Micropolítica escolar e estratégias para o desenvolvimento do protagonismo juvenil.

Autores

  • Dagmar M. L. Zibas Fundação Carlos Chagas
  • Celso J. Ferretti Fundação Carlos Chagas
  • Gisela Lobo B. P. Tartuce Fundação Carlos Chagas

Palavras-chave:

Ensino Médio, Reforma do Ensino, Juventude, Políticas Públicas

Resumo

Este artigo aborda a construção do protagonismo juvenil no âmbito da reforma do ensino médio, discutindo resultados parciais de pesquisa mais ampla, os quais focalizaram cinco escolas em dois estados brasileiros. O objetivo geral da investigação foi verificar como as escolas interagiam com as diretrizes oficiais que propõem a participação efetiva de alunos e dos pais na dinâmica escolar e quais são as mediações que articulam os microprocessos institucionais às orientações políticas e sociais mais abrangentes. Este texto, no entanto, analisa apenas o espaço que o pretendido desenvolvimento do protagonismo juvenil ocupa na trama da micropolítica escolar e, para isso, vale-se de conceitos de Stephen J. Ball como tentativa de "ler" a intrincada rede de relações intramuros que ressignifica as prescrições de órgãos centrais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dagmar M. L. Zibas, Fundação Carlos Chagas

Celso J. Ferretti, Fundação Carlos Chagas

Gisela Lobo B. P. Tartuce, Fundação Carlos Chagas

Downloads

Publicado

2013-06-25

Como Citar

Zibas, D. M. L., Ferretti, C. J., & Tartuce, G. L. B. P. (2013). Micropolítica escolar e estratégias para o desenvolvimento do protagonismo juvenil. Cadernos De Pesquisa, 36(127), 51–85. Recuperado de https://publicacoes.fcc.org.br/cp/article/view/411

Edição

Seção

Tema em Destaque