O efeito da escola básica brasileira

Autores

  • Renato Júdice de Andrade
  • José Francisco Soares

DOI:

https://doi.org/10.18222/eae194120082067

Palavras-chave:

Escolas, Saeb, Desenvolvimento Cognitivo, Alunos, Qualidade do Ensino, Educação Básica

Resumo

O desempenho cognitivo de um aluno, medido pela sua proficiência em testes padronizados, é fruto de suas opções pessoais, de seus antecedentes sociodemográficos, da estrutura e valores de sua família e da sociedade em que vive e, finalmente, da escola em que estuda. O objetivo deste trabalho é caracterizar, de duas maneiras distintas, o efeito das escolas de educação básica brasileira sobre o desempenho cognitivo de seus alunos. Como existem muitos outros determinantes, o efeito da escola só pode ser isolado e medido com o auxílio de modelos estatísticos que controlam a influência dos outros fatores. Para isto, este trabalho usa os modelos hierárquicos de regressão. O estudo empírico utiliza os dados do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), referentes aos ciclos de 1995, 1997, 1999, 2001 e 2003; da 4a e 8a séries do ensino fundamental e da 3a série do ensino médio, tanto em Matemática como em Língua Portuguesa. Os resultados da pesquisa aqui relatada mostram a existência de escolas, no nosso sistema educacional, com efeito diferenciado e que, portanto, detêm informações sobre a gestão pedagógica de seus recursos humanos e físicos que, se usados em um número maior de escolas, podem melhorar o sistema brasileiro de educação básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Júdice de Andrade

José Francisco Soares

Downloads

Publicado

30-12-2008

Como Citar

ANDRADE, R. J. de; SOARES, J. F. O efeito da escola básica brasileira. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 19, n. 41, p. 379–406, 2008. DOI: 10.18222/eae194120082067. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/eae/article/view/2067. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos