Avaliação emancipatória do ensino médio politécnico: experiências etnográficas na Educação Física

Autores

  • João Luís Coletto da Silva Secretaria Municipal de Educação de Vera Cruz, Vera Cruz-RS, Brasil; Grupo de pesquisa “História, Memórias e Narrativas em Educação” – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
  • Éder da Silva Silveira Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Santa Cruz do Sul-RS, Brasil; Grupo de pesquisa “História, Memórias e Narrativas em Educação” – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

DOI:

https://doi.org/10.18222/eae.v0ix.4950

Palavras-chave:

Avaliação da Aprendizagem, Ensino Médio, Educação Física, Regulação.

Resumo

Propõe-se, neste artigo, analisar experiências de avaliação da Educação Física escolar com a “avaliação emancipatória”, denominação utilizada durante a vigência da reforma curricular ocorrida na rede pública estadual de ensino do Rio Grande do Sul em 2012, e que vigorou até 2016. Trata-se de uma abordagem qualitativa e etnográfica, com utilização de entrevistas, observação participante e análise documental. A pesquisa empírica envolveu o acompanhamento de duas turmas de ensino médio politécnico, de duas diferentes escolas, nas aulas de Educação Física e nos conselhos de classe de um trimestre letivo de 2016. Por meio da triangulação, os dados foram analisados a partir das categorias regulação e emancipação. Distintas tensões e contradições ocorreram nas práticas avaliativas, e também ficou evidente a presença de elementos que as influenciaram no sentido da manutenção da regulação, e não da participação e da emancipação.Palavras-chave: Avaliação da Aprendizagem, Ensino Médio, Educação Física, Regulação. Evaluación emancipatoria de la educación media politécnica: experiencias etnográficas en la Educación FísicaEl artículo se propone analizar experiencias de evaluación de la educación física escolar con la “evaluación emancipatoria”, denominación utilizada durante la vigencia de la reforma curricular ocurrida en la red pública estadual de enseñanza de Rio Grande do Sul en 2012 y que permaneció vigente hasta el año de 2016. Se trata de un enfoque cualitativo y etnográfico, con la utilización de entrevistas, observación participante y análisis documental. La investigación empírica involucró el seguimiento de dos clases de la educación media politécnica de dos distintas escuelas en las clases de Educación Física y en los Consejos de Clase de un trimestre lectivo de 2016. Por medio de la triangulación, los datos se analizaron a partir de las categorías de regulación y emancipación. Distintas tensiones y contradicciones ocurrieron en las prácticas evaluativas, así como quedó evidente la presencia de elementos que las influenciaron en el sentido del mantenimiento de la regulación y no de la participación y la emancipación.Palabras clave: Evaluación del Aprendizaje, Educación Media, Educación Física, Regulación. Emancipatory evaluation of polytechnic high school: ethnographic experiences in Physical EducationThis paper proposes to analyze experiences of evaluating physical education in schools using “emancipatory evaluation”. This denomination was used during the period of curriculum reform in the public education network of Rio Grande do Sul in 2012, and was in force until 2016. It takes a qualitative and ethnographic approach, using interviews, participant observation and document analysis. The empirical research involved following two Polytechnic High School groups, from two different schools, in physical education classes and in the class councils of one academic quarter of 2016. The data were analyzed using triangulation in the categories of regulation and emancipation. Different tensions and contradictions occurred in evaluative practices. The presence of elements that influenced these practices was also evident in the sense of maintaining regulation, and not in participation or emancipation.Keywords: Learning Evaluation, High School, Physical Education, Regulation.  

Biografia do Autor

João Luís Coletto da Silva, Secretaria Municipal de Educação de Vera Cruz, Vera Cruz-RS, Brasil; Grupo de pesquisa “História, Memórias e Narrativas em Educação” – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC); Grupo de pesquisa: História, Memórias e Narrativas em Educação. E-mail: dicoletto@hotmail.com

Éder da Silva Silveira, Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Santa Cruz do Sul-RS, Brasil; Grupo de pesquisa “História, Memórias e Narrativas em Educação” – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

Professor pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de História e Geografia da Universidade de Santa Cruz do Sul – Unisc. Linha de pesquisa: Educação, Trabalho e Emancipação. Grupo de pesquisa: História, Memórias e Narrativas em Educação. Doutor em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, com bolsa PDSE na EHESS de Paris; mestre e pós-doutor em Educação pela PUC-RS.

Referências

ALVES, Aline Aparecida Martini. A reforma educacional do ensino médio politécnico no Rio Grande do Sul: um estudo a partir do contexto da prática. 2014. 140 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2014. Disponível em: <http://www.repositorio. jesuita.org.br/handle/UNISINOS/3673>. Acesso em: 15 out. 2016.

ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.

ARAUJO, Ione dos Santos Canabarro. Implantação do ensino médio politécnico da rede pública do Rio Grande do Sul e a pesquisa na escola: estudo de caso. 2014. 151 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciência e Matemática) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014. Disponível em: <http://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/6779>. Acesso em: 10 jun. 2016.

BARBOSA, Claudio Luís de Alvarenga. Educação física e didática: um diálogo possível. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

BRASIL. Decreto-Lei n. 1.044, de 21 de outubro de 1969. Dispõe sobre tratamento excepcional para os alunos portadores das afecções que indica. Brasília, DF: Presidência da República, 1969.

BRASIL. Lei n. 10.793, de 1 de dezembro de 2003. Altera a redação do art. 26, § 3o, e do art. 92 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que “estabelece as diretrizes e bases da educação nacional”, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2003.

