Avaliação de um programa de tutoria por pares na perspectiva da educação inclusiva

Autores

Palavras-chave:

Educação especial, Deficiência intelectual, Tutoria por pares, Inclusão

Resumo

 O objetivo do estudo foi propor um programa de Tutoria por Pares, no ensino fundamental – anos finais, e verificar sua influência na participação de um aluno público-alvo da educação especial (PAEE). Participaram um aluno PAEE, três alunos tutores, um professor de Língua Portuguesa e um de Matemática. A coleta de dados envolveu cinco sessões de observações iniciais, trinta contínuas, oito reuniões de tutoria e seis entrevistas iniciais e finais. Utilizou-se a técnica de análise de conteúdo para o tratamento dos dados. Evidenciou-se que a Tutoria por Pares contribuiu para a inclusão do aluno com deficiência intelectual no âmbito das interações e na sua capacidade de resposta às atividades em sala, o que culminou no aumento da sua participação e melhoras acadêmicas e sociais.

Biografia do Autor

Kéren-Hapuque Cabral de Marins, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos (SP), Brasil

Programa de Pós Graduação em Educação Especial (PPGEEs)    

Gerusa Ferreira Lourenço, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos (SP), Brasils

Programa de Pós Graduação em Educação Especial (PPGEEs)

Referências

Almeida, M. A. (org.). (2012). Deficiência intelectual: Realidade e ação. Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. http://cape.edunet.sp.gov.br/textos/textos/Livro%20DI.pdf

Arguis, R., Arnaiz, P., Báez, C., Ben, M. Á. de, Diaz, F. D., Diez, M. C., Ulzurrun, A. D. de, Dorio, I., Escardíbul, S., Ferrero, J., Soler, R. G., Navarro, M. G., Rica, T. L. de L., Lorenzo, M. L., Martinez, E., Perdiguero, I. M., Masegosa, A., Medina, Â., Montesinos, C., Moncayo, A. N., Notó, F., Novella, A., Puig, J. M., Ricart, C., Senent, M. L., & Vicente. A. (2002). Tutoria: Com a palavra, o aluno (Inovação Pedagógica, Vol. 6). F. Murad, Trad. Artmed.

Bardin, L. (2010). Análise de conteúdo (4a ed.). Edições 70.

Baudrit, A. (2009). A tutoria: Riqueza de um método pedagógico. Porto Editora.

Bowmann-Perrott, L., Davis, H., Vannest, K., Williams, L., Greenwood, C. R., & Parker, R. (2013). Academic benefits of peer tutoring: A meta-analytic review of single-case research. School Psychology Review, 42(1), 39-55. https://eric.ed.gov/?id=EJ1007216

Decreto n. 7.611, de 17 de novembro de 2011. (2011). Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Casa Civil. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011- 2014/2011/decreto/d7611.htm

Duran, D., & Vidal, V. (2007). Tutoria: Aprendizagem entre iguais. E. Rosa, Trad. Artmed.

Fernandes, W. L., & Costa, C. S. L. da. (2015). Possibilidades da tutoria de pares para estudantes com deficiência visual no ensino técnico e superior. Revista Brasileira de Educação Especial, 21(1), 39-56. http://www.scielo.br/pdf/rbee/v21n1/1413-6538-rbee-21-01-00039.pdf

Firmiano, E. P. (2011). Aprendizagem cooperativa na sala de aula. Programa de Educação em Células Cooperativas – Prece, 47 p.

Fulk, B. M., & King, K. (2001). Classwide Peer Tutoring at Work. Teaching Exceptional Children, 34, 49-53. https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/004005990103400207

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social (6a ed.). Atlas.

Hoot, B., Walker, J., & Sahni, J. (2012). Peer tutoring. Council for Learning Disabilities. https://council-for-learning-disabilities.org/wp-content/uploads/2013/11/Peer-Tutoring.pdf

Jannuzzi, G. M. (2012). A educação do deficiente no Brasil: Dos primórdios ao início do século XXI (3a ed.). Autores Associados.

Lei n. 13.146, de 6 de julho de 2015. (2015). Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Presidência da República. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm

Marconi, M. de A., & Lakatos, E. M. (2003). Fundamentos da metodologia científica (5a ed.). Atlas.

Mosca, A., & Santiviago, C. (2013). Tutorías de estudiantes: Tutorías entre pares. Universidad de la República Uruguay. Comisión Sectorial de Enseñanza. http://www2.compromisoeducativo.edu.uy/sitio/wp-content/uploads/2013/10/libro_tutorias.pdf

Orlando, P. d’A. (2010). O colega tutor de alunos com deficiência visual nas aulas de educação física [Dissertação de mestrado]. Universidade Federal de São Carlos.

Pereira, H. M. C. (2018). O impacto da tutoria de pares nas competências de leitura de uma aluna com paralisia cerebral [Dissertação de mestrado]. Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico de Coimbra. https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/23160/2/HERMINIA_PEREIRA.pdf

Ramos, F. S., Bittencourt, D. F. C. D., Camargo, S. P. H., & Schmidt, C. (2018). Intervenção mediada por pares: Implicações para a pesquisa e as práticas pedagógicas de professores com alunos com autismo. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, 26(23), 1-24.

Resolução SE-30, de 10 de julho de 2017. (2017). Conselho Nacional de Educação. Diário Oficial do Estado de São Paulo. http://siau.edunet.sp.gov.br/ItemLise/arquivos/30_17.HTM?Time=23/08/2017%20 08:58:26

Souza, J. V., Munster, M. V., Leiberman, L., & Costa, M.P. R. (2017). Programa de formação de colegas tutores: A tutoria no processo de inclusão escolar nas aulas de educação física. Práxis Educativa, 12(2), 373-394.

Topping, K. J. (2005). Trends in peer learning. Educational Psychology, 25(6), 631-645.

https://www. tandfonline.com/doi/abs/10.1080/01443410500345172

Publicado

15-07-2021

Edição

Seção

Educação Básica, Cultura, Currículo