Fúlvia Rosemberg, Iansã, toda Calibã

Autores

Palavras-chave:

Desigualdades Sociais , Raça, Relações de Gênero , Negros

Resumo

Este artigo discute os escritos de Fúlvia Rosemberg e sua contribuição para a pesquisa social e em educação. Analisa, na obra da autora, os conceitos de não sincronia das hierarquias sociais nas intersecções das hierarquias de raça, gênero e idade nas políticas educacionais e de branquidade, compreendida como norma de humanidade, que revela a norma social naturalizada situada no centro da hierarquização branco-negro e a necessidade de sua crítica. Os conceitos mobilizados e a forma de análise mantêm vívido o interesse da obra e dos conceitos para a análise das desigualdades educacionais e sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Vinícius Baptista da Silva, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba (PR), Brasil

possui Bacharelado e Licenciatura em Psicologia pela Universidade Federal do Paraná (1991), Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Paraná (1996) e Doutorado em Psicologia (Psicologia Social) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2005). Foi Editor da Educar em Revista (2009-2011), Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação (2011-2012), coordenador do GT Educação e Relações Raciais da ANPED (2010-2011), vice-coordenador do mesmo GT (2008-2009; 2012-2013), representante da Região Sul na Diretoria da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN - 2010-2012). Atualmente é bolsista produtividade 2 do CNPQ, atua no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE-UFPR) e Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB-UFPR). Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: relações raciais, racismo, políticas afirmativas, construção social da infância, políticas para a infância.

Referências

Anjos, R. S. A., Rosemberg, F., & Souza, L. A. F. (Orgs.). (2011). Terra, território e sustentabilidade. Contexto. https://www.fcc.org.br/livros/terra_sustentabilidade.pdf

Araujo, D. C. (2012). Ideologia e racismo: Análise de discurso sobre a recepção de leituras de obras infanto-juvenis. Revista da ABPN, 3(7), 85-100. http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/365/337

Bento, M. A. S. (1992). Resgatando a minha bisavó: Discriminação racial no trabalho e resistência na voz dos trabalhadores negros [Dissertação de mestrado em Psicologia Social]. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Bento, M. A. S. (2002). Branqueamento e branquitude no Brasil. In M. A. S. Bento, & I. Carone (Orgs.), Psicologia social do racismo. Vozes.

Campos, M. M. M. (2015). Andarilha que era. In A. Artes, & S. Unbehaum (Orgs.), Escritos de Fúlvia Rosemberg (pp. 153-157). Cortez.

Citron, A. F. (1969). The rightness of whiteness: The world of the white child in a segregated society. Michigan-Ohio Regional Educational Laboratory.

Du Bois, W. E. B. (1999). As almas da gente negra (Heloísa T. Gomes, Trad.). Lacersa.

Giroux, H. (1999). Por uma pedagogia e política da branquidade. Cadernos de Pesquisa, (107), 97-132. http://www.scielo.br/pdf/cp/n107/n107a04.pdf

Hicks, E. (1981). Cultural marxism: Nonsynchrony and feminist practice. In L. Sargent (Org.), Women and revolution (pp. 219-237). Southend Press. https://books.google.com.br/books?id=IAyxuTMT-tkC&printsec=frontcover&hl=pt- BR&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false

Nascimento, S. L. (2010). Ilustração de personagens negros e brancos em livros didáticos de ensino religioso do ensino fundamental. Revista Pistis Praxis, (2), 417-433. https://www.researchgate.net/publication/321281104_Ilustracao_de_personagens_ negros_e_brancos_em_livros_didaticos_de_Ensino_Religioso_do_ensino_ fundamental

Piza, E. (1995). O caminho das águas: Estereótipos de personagens femininas negras em obras para jovens de escritoras brancas [Tese de doutorado]. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Ramos, A. G. (1957). Introdução crítica à sociologia brasileira. Editorial Andes.

Rosemberg, F. (1969). La famille dans les livres pour enfants [Tese de doutorado em Psicobiologia Infantil]. Universite de Paris.

Rosemberg, F. (1979a). Modelos culturais na literatura infanto-juvenil brasileira. Fundação Carlos Chagas. http://acervo.fcc.org.br:9090/ABCD_DOCS/PROJETO/integra/ PR16385.pdf

Rosemberg, F. (1979b). Discriminações étnico-raciais na literatura infanto-juvenil brasileira. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, 12(3/4), 155-166. http://cedoc. crpsp.org.br/handle/1/2812;jsessionid=2D03E97F2B9E39B9399335A1FA5B16AC

Rosemberg, F. (1979c). Eu consumo, tu me consomes. Cadernos de Pesquisa, (31), 41-48. http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1663/1650

Rosemberg, F. (1985). Literatura infantil e ideologia. Global.

Rosemberg, F. (1993). Memorial para concurso de Professora Titular na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Rosemberg, F. (1996). Educação infantil, classe, raça e gênero. Cadernos de Pesquisa, (96), 58-65. http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/814/824

Rosemberg, F. (1999). Expansão da educação infantil e processo de exclusão. Cadernos de Pesquisa, (107), 7-40. https://www.scielo.br/pdf/cp/n107/n107a01.pdf

Rosemberg, F. (2001). Educação formal, mulher e gênero no Brasil contemporâneo. Revista Estudos Feministas, 9(2), 515-540. https://www.scielo.br/j/ref/a/PRcJxQzSFvnScngFpmcgKGR/?format=pdf&lang=pt

Rosemberg, F. (2002). Desigualdades de gênero e raças no sistema educacional brasileiro. Texto preparado para a Conference on Ethnicity Race, Gender and Education, Lima, Peru, October. Mimeo. (56 p.)

Rosemberg, F. (2004). Desigualdades de raza y género en el sistema educacional brasileño. In D. Wincler, & S. Cueto, Etnicidad, raza, género y educación en América Latina (pp. 239-282). PREAL. http://americalatinagenera.org/newsite/images/cdr-documents/publicaciones/educacion_etnicidad_raza_y_genero.pdf

Rosemberg, F. (2012). A criança pequena e o direito a creche no contexto dos debates sobre infância e relações raciais. In M. A. S. Bento (Org.), Educação infantil, igualdade e diversidade: Aspectos políticos, jurídicos, conceituais (pp. 11-46). Centro de Estudos de Relações de Trabalho e Desigualdade. http://portal.mec.gov.br/ index.php?option=com_docman&view=download&alias=11283-educa-infantis-conceituais&category_slug=agosto-2012-pdf&Itemid=30192

Rosemberg, F. (2013a). Políticas de educação infantil e avaliação. Cadernos de Pesquisa, 43(148), 44-75. https://www.scielo.br/j/cp/a/rCQyvkxLbt68jLbyvmy3bwh/?format=pdf&lang=pt

Rosemberg, F. (2013b). Ação afirmativa na pós-graduação: O Programa Internacional de Bolsas da Fundação Ford na Fundação Carlos Chagas (Textos FCC, 36). Fundação Carlos Chagas. http://publicacoes.fcc.org.br/index.php/textosfcc/article/view/2454

Rosemberg, F. (2015). Ação afirmativa no ensino superior brasileiro: Tensão entre raça/etnia e gênero. In A. Artes, & S. Unbehaum (Orgs.), Escritos de Fúlvia Rosemberg (pp. 107-123). Cortez.

Rosemberg, F., & Andrade, L. F. (2008). Ação afirmativa no ensino superior brasileiro: A tensão entre raça/etnia e gênero. Cadernos Pagu, (31), 419-438. https://www.scielo.br/j/cpa/a/WQLcSk8YrQTJL3cgdtbvnwG/abstract/?lang=pt

Rosemberg, F., & Artes, A. (2012). O rural e o urbano na oferta de educação para crianças de até 6 anos. In M. C. Barbosa, J. Pasuch, F. L. A. Leal, I. O. Silva, M. N. M. Freitas, & S. S. Albuquerque (Coords.), Oferta e demanda de educação infantil no campo (pp. 13-69). Evangraf.

Rosemberg, F., Bazilli, C., & Silva, P. V. B. (2003). Racismo em livros didáticos brasileiros e seu combate. Educação e Pesquisa, 29(1), 125-146. http://www.scielo.br/pdf/ep/v29n1/a10v29n1.pdf

Rosemberg, F., Pinto, R., & Negrão, E. (1981). A educação da mulher no Brasil. Fundação Carlos Chagas.

Santos, W. O. (2011). Racismo discursivo na mídia: Análise a partir dos personagens presentes nos cadernos dominicais de jornais impressos. Revista da ABPN, 2(4), 103-124. http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/323/297

Scott, J. W. (2005). O enigma da igualdade. Revista Estudos Feministas, 13(1), 11-30. https://doi.org/10.1590/S0104-026X2005000100002

Silva, P. V. B. (2006). Racismo discursivo e avaliações do Programa Nacional do Livro Didático. Intermeio, 12(24), 6-29. https://periodicos.ufms.br/index.php/intm/article/ view/2553/1790

Silva, P. V. B. (2014). One more story: Racial relations and stereotypes in Brazilian literature. Diogenes, 59(3-4), 168-180. https://doi.org/10.1177/0392192114538926

Silva, P. V. B., & Rosemberg, F. (2008). Brasil: Lugares de negros e brancos na mídia. In T. Dijk (Org.), Racismo e discurso na América Latina (pp. 73-118). Contexto.

Silva, P. V. B., Santos, W. O., & Rocha, N. G. (2012). Negras(os) e brancas(os) em publicidades de jornais paranaenses. Intercom − RBCC, 35(2), 149-168. http://www.scielo.br/pdf/ interc/v35n2/08.pdf

Silva, S. J. (2009). O canto de Oyá no CandombléKeto: Um estudo dos aspectos culturais e etnomusicológicos [Dissertação de mestrado]. Universidade Federal da Bahia. https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/10834/1/dissert_Sara%20da%20Silva.pdf

Silvério, V. R. (2002). Ação afirmativa e o combate ao racismo institucional no Brasil. Cadernos de Pesquisa, (117), 219-246. http://www.scielo.br/pdf/cp/n117/15560.pdf

Silvério, V. R., Pinto, R. P., & Rosemberg, F. (Orgs.). (2011). Relações raciais no Brasil: Pesquisas contemporâneas. Contexto. https://www.fcc.org.br/fcc/fcc-publicacoes/relacoes-raciais-no-brasil-pesquisas-contemporaneas

Steelman, C. A., & Murphy, M. J. (1972). Increasing compatibility in desagregated schools between elementar educacional practices, the curriculam, and the concept of whiteness. San Francisco School District, CA.

Ware, V. (Org.) (2004). Branquidade: Identidade branca e multiculturalismo. Garamond.

Publicado

2022-03-17

Como Citar

Silva, P. V. B. da. (2022). Fúlvia Rosemberg, Iansã, toda Calibã. Cadernos De Pesquisa, 52, e08072. Recuperado de https://publicacoes.fcc.org.br/cp/article/view/8072

Edição

Seção

Teorias, Métodos, Pesquisa Educacional