BRASIL. Ministério da Educação. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Orientações curriculares para o ensino médio. v. 1. Brasília, DF: MEC/SEB, 2006.

DARIDO, Suraya Cristina. Educação física. In: BRASIL. Ministério da Educação. PCN + ensino médio. Orientações educacionais complementares aos parâmetros curriculares nacionais: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEB, [200-]. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/ arquivos/pdf/linguagens02.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016.

FONSECA, Denise Grosso da. Educação física no ensino médio: propostas curriculares, prática pedagógica e avaliação. In: BINS, Gabriela Nobre Rodrigo Alberto Lopes; DIEHL, Vera Regina Oliveira (Org.). Educação física na escola: entre demandas curriculares e experiências artesanais. Porto Alegre: UFRGS/Esefid 2016. p. 145-170.

GONZAGA, Jorge Luiz Ayres et al. A prática pedagógica na educação politécnica. In: AZEVEDO, José Clóvis de; REIS, Jonas Tarcísio (Org.). O ensino médio e os desafi da experiência: movimentos da prática. São Paulo: Fundação Santillana, Moderna, 2014. p. 93-114.

GONZÁLEZ, Fernando Jaime; FRAGA, Alex Branco. Referencial curricular de educação física. In: RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Estado da Educação. Departamento Pedagógico. Referenciais curriculares do estado do Rio Grande do Sul: linguagens, códigos e suas tecnologias. Porto Alegre: Seduc/DP, 2009. p. 113-181.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação: mito e desafio – uma perspectiva construtiva. 32. ed. Porto Alegre: Mediação, 2003.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade. 32. ed. Porto Alegre: Mediação, 2012.

HOFFMANN, Jussara. Avaliar para promover: as setas do caminho. 15. ed. Porto Alegre: Mediação, 2014a.

HOFFMANN, Jussara. O jogo contrário em avaliação. 9. ed. Porto Alegre: Mediação, 2014b.

LIMA, Valderez Marina do Rosário; GRILLO, Marlene Correro. Questões sobre avaliação da aprendizagem: a voz dos professores. In: GRILLO, Marlene Correro et al. Por que falar ainda em avaliação? Porto Alegre: EdiPUCRS, 2010. p. 23-34.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 22. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MOSNA, Rosa Maria Pinheiro. Avaliação: paradigmas e paradoxos no âmbito do ensino médio. In: AZEVEDO, José Clóvis de; REIS, Jonas Tarcísio (Org.). Reestruturação do ensino médio: pressupostos teóricos e desafi da prática. São Paulo: Fundação Santillana, Moderna, 2013. p. 219-240.

NEIRA, Marcos Garcia; NUNES, Mário Luiz Ferrari. Educação física, currículo e cultura. São Paulo: Phorte, 2009.

PONTES, Maicon Felipe Pereira. O trabalho docente dos professores de educação física durante a implementação do ensino médio politécnico: um estudo em escolas na rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul. 2015. 150 f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) – Escola de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/140159>. Acesso em: maio 2016.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Estado da Educação. Proposta pedagógica para o ensino médio politécnico e educação profissional integrada ao ensino médio – 2012-2014. Porto Alegre: Seduc, 2011. Disponível em: <http://www.educacao. rs.gov.br/dados/ens_med_regim_padrao_em_Politec_II.pdf>. Acesso em: 23 ago. 2015.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Estado da Educação. Regimento Padrão do Ensino Médio Politécnico. Parecer CEED n. 310/2012. Porto Alegre: Seduc, 2012. Disponível em: <http://servicos.educacao.rs.gov.br/dados/ens_med_regim_ padrao_em_Politec_I.pdf>. Acesso em: dez. 2015.

ROMÃO, José Eustáquio. Avaliação dialógica: desafios e perspectivas. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

SANT’ANNA, Ilza Martins. Por que avaliar? Como avaliar? Critérios e instrumentos. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

SCHERER, Susana Schneid. A implantação da proposta pedagógica de ensino médio politécnico e integrado em uma escola da rede estadual do Rio Grande do Sul. 2014. 240 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Escola Superior de Educação Física, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2014.

SILVA, João Luís Coletto da. A avaliação emancipatória do Ensino Médio Politécnico: um estudo de caso sobre abordagens da educação física escolar. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, RS, 2017.

SILVEIRA, Éder da Silva; PEREIRA, Marcos Villela. Apontamentos sobre necessidades e desafios da formação de professores no ensino médio politécnico do Rio Grande do Sul. In: SEMINÁRIO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O MERCOSUL/CONE SUL. 22, 3 a 7 novembro 2014. Porto Alegre. Anais... Florianópolis: UFSC/Prodegesp, 2017. p. 12-25. Acesso ao Manuscrito.

SILVEIRA, Éder da Silva; PEREIRA, Marcos Villela. O ensino médio politécnico gaúcho: vozes dissonantes sobre a avaliação conceitual e os índices de aprovação/reprovação. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 12, 2015, Curitiba. Anais… Curitiba: EdiPUCPR, 2015. p. 23426-23438.

STAKE, Robert. Investigación com estúdio de casos. Madrid: Morata, 1998.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. 23 reimp. São Paulo: Atlas, 2015.

VIANNA, Rafael Brito. Educação politécnica: as experiências docentes e a reestruturação do ensino médio em duas escolas de Santa Cruz do Sul. 2015. 119 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, 2015. Disponível em: <http://repositorio.unisc.br/jspui/handle/11624/755>. Acesso em: 5 dez. 2016.

Downloads

Publicado

31-08-2018

Edição

Seção

Artigos