation theory. Journal of Autism and Developmental Disorders, v. 41, n. 5, p. 597-609, 2011.

FENSTERMACHER, G. The knower and the known: the nature of knowledge in research on teaching. Review of Research in Education, v. 20, n. 1, p. 3-56, 1994.

FONSECA-JANES, C. R. X.; SILVA JR., C. A.; OLIVEIRA, A. A. S. Pedagogia, educação especial e educação inclusiva na UNESP: história e trajetória. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n. 55, p. 985-1008, dez. 2013.

GREEN, V. A.; PITUCH, K. A.; ITCHON, J.; CHOI, A.; O’REILLY, M.; IGAFOOS, J. Internet survey of treatments used by parents of children with autism. Research in Developmental Disabilities, v. 27, n. 1, p. 70-84, 2006.

GULDBERG, K. Evidence-based practice in autism educational research: can we bridge the research and practice gap? Oxford Review of Education, v. 43, n. 2, p. 149-161, 2016.

HEMPENSTALL, K. What does evidence-based practice in education mean? Australian Journal of Learning Disabilities, v. 11, n. 2, p. 83-92, 2006.

JESTE, S. S.; TUCHMAN, R. Autism spectrum disorder and epilepsy: two sides of the same coin? Journal of Child Neurology, v. 30, n. 14, p. 1963-1971, 2015.

JESUS, D. A. D.; GERMANO, J. A importância do planejamento e da rotina na educação infantil. In: JORNADA DE DIDÁTICA, 2.; SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CEMAD, 1., 2013, Londrina. Anais [...]. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2013. p. 29-40.

KELLY, M. P.; TENNANT, L.; AL-HASSAN, S. Autism treatments used by parents in Abu Dhabi, United Arab Emirates. Austin Journal of Autism & Related Disabilities, v. 2, n. 3, 2016.

KOHANE, I. S.; MCMURRY, A.; WEBER, G.; MACFADDEN, D.; RAPPAPORT, L.; KUNKEL, L.; CHURCHILL, S. The co-morbidity burden of children and young adults with autism spectrum disorders. PLoS ONE, v. 7, n. 4, p. e33224, 2012.

LEON, V. Estudo das propriedades psicométricas do perfil psicoeducacional PEP-R: elaboração da versão brasileira. 2002. 122 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia do Desenvolvimento) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2002.

LUBAS, M.; MITCHEL, J.; DE LEO, G. Evidence-based practice for teachers of children with autism: a dynamic approach. Intervention in School and Clinic, v. 51, n. 3, p. 188-193, 2016.

MESIBOV, G. B.; SHEA, V.; SCHOPLER, E. The TEACCH approach to autism spectrum disorders. New York: Springer, 2005.

MICHELS, M. H. O que há de novo na formação de professores para a educação especial? Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 24, n. 40, p. 219-232, maio/ago. 2011. DOI 10.5902/1984686X2668. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/2668. Acesso em: 25 mar. 2019.

MILTON, D. So what exactly are autism interventions intervening with? Good Autism Practice, v. 15, n. 2, p. 6-14, 2014.

MORAIS, A. G.; LEAL, T.; ALBUQUERQUE, E. B. C. “Provinha Brasil”: monitoramento de aprendizagens e formulação de políticas educacionais. Revista Brasileira de Política e Avaliação da Educação, Recife, v. 25, n. 2, p. 301-320, maio/ago. 2009.

NATIONAL AUTISM CENTER – NAC. National standards project: addressing the need for evidence-based practice guidelines for autism spectrum disorder. Findings and conclusions, 2009. Disponível em: https://www.nationalautismcenter.org/reports/. Acesso em 24 jun. 2019.

NACARATO, A. M. A parceria universidade-escola: utopia ou possibilidade de formação continuada no âmbito das políticas públicas? Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 21, n. 66, p. 699-716, 2016.

NASCIMENTO, F. F.; CRUZ, M. M.; BRAUN, P. Escolarização de pessoas com transtorno do espectro do autismo a partir da análise da produção científica disponível na SciELO Brasil (2005-2015). Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 25, n. 125, 2016.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL – NRC. Educating children with autism. Washington, DC: National Academy Press, 2001.

NUNES, D. R. P. Teoria, pesquisa e prática em educação: a formação do professor-pesquisador. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 34, n. 1, p. 97-107, jan./abr. 2008.

NUNES, D. R. P.; AZEVEDO, M. Q. O.; SCHMIDT, C. Inclusão educacional de pessoas com autismo no Brasil: uma revisão da literatura. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 26, n. 47, p. 557-572, set./dez. 2013.

NUNES, D. R. P.; WALTER, E. C. Processos de leitura em educandos com autismo: um estudo de revisão. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 22, n. 4, p. 619-632, out./dez. 2016.

