Uma matriz de (auto)avaliação da internacionalização do ensino superior no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18222/eae.v31i78.7381

Palavras-chave:

Internacionalização da Educação , Avaliação da Educação , Métodos de Autoavaliação

Resumo

O estudo apresenta uma proposta de matriz de (auto)avaliação do processo de internacionalização de instituições de ensino superior, pilotada em uma universidade federal brasileira. A matriz engloba 86 indicadores, distribuídos nos três pilares da universidade, a saber, nas dimensões Ensino, Pesquisa e Extensão, analisadas em relação às categorias Política Linguística, Mobilidade Acadêmica e Internacionalização em Casa, sugerindo três possíveis classificações: Internacionalizada, Engajada e Emergente. Os resultados da análise da matriz sugerem que ela representa uma contribuição relevante para a (auto)avaliação das instituições de ensino superior brasileiras como um instrumento unificado pertinente de (auto)avaliação da internacionalização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Brito Amorim, Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Vitória-ES, Brasil

Núcleo de Línguas, Departamento de Língua Inglesa.

Kyria Rebeca Finardi, Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Vitória-ES, Brasil

Departamento de Linguagens, Cultura e Educação.

Referências

ABBA, Maria Julieta; STRECK, Danilo R. Interculturality and internationalization. SFU Educational Review, v. 12, n. 3, p. 110-126, 2019.

AMORIM, Gabriel Brito. A internacionalização do ensino superior no Brasil: uma proposta de matriz multidimensional de (auto)avaliação. 2020. 145 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2020.

AMORIM, Gabriel Brito; FINARDI, Kyria Rebeca. Globalização e internacionalização do ensino superior: evidências de um estudo de caso nos níveis micro, meso e macro. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas; Sorocaba, v. 3, n. 2, p. 614-632, set./dez. 2017.

BAUMVOL, Laura Knijnik. Advancing internationalization at home from different roles. SFU Educational Review, v. 12, n. 3, p. 48-53, 2019.

BAUMVOL, Laura Knijnik; SARMENTO, Simone. A internacionalização em casa e o uso de inglês como meio de instrução. In: BECK, Magali Sperling; MARTINS, Maria Lúcia Milléo; HEBERLE, Viviane (org.). Echoes: further reflections on language and literature. Florianópolis: EdUFSC, 2016. p. 65-82.

BLOMMAERT, Jan. The sociolinguistics of globalization: Cambridge approaches to language contact. Nova York: Cambridge University Press, 2010.

BLOMMAERT, Jan. Citizenship, language, and superdiversity: towards complexity. Journal of Language, Identity & Education, v. 12, n. 3, p. 193-196, 2013.

BOTTENTUIT JUNIOR, João Batista. Concepção, avaliação e dinamização de um portal educacional de WebQuests em língua portuguesa. 2011. Tese (Doutorado em Ciências da Educação) – Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2011.

BRANDENBURG, Uwe; DE WIT, Hans. The end of internationalisation. International Higher Education, n. 62, p. 15-17, 2011.

CAPES. Programa Institucional de Internacionalização – Capes-PrInt Edital 41/2017. Brasília: Ministério da Educação, 2017a. Disponível em: https://www1.capes.gov.br/images/stories/download/editais/10112017-Edital-41-2017-Internacionalizacao-PrInt-2.pdf. Acesso em: dez. 2020.

CAPES. Regulamento Quadrienal de Programas de Pós-Graduação da Capes, Portaria n. 59 de 21 de Março de 2017. Brasília: Ministério da Educação, 2017b. Disponível em: https://uab.capes.gov.br/images/stories/download/avaliacao/27032017-Portaria-59-21-03-2017-Regulamento-da-Avaliacao-Quadrienal.pdf. Acesso em: dez. 2020.

COOMBE, Christine A.; FOLSE, Keith S.; HUBLEY, Nancy J. A practical guide to assessing English language learners. Ann Arbor, MI: University of Michigan Press, 2007.

COUTINHO, Clara P.; CHAVES, José Henrique. Investigação em tecnologia educativa na Universidade do Minho: uma abordagem temática e metodológica às dissertações de mestrado concluídas nos cursos de mestrado em educação. In: ESTRELA, Albano; FERREIRA, Júlia (org.). Tecnologias em educação: estudos e investigações: actas do Colóquio AFIRSE/AIPELF, 10., Lisboa, Portugal, 2001. p. 289-302.

DE WIT, Hans. Internationalization in higher education, a critical review. SFU Educational Review, v. 12, n. 3, p. 9-17, 2019.

FAUBAI. Guide to English as medium of instruction in Brazilian higher education institutions, 2016. Disponível em: https://www.britishcouncil.org.br/sites/default/files/guide_brazilian_highered_courses_inenglish.pdf. Acesso em: dez. 2020.

FAUBAI. Orientações para a elaboração de políticas linguísticas para a internacionalização do ensino superior, 2017. Disponível em: http://faubai.org.br/pt-br/wp-content/uploads/2019/01/Documento-do-GT-de-Pol%C3%ADticas-Lingu%C3%ADsticas-da-FAUBAI.pdf. Acesso em: 12 maio 2020.

FAUBAI. Guide to English as medium of instruction in brazilian higher education institutions 2018-2019, 2018. Disponível em: http://faubai.org.br/britishcouncilfaubaiguide2018.pdf. Acesso em: 12 maio 2020.

FINARDI, Kyria Rebeca. What Brazil can learn from Multilingual Switzerland and its use of English as a multilingua franca. Acta Scientiarum. Language and Culture, Maringá, PR, v. 39, n. 2, p. 219-228, abr./jun. 2017.

FINARDI, Kyria Rebeca; ARCHANJO, Renata. Washback effects of the Science without Borders, English without Borders and Language without Borders programs in Brazilian language policies and rights. In: SIINER, Maarja; HULT, Francis M.; KUPISCH, Tanja (ed.). Language policy and language acquisition planning. Cham: Springer, 2018. p. 173-185.

FINARDI, Kyria Rebeca; CSILLAGH, Virag. Globalization and linguistic diversity in Switzerland: insights from the roles of national languages and English as a foreign language. In: GRUCZA, Sambor; OLPISKA, Magdalena; ROMANOWSKI, Piotr (org.). Advances in understanding multilingualism. Frankfurt am Main; Warsaw: Peter Lang GmbH; International Academic Publishers, 2016, v. 24. p. 41-56.

FINARDI, Kyria Rebeca; GUIMARÃES, Felipe. Internacionalização, rankings e publicações em inglês: a situação do Brasil na atualidade. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 28, n. 68, p. 600-626, maio/ago. 2017.

FINARDI, Kyria Rebeca; GUIMARÃES, Felipe; AMORIM, Gabriel; PICCIN, Gabriela. Internationalization and language policies in Brazil: quality and assessment evidence from from a glocal proposal. In: CALVO, Luciana C. S.; EL KADRI, Michele S.; PASSONI, Taisa (org.). Language policies and internationalization of higher education institutions in Brazil: Contributions from applied Linguists. 1. ed. Campinas, SP: Pontes, 2020.

FINARDI, Kyria Rebeca; ORTIZ, Ramon A. Globalization, internationalization and education: What is the connection? IJAEDU: International e-Journal of Advances in Education, v. 1, n. 1, p. 18-25, 2015.

FINARDI, Kyria Rebeca; SANTOS, Jane M.; GUIMARÃES, Felipe. A relação entre línguas estrangeiras e o processo de internacionalização: evidências da coordenação de letramento internacional de uma universidade federal. Interfaces Brasil/Canadá: Revista Brasileira de Estudos Canadenses, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 233-255, 2016.

FOSKETT, Nick. Global markets, national challenges, local strategies: the strategic challenge of internationalization. In: MARINGE, Felix; FOSKETT, Nick. Globalization and internationalization in higher education: Theoretical, strategic and management perspectives. Londres: Continuum International Publishing Group, 2010. p. 36-50.

GUIMARÃES, Felipe Furtado. Internacionalização e multilinguismo: uma proposta de política linguística para universidades federais. 2020. 256 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2020.

GUIMARÃES, Felipe F.; FINARDI, Kyria R. Interculturalidade, internacionalização e intercompreensão: qual a relação? Ilha do Desterro, Florianópolis, v. 71, n. 3, p. 15-37, 2018.

HILDEBLANDO JÚNIOR, Carlos A.; FINARDI, Kyria Rebeca. Internationalization and virtual collaboration: Insights from COIL experiences. Ensino em Foco, Salvador, v. 1, n. 2, p. 19-33, 2018.

KNIGHT, Jane. Updating the definition of internationalization. International Higher Education: The Boston College Center for International Higher Education, Boston, n. 33, p. 2-3, 2003.

KNIGHT, Jane. Internationalization remodeled: Definition, approaches, and rationales. Journal of Studies in International Education, v. 8, n. 1, p. 5-31, 2004.

LIMA, Manolita C.; MARANHÃO, Carolina M. S. de A. O sistema de educação superior mundial: entre a internacionalização ativa e passiva. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas; Sorocaba, v. 14, n. 3, p. 583-610, 2009.

MOROSINI, Marília Costa. Internacionalização na produção de conhecimento em IES brasileiras: cooperação internacional tradicional e cooperação internacional horizontal. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 27, n. 1, p. 93-112, 2011.

RAMOS, Milena Yumi. Internacionalização da pós-graduação no Brasil: lógica e mecanismos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 44, p. 1-22, 2018.

RAUPP, Magdala; REICHLE, Adriana. Avaliação: ferramenta para melhores projetos. Santa Cruz do Sul, RS: Edunisc, 2003.

RICHEY, Rita T.; KLEIN, James D.; NELSON, Wayne A. developmental research studies of instructional design and development. In: JONASSEN, David H. (ed.). Handbook of research for educational communications and technology. New Jersey: Taylor & Francis, 2001. p. 1099-1130. Disponível em: http://www.aect.org/edtech/ed1/41.pdf. Acesso em: jul. 2016.

RUMBLEY, Laura E. “Intelligent internationalization”: A 21st century imperative. International Higher Education, Chestnut Hill, MA, n. 80, p. 16-17, 2015.

SANTOS, Boaventura S. A universidade do século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

SELASI, Taiye. Don’t ask me where I’m from, ask me where I’m a local. TED Global, Oct. 2014. Disponível em: https://www.ted.com/talks/taiye_selasi_don_t_ask_where_i_m_from_ask_where_i_m_a_local. Acesso em: dez. 2020.

STRECK, Danilo R.; ABBA, Maria Julieta. Internacionalização da educação superior e herança colonial na América Latina. In: KORSUNSKY, Lionel; DEL VALLE, Damián; MIRANDA, Estela; SUASNÁBAR, Claudio (comp.). Internacionalización y producción de conocimiento: el aporte de las redes académicas. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: IEC – CONADU; CLACSO, 2018. p. 113-131.

STUFFLEBEAM, Daniel L. Evaluation as enlightenment for decision-making. Columbus, OH: Ohio State University, 1968.

STUFFLEBEAM, Daniel L. The relevance of the CIPP evaluation model for educational accountability. Columbus, OH: Ohio State University, 1971.

VAN DEN AKKER, Jan. Principles and methods of development research. In: VAN DEN AKKER, Jan; BRANCH, Robert; GUSTAFSON, Kent; NIEVEEN, Nienke; PLOMP, Tjeerd (ed.). Design approaches and tools in education and training. Dordrecht, Netherlands: Kluwer Academic Publisher, 1999. p. 1-14.

VAN DEN AKKER, Jan; GRAVEMEIJER, Koeno; MCKENNY, Susan; NIEVEEN, Nienke. Introducing educational design research. In: VAN DEN AKKER, Jan; GRAVERMEIJER, Koeno; MCKENNY, Susan; NIEVEEN, Nienke. Educational design research. New York: Routledge, 2006. p. 1-8.

VAN DER MAREN, Jean-Marie. Méthodes de recherche pour l’éducation. 2. ed. Bruxelles: DeBoeck Université, 1996. (Collection Méthodes en Sciences Humaines).

Downloads

Publicado

18-03-2021

Como Citar

AMORIM, G. B.; FINARDI, K. R. Uma matriz de (auto)avaliação da internacionalização do ensino superior no Brasil. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 31, n. 78, p. 699–722, 2021. DOI: 10.18222/eae.v31i78.7381. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/eae/article/view/7381. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos