Redes sociais no acompanhamento de egressos do ensino médio integrado: oportunidades e limitações

Autores

  • Deliane Gomes Botelho Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), Uberaba-MG, Brasil http://orcid.org/0000-0002-5503-7543
  • Marcelo Ponciano da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), Uberaba-MG, Brasil http://orcid.org/0000-0003-3226-3545
  • Ernani Viriato de Melo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), Uberaba-MG, Brasil http://orcid.org/0000-0002-8450-3478

DOI:

https://doi.org/10.18222/eae.v31i77.6491

Palavras-chave:

Perfil do Egresso, Educação Profissional Integrada, Acompanhamento Profissional.

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar uma pesquisa sobre a viabilidade do uso de dados públicos da rede social Facebook para identificar a trajetória acadêmica e profissional de egressos do ensino médio integrado. Para efeito de comparação do alcance do método na coleta de dados, utilizou-se, também, a aplicação de questionário. O estudo foi realizado com 244 egressos de um instituto federal, dentre os quais 195 foram localizados na rede social e apenas 21 responderam ao questionário. Os resultados demonstraram que o Facebook é uma ferramenta muito interessante para o acompanhamento de egressos: 61% disponibilizaram informações sobre o itinerário formativo e 20% sobre atuação profissional. Entretanto, o uso de questionário ainda se faz necessário para obter a opinião dos egressos.Palavras-chave: Perfil do Egresso, Educação Profissional Integrada, Acompanhamento Profissional. Redes sociales en el acompañamiento de egresados de la enseñanza secundaria integrada: oportunidades y limitacionesEste artículo presenta una investigación que tuvo el objetivo de analizar la viabilidad del uso de datos públicos de la red social Facebook para identificar la trayectoria universitaria y profesional de egresados de la enseñanza secundaria integrada. Se utilizó, también, la aplicación de un cuestionario para comparación del alcance de los dos métodos de recolección de datos. El estudio fue realizado con 244 egresados de un instituto federal. De esos, 195 fueron localizados en la red social y solo 21 respondieron al cuestionario. Los resultados demostraron que el Facebook es muy interesante para el acompañamiento de egresados, 61% de ellos dieron informaciones sobre el itinerario de estudios y 20% sobre actuación profesional. Aun considerando esto, el uso de cuestionario todavía se hace necesario para obtener la opinión de los egresados.Palabras clave: Perfil del Egresado, Enseñanza Profesional Integrada, Acompañamiento Profesional. Social networks in the monitoring of integrated high school graduates: opportunities and limitationsThis article presents a study that aimed to assess the possibility of using public data from the social network Facebook to identify the academic and professional paths of graduates of an integrated high school. A questionnaire was also used to compare the scope of two data collection methods. The study was carried out with 244 graduates from a federal institute. Of these, 195 were found on the social network and only 21 responded to the questionnaire. The results showed that Facebook is very interesting for monitoring graduates, 61% of whom provided information on their education itinerary and 20% on professional performance. However, the use of a questionnaire is still necessary to obtain the graduates’ opinion.Keywords: Graduate Profile, Integrated Professional Education, Professional Monitoring.

Biografia do Autor

Deliane Gomes Botelho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), Uberaba-MG, Brasil

Possui graduação em Administração pela Universidade de Uberaba (2010) e Especialização em Gestão Pública pelas Faculdades Integradas de Jacarepaguá (2012). Atualmente ocupa o cargo de Tecnólogo em Gestão Pública no Instituto Federal do Triângulo Mineiro - Campus Avançado Uberaba Parque Tecnológico. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração. Cursa o Mestrado do Programa de Pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica - ProfEPT, conclusão prevista para agosto de 2020.

Marcelo Ponciano da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), Uberaba-MG, Brasil

Bacharel em Informática Biomédica (2006), Mestre (2009) e Doutor (2014) em Ciências da Computação pela Universidade de São Paulo (USP). É professor efetivo no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), Campus Avançado Uberaba Parque Tecnológico. Coordenador operacional, junto à CAPES, do Programa de Doutorado Interinstitucional entre IFTM-UFU. Tem experiência na área de computação e análise de sistemas. Atua principalmente nos seguintes temas: "Processamento Digital de Imagens" visando classificação e recuperação de imagens por conteúdo, bem como "Sistemas de Apoio à Decisão Médica", "Engenharia de Software e Análise/Modelagem de Sistemas" e "Tecnologias Computacionais Educacionais" promovendo aprendizado criativo através de metodologias ativas de aprendizagem. Desde fev/2018 atua como Diretor Geral do Campus Avançado Uberaba Parque Tecnológico do IFTM.

Ernani Viriato de Melo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), Uberaba-MG, Brasil

Possui graduação em bacharelado em ciência da computação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2002), mestrado (2006) e doutorado (2016) em ciência da computação pela Universidade Federal de Uberlândia. Atualmente é professor no Instituto Federal do Triângulo Mineiro - campus Uberaba Parque Tecnológico. Tem experiência nas seguintes áreas da ciência da computação: engenharia de software, bioinformática, processamento digital de imagens e mineração de dados.

Referências

ALBUQUERQUE, Daniel Medeiros de Noronha; NASCIMENTO, Danilo Alves; MADRUGA, Wagner Luiz; BRITO, Felipe Cardoso; FERRAZ, Maíra Soares. Perfil do aluno concludente do curso de técnico integrado ao médio em agropecuária do IFPI Campus Uruçuí. Revista Somma, Teresina, v. 2, n. 2, p. 102-110, jul./dez. 2016. Disponível em: http://ojs.ifpi.edu.br/revistas/index.php/somma/article/view/137. Acesso em: 23 nov. 2018.

BELL, Judith. Projeto de pesquisa: guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Tradução: Magda França Lopes. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BIANCHI, Lilian Compagnon. Perfil do egresso do curso de administração da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande Do Sul – Campus Santa Rosa. 2016. 100 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Santa Rosa, 2016. Disponível em: https://bibliodigital.unijui.edu.br:8443/xmlui/handle/123456789/3268. Acesso em: 24 nov. 2018.

BRASIL. Lei n. 1.076, 31 de março de 1950. Assegura aos estudantes que concluírem curso de primeiro ciclo do ensino comercial, industrial ou agrícola, o direito à matrícula nos cursos clássico e científico e dá outras providências. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, 12 abr. 1950. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1950-1959/lei-1076-31-marco-1950-363480-publicacaooriginal-1-pl.html#:~:text=Assegura%20aos%20estudantes%20que%20conclu%C3%ADremcient%C3%ADfico%20e%20d%C3%A1%20outras%20provid%C3%AAncias.&text=Fa%C3%A7o%20saber%20que%20o%20CONGRESSOArt. Acesso em: 22 set. 2020.

BRASIL. Lei n. 4.024, 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 27 dez. 1961. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L4024.htm#:~:text=Fixa%20as%20Diretrizes%20e%20Bases%20da%20Educa%C3%A7%C3%A3o%20Nacional.&text=a)%20a%20compreens%C3%A3o%20dos%20direitosgrupos%20que%20comp%C3%B5em%20a%20comunidade%3B&text=%C3%80%20fam%C3%ADlia%20cabe%20escolher%20odeve%20dar%20a%20seus%20filhos. Acesso em: 22 set. 2020.

BRASIL. Lei n. 5.692, de 1971, revogada pela Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 12 ago. 1971. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5692.htm#:~:text=Fixa%20Diretrizes%20e%20Bases%20paragraus%2C%20e%20d%C3%A1%20outras%20provid%C3%AAncias.&text=Art.&text=1%C2%BA%20Para%20efeito%20do%-20quem%C3%A9dio%2C%20o%20de%20segundo%20grau. Acesso em: 22 set. 2020.

BRASIL. Lei n. 7.044, 18 de outubro de 1982, revogada pela Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Altera dispositivos da Lei n. 5.692, de 11 de agosto de 1971, referentes a profissionalização do ensino de 2º grau. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 out. 1982. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7044.htm. Acesso em: 22 set. 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988. Brasília, DF, Senado, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 8 nov. 2018.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 29 out. 2018.

BRASIL. Decreto n. 2.208, 17 de abril de 1997, revogado pelo Decreto n. 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D2208.htm. Acesso em: 22 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais para a educação profissional de nível técnico. Brasília, DF: Programa de Expansão da Educação Profissional, 2000.

BRASIL. Decreto n. 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, 2004a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-006/2004/Decreto/D5154.htm. Acesso em: 15 nov. 2018.

BRASIL. Lei n. 10.861, 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 abr. 2004b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Lei/L10.861.htm#:~:text=1%C2%BA%20Fica%20institu%C3%ADdo%20o%20Sisteman%C2%BA%209.394%2C%20de%2020%20de. Acesso em: 22 set. 2020.

BRASIL. Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 29 dez. 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm. Acesso em: 8 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Catálogo nacional de cursos técnicos. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Relatório anual de análise dos indicadores de gestão das instituições federais de educação profissional, científica e tecnológica. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2017. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/novembro-2017-pdf/77151-relatorio-indicadores-da-rede-federal-2016-pdf/file. Acesso em: 25 nov. 2018.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep. Ideb: Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://inep.gov.br/ideb. Acesso em: 3 nov. 2018.

CARMONA, Raquel. Educação profissional técnica de nível médio em música e perfil do egresso: uma visão atual. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-GRADUANDOS EM MÚSICA, 2., Subárea de Educação Musical, 2012, Rio de Janeiro. Anais […]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2012. p. 542-545. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/simpom/article/download/2475/1804. Acesso em: 22 nov. 2018.

CIAVATTA, Maria. A formação integrada: a escola e o trabalho como lugares de memória e identidade. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (org.). Ensino médio integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005. p. 83-106.

Luiz Antônio. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. São Paulo: Unesp; Brasília: Flacso, 2000.

DIAS, Márcia Rejane Damasceno. A política de monitoramento de egresso no Instituto Federal do Ceará: um estudo de caso no Campus de Caucaia. 2016. 154 f. Dissertação (Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2016. Disponível em: http://www.mestrado.caedufjf.net/a-politica-de-monitoramento-de-egresso-no-instituto-federal-do-ceara-um-estudo-de-caso-no-campus-de-caucaia/. Acesso em: 24 nov. 2018.

ESPARTEL, Lélis Balestrin. O uso da opinião dos egressos como ferramenta de avaliação de cursos: o caso de uma instituição de ensino superior catarinense. Revista Alcance – Eletrônica, Itajaí, SC, v. 16, n. 1, p. 102-114, jan./abr. 2009. Disponível em: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/ra/article/view/1050. Acesso em: 15 nov. 2018.

FACEBOOK. 102 milhões de brasileiros compartilham seus momentos no Facebook todos os meses. 2016. Disponível em: https://pt-br.facebook.com/business/news/102-milhes-de-brasileiros-compartilham-seus-momentos-no-facebook-todos-os-meses. Acesso em: 20 nov. 2018.

FACEBOOK. O que são informações públicas? 2018. Disponível em: https://www.facebook.com/help/203805466323736. Acesso em: 25 nov. 2018.

FERREIRA, Danilo José; RAITZ, Tania Regina; VANZUITA, Alexandre. As trajetórias dos egressos do ensino médio integrado em agropecuária: rumo ao trabalho ou ensino superior? Boletim Técnico do Senac, Rio de Janeiro, v. 42, n. 3, p. 54-75, set./dez. 2016. Disponível em: http://www.bts.senac.br/index.php/bts/article/view/370/351. Acesso em: 20 nov. 2018.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. A gênese do Decreto n. 5.154/2004: um debate no contexto controverso da democracia restrita. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (org.). Ensino médio integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005. p. 21-56.

GAMBARDELLA, Ana Maria Dianezi; FERREIRA, Cláudia Franchi; FRUTUOSO, Maria Fernanda Petroli. Situação profissional de egressos de um curso de nutrição. Revista de Nutrição, Campinas, SP, v. 13, n. 1, p. 37-40, jan./abr. 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rn/v13n1/7921.pdf. Acesso em: 18 nov. 2018.

LIMA, Leonardo Araújo; ANDRIOLA, Wagner Bandeira. Acompanhamento de egressos: subsídios para a avaliação de instituições de ensino superior (IES). Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas, SP; Sorocaba, SP, v. 23, n. 1, p. 104-125, mar. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/aval/v23n1/1982-5765-aval-23-01-00104.pdf. Acesso em: 18 nov. 2018.

MACHADO, Geraldo Ribas. Perfil do egresso da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2010. 338 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/24186. Acesso em: 15 nov. 2018.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MICHAELIS: moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Melhoramentos. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/qualidade/. Acesso em: 31 out. 2018. NARDI, Elton Luiz; SCHNEIDER, Marilda Pasqual. Qualidade na educação básica: entre significações, políticas e indicadores. Revista Educação em Questão, Natal, v. 42, n. 28, p. 227-250, jan./abr. 2012. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/4059/3326. Acesso em: 25 out. 2018.

NASCIMENTO, Manoel Nelito Matheus. Ensino médio no Brasil: determinações históricas. Publicatio UEPG Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas, Linguística, Letras e Artes, Ponta Grossa, PR, v. 15, n. 1, p. 77-87, jun. 2007. Disponível em: https://www.revistas2.uepg.br/index.php/humanas/article/view/594. Acesso em: 9 nov. 2018.

PACHECO, Eliezer. Os institutos federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Natal: Instituto Federal do Rio Grande do Norte, 2011. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/insti_evolucao.pdf. Acesso em: 10 nov. 2018.

PACHECO, Eliezer. Perspectivas da educação profissional técnica de nível médio: proposta de diretrizes curriculares nacionais. São Paulo: Moderna, 2012.

RAMOS, Marise Nogueira. Ensino médio integrado: lutas históricas e resistências em tempos de regressão. In: ARAÚJO, Adilson César; SILVA, Cláudio Nei Nascimento da (org.). Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Instituto Federal de Brasília, 2017. p. 20-43.

RAMOS, Marise Nogueira. Ensino médio na rede federal e nas redes estaduais: por que os estudantes alcançam resultados diferentes nas avaliações de larga escala? HOLOS, Natal, v. 34, n. 2, p. 449-459, jun. 2018. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/6976. Acesso em: 3 maio 2020.

RÊGO, Thaiseany de Freitas; ANDRADE, Erika dos Reis Gusmão. Perfil e campo de atuação profissional dos egressos do curso de ciências contábeis da UFRN. Revista Ambiente Contábil, Natal, v. 2, n. 2, p. 1-17, jul./dez. 2010. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/1323. Acesso em: 19 out. 2018.

SALES, Paula Elizabeth Nogueira; HEIJMANS, Rosemary Dore; SILVA, Carlos Eduardo Guerra. Análise multinível da transição estudantil do curso técnico para o ensino superior. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 28, n. 69, p. 896-925, set./dez. 2017. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/eae/article/view/4095. Acesso em: 28 nov. 2018.

SOUTO, Romélia Mara Alves. Egressos da licenciatura em matemática abandonam o magistério: reflexões sobre profissão e condição docente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 4, p. 1077-1092, out./dez. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000401077&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 20 nov. 2018.

Downloads

Publicado

31-10-2020

Edição

Seção

Artigos