Afetividade percebida e sentida: representações de alunos do ensino fundamental

Andréia Osti, Elvira Cristina Martins Tassoni

Resumo


Afetos vividos por alunos no ambiente escolar infl uenciam o processo de aprendizagem. Buscou-se investigar como os estudantes percebem o ambiente da aprendizagem e quais os sentimentos envolvidos na relação com o aprender, bem como mensurar as diferenças de gênero. Participaram 312 alunos do 5º ano do ensino fundamental de três escolas municipais de cidade no interior de São Paulo. Foi aplicada a Técnica de Associação Livre de Palavras e os resultados evidenciam que os meninos têm sentimentos e percepções mais negativas relativas à escola e ao relacionamento com o professor. As meninas têm sentimentos mais positivos e os negativos são direcionados para si. A pesquisa colabora para o campo da formação de professores, ao discutir as relações entre afetividade e cognição.  

Representação, Afetividade, Experiências de Aprendizagem, Relações Interpessoais

 

 Affection perceived and felt: representations of primary education students  

Affections experienced by students in the school environment infl uence learning. This study sought to investigate how students perceive the learning environment and what feelings are involved in the relationship with learning, as well as to measure gender differences. Participants were 312 students from the 5th grade of primary education of three municipal schools in the interior of São Paulo state. The Free Word Association Technique was applied and results show that boys have more negative feelings and perceptions regarding school and the relationship with the teacher. Girls have more positive feelings and negative ones are directed towards themselves. By discussing the relationships between affectivity and cognition, this research contributes to the fi eld of teacher education.  

Representation, Affection, Learning Experience, Interpersonal Relationships  

 

Affectivité perçue et ressentie: représentations des élèves de l’enseignement fondamental  

Les sentiments des élèves dans l’environnement scolaire infl uencent le processus d’apprentissage. Le but de cette recherche est non seulement de comprendre comment les élèves perçoivent leur environnement d’apprentissags et quels sont les sentiments qui jouent un rôle dans le rapport à l’apprentissage, mais aussi de mesurer les différences entre les sexes. 312 élèves en 5e année de l’enseignement fondamental, provenant de trois écoles municipales de la ville de São Paulo, ont participé à cette étude. La technique d’association libre a été appliquée et les résultats montrent que les garçons ont des sentiments et des perceptions plus négatifs concernant l’école et le rapport aux l’enseignants. Les fi lles ont, en général, des sentiments plus positifs, même si elles éprouvent des sentiments négatifs envers elles-mêmes. En abordant la question des rapports entre affectivité et cognition, cette recherche contribue au domaine de la formation des enseignants.  

Representation, Affectivité, Experiences d’Apprentissage, Relations Interpersonnelles 

 

Afectividad percibida y sentida: representaciones de alumnos de enseñanza fundamental 

Los afectos experimentados por los alumnos en el entorno escolar infl uyen en el proceso de aprendizaje. Intentamos investigar cómo los estudiantes perciben el ambiente de aprendizaje y los sentimientos involucrados en la relación con el aprendizaje, así como medir las diferencias de género. Participaron 312 estudiantes del quinto grado de enseñanza fundamental de três escuelas municipales de una ciudad en el interior del estado de São Paulo. Se aplicó la Técnica de Asociación Libre de Palabras y los resultados muestran que los niños tienen sentimentos y percepciones más negativos con respecto a la escuela y a la relación con el profesor. Las niñas tienen sentimientos más positivos y los negativos se dirigen hacia ellas mismas. La investigación contribuye al área de la formación del profesorado al analizar la relación entre afectividad y cognición. 

Representación, Afectividad, Experiencias de Aprendizaje, Relaciones Interpersonales


Palavras-chave


Representação, Afetividade, Experiências de Aprendizagem, Relações Interpessoais

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, Miriam; RUA, M. das Graças. Violências nas escolas. Brasília: Unesco, Banco Mundial, UNAIDS, USAID, Fundação Ford, Consed, Undime, 2005.

ALCALÁ, Visitación; CAMACHO, Manuel; GINER, Daniel; GINER, José; IBAÑEZ, Elena. Afectos y género. Psicothema, v. 18, n. 1, p. 143-148, 2006.

ALMEIDA, Laurinda Ramalho; MAHONEY, Abigail Alvarenga. Afetividade e aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

BARBOSA, Altemir José Gonçalves; CAMPOS, Renata Araújo; VALENTIM, Tássia Azevedo. A diversidade em sala de aula e a relação professor-aluno. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 28, n. 4, p. 453-461, out./dez. 2011.

BICALHO, Maria Gabriela Parente; SOUZA, Maria Celeste Reis Fernandes. Relação com o saber de estudantes universitários: aprendizagens e processos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 3, p. 617-635, jul./set. 2014.

CARVALHO, Marília Pinto de. O conceito de gênero no dia a dia da sala de aula. Gender concept in the school day to day life._Revista de Educação Pública, [S.l.], v. 21, n. 46, p. 401-412, sep. 2012. ISSN 2238-2097. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/416. Acesso

em: 05 nov. 2019. doi:http://dx.doi.org/10.29286/rep.v21i46.416.

CARVALHO, Marília Pinto; SENKEVICS, Adriano Souza; LOGES, Tatiana Ávila. O sucesso escolar de meninas de camadas populares. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 3, p. 717-734, 2014.

CONTRERAS, Françoise; ESGUERRA, Gustavo. Psicología positiva: uma nueva perspectiva em Psicología. Diversitas, Bogotá, v. 2, n. 2, p. 311-319, dez, 2006.

DAL’IGNA, Maria Cláudia. Desempenho escolar de meninos e meninas: há diferença? Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 46, p. 241-267, dez. 2007

ESPINOSA, Baruch. Ética. Tradução Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

GODELIER, Maurice. Au fondement des sociétés humaines: ce que nous apprend l’Anthropologie. Paris: Albin Michel, 2007.

GREGORIADIS, Athanasios; TSIGILIS, Nikolaus. Applicability of the student teacher relationship scale (STRS) in the Greek education setting. Journal of Psychoeducational Assessment, v. 26, n. 2, p. 108-120, jun. 2008. DOI 10.1177/0734282907306894.

LIPP, Marilda. Sentimentos que causam stress: como lidar com eles. Campinas: Papirus, 2009.

MATTOS, Sandra Maria Nascimento. Inclusão/exclusão escolar e afetividade: repensando o fracasso escolar das crianças de classes populares. Educar em Revista, Curitiba, n. 44, p. 217-233, jun. 2012.

MESURADO, Belén. La experiencia de Flow o Experiencia Optima em el ámbito educativo. Revista Latinoamericana de Psicologia, v. 42, n. 2, p. 183-192, 2010.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. Rio de Janeiro: Vozes, 2010.

NASCIMENTO, Rita de Cássia Souza. Entre xingamentos e rejeições: um estudo da violência psicológica na relação entre professor e aluno com dificuldade de aprendizagem. Tese (Doutorado) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA – UNESCO. Cotidiano das escolas: entre violências. Brasília: Unesco, Observatório de Violência, Ministério da Educação, 2006. 404p.

ORGANIZATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT – OECD. O que os estudantes pensam da escola? PISA em Foco, n. 24, jan. 2013. Disponível em: portal.inep.gov.br/pisa-em-foco. Acesso em: 12 fev. 2016.

OSTI, Andréia. Representações de professores do ensino fundamental sobre as variáveis que influenciam o desempenho escolar. In: CALIATTO, S. G.; OLIVEIRA, S. M. S. S.; CUNHA, N. B.; JOLY, M. C. R. A. (org.). Avaliação: diferentes processos no contexto educacional. Uberlândia: Navegando, 2017.

OSTI, Andréia; BRENELLI, Roseli Palermo. Sentimentos de quem fracassa na escola: análise das representações de alunos com dificuldades de aprendizagem. Psico-USF, Itatiba, v. 18, n. 3, set./dez. 2013.

OSTI, Andréia; NORONHA, Ana Paula Porto. Asociación entre afectos y optimismo en estudiantes del curso de Pedagoía. Revista Colombiana de Educación, v. 68, p. 195-209, 2015.

OSTI, Andréia; NORONHA, Ana Paula Porto. Associação entre afetos e representações envolvidas no ambiente de aprendizagem escolar. Educação: Teoria e Prática, v. 27, p. 74-94, 2017.

RIBEIRO, Marinalva Lopes. A afetividade na relação educativa. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 27, n. 3, p. 403-412, 2010.

RODRIGUEZ, José Álvarez; CRUZ, Manuel Fernández. Análise descritiva da afetividade nos professores em formação na faculdade de ciências da educação da Universidade de Granada. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, n. 14, p. 125-144, 2009.

SAWAIA, Bader; MAGIOLINO, Lavínia Lopes Salomão. As nuances da afetividade: emoção, sentimento e paixão em perspectiva. In: BANKS-LEITE, L.; SMOLKA, A. L. B.; ANJOS, D. D. (org.) Diálogos na perspectiva histórico-cultural. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2016. p. 61-86.

SIRGADO, Angel Pino. O social e o cultural na obra de Lev S. Vigotski. Educação e Sociedade, n. 71, p. 45-78, 2000.

SNYDER, Charles Richard; LOPEZ, Shane J. Psicologia positiva. Porto Alegre: Artmed, 2009.

SOLAR, Félix Cova. Diferencias de género en bienestar y malestar emocional: evidencias contradictorias. Terapia Psicológica, v. 22, n. 2, p.165-169, 2004.

TASSONI, Elvira Cristina Martins. A dinâmica interativa na sala de aula: as manifestações afetivas no processo de escolarização. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista, Campinas, 2008.

TASSONI, Elvira Cristina Martins. Afetividade na aprendizagem da leitura e da escrita: uma análise a partir da realidade escolar. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 13, n. 2, p. 524-544, 2013.

TASSONI, Elvira Cristina Martins; LEITE, Sérgio Antônio da Silva. Um estudo sobre emoções e sentimentos na aprendizagem escolar. Comunicações, Piracicaba, ano 18, n. 2, p. 79-91, jul./dez, 2011.

TASSONI, Elvira Cristina Martins; LEITE, Sérgio Antônio da Silva. Afetividade no processo de ensinoaprendizagem: as contribuições da teoria walloniana. Educação, Porto Alegre, v. 36, n. 2, p. 262-271, maio/ago. 2013.

TASSONI, Elvira Cristina Martins; SILVA, Jade Oliveira Melo; FORNER, Vivian Annicchini. Afetividade e a mediação do professor: as contribuições da música para as práticas de leitura. In: LEITE, S. A. S. (org.). Afetividade: as marcas do professor inesquecível. Campinas: Mercado de Letras, 2018. p. 109-134.

VIGOTSKI, Lev Semyonovich. Manuscrito de 1929. Educação e Sociedade, n. 71, p. 21-44, 2000.

VIGOTSKI, Lev Semyonovich. Psicologia pedagógica. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

WALLON, Henri. A evolução psicológica da criança. Lisboa: Edições 70, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.