OLIVEIRA, J. B. Cartilhas de alfabetização: a redescoberta do Código Alfabético. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n. 69, p. 669-709, out./dez. 2010.

PASIAN, M. S.; MENDES, E. G.; CIA, F. Atendimento educacional especializado: aspectos da formação do professor. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 165, p. 964-981, jul./set. 2017.

REICHOW. B.; VOLKMAR, F. R.; CICCHETTI, D. V. Development of the evaluative method for evaluating and determining evidence-based practices in autism. Journal of Autism and Developmental Disorders, v. 38, n. 7, p. 1311-1319, 2008.

ROGERS, E. Diffusion of innovations. 5. ed. New York: The Free Press, 2003.

SAMPAIO, A. A. S.; AZEVEDO, F. H. B.; CARDOSO, L. R. D.; LIMA, C.; PEREIRA, M. B. R.; ANDERY, M. A. P. A. Uma introdução aos delineamentos experimentais de sujeito único. Interação em Psicologia, Curitiba, v. 12, n. 1, p. 151-164, jan./jun. 2008.

SCHLOSSER, R.; WENDT, O. Augmentative and alternative communication intervention for children with autism. In: LUISELLI, J. K.; RUSSO, D. C.; CHRISTIAN, W. P.; WILCZYNSKI, S. M. (org.). Effective practices for children with autism: educational and behavioral support interventions that work. New York: Oxford University Press, 2008. p. 325-389.

SCHMIDT, C.; NUNES, D. R. P.; PEREIRA, D. M.; OLIVEIRA, V. F.; NUERNBERG, A. H.; KUBASKI, C. Inclusão escolar e autismo: uma análise da percepção docente e práticas pedagógicas. Revista Psicologia: Teoria e Prática, v. 17, n. 3, p. 222-235, jan./abr. 2016.

SCOTTISH INTERCOLLEGIATE GUIDELINES NETWORK. Assessment, diagnosis and clinical interventions for children and young people with autism spectrum disorders: a national clinical guideline. 2007. Disponível em: http://www.sign.ac.uk/. Acesso em: 22 mar. 2017.

SEABRA, A.; DIAS, N. Métodos de alfabetização: delimitação de procedimentos e considerações para uma prática eficaz. Revista de Psicopedagogia, São Paulo, v. 28, n. 87, p. 306-320, 2011.

SHIMIZU, V. T.; MIRANDA, M. C. Processamento sensorial na criança com TDAH: uma revisão da literatura. Revista de Psicopedagogia, São Paulo, v. 29, n. 89, p. 256-268, 2012.

SHULMAN, L. S. Toward a pedagogy of cases. In: SHULMAN, J. H. (ed.). Case methods in teacher education. New York: Teachers College Press, 1992. p. 1-30.

SHULMAN, L. S. Knowledge and teaching: foundations of the new reform. Harvard Educational Review, v. 57, n. 1, p. 1-23, 1987.

SHULMAN, L. S. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, v. 15, n. 2, p. 4-14, 1986.

SIMPSON, R. L. Evidence-based practices and students with autism spectrum disorders. Focus on Autism and Other Developmental Disabilities, v. 20, n. 3, p. 140-149, 2005.

STAHMER, A. C.; REED, S.; LEE, E.; REISINGER, E. M.; CONNELL, J. E.; MANDELL, D. S. Training teachers to use evidence-based practices for autism: examining procedural implementation fidelity. Psychology in the Schools, v. 52, n. 2, p. 181-195, 2015.

STRAIN, P. S.; BOVEY, E. LEAP preschool. In: HANDLEMAN, J.; HARRIS, S. (ed.). Preschool education programs for children with autism. Austin: Pro-Ed, 2008. p. 249-2008.

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 13, n. 5, p. 5-24, 2000.

TARDIF, M.; MOSCOSO, J. A noção de “profissional reflexivo” na educação: atualidade, usos e limites. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 48, n. 168, p. 388-411, abr./jun. 2018.

THOMPSON, T. Individualized autism intervention for young children: blending discrete trial and naturalistic strategies. Baltimore, MD: Paul H. Brookes, 2011.

VISMARA, L. A.; BOGIN, J. Steps for implementation: pivotal response training. Sacramento, CA: The National Professional Development Center on Autism Spectrum Disorders, The MIND Institute, The University of California at Davis School of Medicine, 2009.

WONG, C.; ODOM, S. L.; HUME, K. A.; COX, A. W.; FETTIG, A.; KUCHARCZYK, S.; SCHULTZ, T. R. Evidence-based practices for children, youth, and young adults with autism spectrum disorder: a comprehensive review. Journal of Autism and Developmental Disorders, v. 45, n. 7, p. 1951-1966, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Financiadores: