Leitura e escrita na educação infantil: contextos e práticas em diálogo

Autores

  • Maria Fernanda Rezende Nunes Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), Rio de Janeiro (RJ), Brasil
  • Patricia Corsino Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro (RJ), Brasil

Palavras-chave:

Educação Infantil, Leitura, Escrita, Práticas Educativas

Resumo

O artigo analisa relatórios de entrevista e observação de 27 escolas e turmas da pesquisa “Boas práticas de leitura e escrita na educação infantil”, em sete municípios de regiões brasileiras. Boas práticas são aquelas nas quais infância e experiência, educação e cuidado constituem binômios de criação, conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI) 2009. Apresenta-se um perfil das escolas e são analisados os registros de observação segundo as categorias espaços e materiais e interações e interlocuções. Revela-se, nas conclusões, a busca de uma identidade para a educação infantil, na forma dialógica como as professoras escutam e respondem às crianças. Na creche, predominam práticas de cunho lúdico-simbólico, enquanto na pré-escola estas ainda convivem com outras mais diretivas, pautadas em conteúdos relacionados à alfabetização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Fernanda Rezende Nunes, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), Rio de Janeiro (RJ), Brasil

Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1981), mestrado em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1995) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005). É professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNIRIO. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Infantil, atuando principalmente nos seguintes temas: política pública, formação, alfabetização e currículo. Atualmente é bolsista do Programa Jovem Cientista do Nosso Estado (FAPERJ) e representante no comitê científico da Anped do GT 07 (Educação da Criança de 0 a 6 anos). Coordena o grupo de pesquisa Educação Infantil e políticas públicas (EIPP). Professora Titular-Livre em Educação Infantil/UNIRIO

Patricia Corsino, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro (RJ), Brasil

Doutora em Educação pela PUC-Rio(2003), Professora Associada da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRJ, coordenadora adjunta do Laboratório de Estudos de Linguagem, leitura, escrita e educação-LEDUC. Desenvolve projetos de ensino, pesquisas e extensão nas seguintes áreas: infância, linguagem, leitura, escrita, literatura infantil, Educação Infantil.

Referências

ABRAMOWICZ, A.; TEBET, G. G. de C. Educação infantil: um balanço a partir do campo das diferenças. Pro-posições, v. 28, supl. 1, p. 182-203, dez. 2017.

ARAÚJO, V. C. de. O tempo integral na educação infantil: uma virtude pública? Cadernos de Pesquisa em Educação, Vitória, v. 19, n. 42, p. 13-28, jul./dez. 2015.

ANDRADE, E. R.; NUNES, M. F. R.; FARAH NETO, M.; ABRAMOVAY, M. (org.). Perfil dos professores brasileiros: o que fazem, o que pensam, o que almejam... Pesquisa Nacional Unesco. São Paulo: Moderna, 2004.

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1997.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1992.

BONDIOLI, A.; MANTOVANI, S. Manual de educação infantil: de 0 a 3 anos. Porto Alegre: Artmed, 1998.

BOURDIEU, P. O senso prático. Petrópolis: Vozes, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Política de Educação Infantil: proposta. Brasília: MEC/SEF/Coedi, 1993.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução no 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Contribuições para a política nacional: a avaliação em educação infantil a partir da avaliação de contexto. Curitiba: Imprensa/UFPR; Brasília: MEC/SEB/Coedi, 2015.

CAMPOS, M. M. Educar e cuidar: questões sobre o perfil do profissional da educação infantil. In: BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Por uma política de formação do profissional da educação infantil. Brasília: MEC/SEF/DPE/Coedi, 1994.

CAMPOS, M. M. Entre as políticas de qualidade e a qualidade das práticas. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 148, p. 22-43, jan./abr. 2013.

CAMPOS; M. M.; CRUZ, S. H. V. Consulta sobre a qualidade na educação infantil: o que pensam e querem os sujeitos deste direito. São Paulo: Cortez, 2006.

CORSINO, P. Infância, linguagem e letramento: educação infantil na rede municipal de ensino do Rio de Janeiro. 2003. 300 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2003.

CORSINO, P.; GUIMARÃES, D. O. Contrastes e deslocamentos na experiência com instrumentos italianos de avaliação de contexto numa instituição da rede municipal de ensino da cidade do Rio de Janeiro. RELAdEI – Revista Latino Americana de Educación Infantil, v. 6, n. 1-2 Evaluación de Contextos en Educación Infantil, p. 71-81, enero/jun. 2017.

FANFANI, E. T. Consideraciones sociologicas sobre profesionalización docente. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 99, p. 335-353, maio/ago. 2007.

FREIRE, M. A paixão de conhecer o mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

KRAMER, S.; NUNES, M. F.; CORSINO, P. Infância e crianças de 6 anos: desafios das transições na educação infantil e no ensino fundamental. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 69-85, jan./abr. 2011.

MOSS, P. Qual o futuro da relação entre educação infantil e ensino obrigatório? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 142, p.142-159, jan./abr. 2011.

RICHTER, A. C.; VAZ, A. F. Momentos do parque em uma rotina de educação infantil: corpo, consumo, barbárie. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 3, p. 673-684, dez. 2010.

ROSEMBERG, F. Políticas públicas e qualidade da educação infantil. In: ARTES, A.; UNBEHAUM, S. Escritos de Fúlvia Rosemberg. São Paulo: Cortez, 2015.

SOUZA, G. de; MORO, C.; COUTINHO, A. S. (org.). Formação da rede em educação infantil: avaliação de contexto. Curitiba: Appris, 2015. v. 1.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VOLOCHÍNOV, V. N. Palavra na vida e a palavra na poesia: introdução ao problema de poética sociológica. In: VOLOCHÍNOV, V. N. A construção da enunciação e outros ensaios. São Carlos: Pedro & João, 2013. p. 71-100.

Publicado

29-04-2021

Como Citar

Nunes, M. F. R., & Corsino, P. (2021). Leitura e escrita na educação infantil: contextos e práticas em diálogo. Cadernos De Pesquisa, 49(174), 100–126. Recuperado de https://publicacoes.fcc.org.br/cp/article/view/6109

Edição

Seção

Tema em Destaque