Escuta da criança em pesquisa e qualidade da educação infantil

Silvia Helena Vieira Cruz, Sandra Maria de Oliveira Schramm

Resumo


A partir da imagem que a Pedagogia da Infância vem construindo das crianças como ricas, competentes, diversas e com direitos, o artigo destaca as perspectivas acerca de experiências educativas. Com base em pesquisas que ouviram crianças e que foram realizadas no Brasil e publicadas entre 2008 e 2018, são trazidas vozes que expressam opiniões, desejos, reclamações, temores sobre temas como disciplina, brincadeiras, relações étnico-raciais e transição para o ensino fundamental. Essas vozes expressam a competência das crianças em avaliar os serviços educativos destinados a elas, e muitas falam de violações de direitos assegurados em documentos oficiais.

Crianças, Participação, Qualidade da Educação, Educação Infantil

 

Listening to the children in research and quality of early childhood education 

Based on the image that Childhood Pedagogy has been creating of children as rich, competent, diverse and with rights, the article highlights its perspective about themes related to their educational experiences. Based on researches done in Brazil, published between 2008 and 2018, which heard children, this paper brings voices expressing opinions, wishes, complaints and fears about subjects such as discipline, play, ethnic-racial relations and the transition to elementary school. These voices express the competence of children to evaluate educational services for them and often reveal violations of rights guaranteed in official documents. These voices need to be heard and considered to build the quality of early childhood education.

Children, Participation, Educational Quality, Early Childhood Education

 

Écoute des enfants dans la recherche et qualité de l’éducation

À partir de l’image crée par la pédagogie de l’enfance considérant les enfants comme des êtres riches, compétents, divers et détenteurs de droits, cet article met en avant les perspectives au sujet de certaines expériences éducatives. Sur la base de recherches menées au Brésil et publiées entre 2008 et 2018 concernant l’écoute des enfants, des voix se font entendre qui expriment des opinions, des désirs, des plaintes et des craintes sur des thèmes tels que la discipline, les jeux, les relations ethniques et raciales et le passage de l’école maternelle à l’école fondamentale. Elles affirment que les enfants ont la capacité d’évaluer les services éducatifs qui leur sont destinés et que beaucoup parmi eux évoquent les violations des droits garantis par les documents officiels. 

Enfants, Participation, Qualité De L’éducation, Education De La Petite Enfance

 

Escuchar a los niños en la investigación y calidad de la educación infantil

A partir de la imagen que la Pedagogía de la Infancia está construyendo de los niños como si fueran ricos, capaces, diversos y con derechos, el articulo enfatiza sus perspectivas acerca de los temas relativos a sus experiencias educativas. Con base en investigaciones hechas en Brasil, publicadas entre 2008 y 2018, que han escuchado a los niños, hemos traídos voces que expresan opiniones, deseos, quejas, miedos sobre temas como disciplina, bromas, relaciones étnico-raciales y transición hacia la educación básica. Esas voces expresan la capacidad de los niños para evaluar los servicios educativos destinados a ellos y muchas veces revelan violaciones de derechos que les son asegurados en documentos oficiales. Son voces que necesitan ser oídas y consideradas en la construcción de la calidad de la educación infantil.

Niños, Participación, Calidad de La Educación, Educación Infantil

 

 

 


Palavras-chave


Crianças, Participação, Qualidade da Educação, Educação Infantil

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ALMEIDA, S. do E. S. Participação de crianças nas rotinas da educação infantil. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, 2015.

ANDRADE, R. C. A rotina da pré-escola na visão das professoras, das crianças e de suas famílias. 2007. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007.

BONDIOLI, A. (org.). O projeto pedagógico da creche e sua avaliação: a qualidade negociada. Campinas: Autores Associados, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Indicadores da qualidade na educação infantil. Brasília: MEC/SEB, 2009a.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Departamento de Política da Educação Fundamental. Coordenação de Educação Infantil. Critérios para um atendimento em creches que respeite os direitos fundamentais das crianças. Brasília: MEC/SEF/DPE/ COEDI, 2009b.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 5, de 17/12/2009. Diretrizes Curriculares Nacionais para a educação infantil. Brasília, DF, 2009c.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Departamento de Política da Educação Fundamental. Coordenação de Educação Infantil. Parâmetros nacionais de qualidade para educação infantil. Brasília: MEC/SEB/DPE/COEDI, 2006a.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Departamento de Política da Educação Fundamental. Coordenação de Educação Infantil. Parâmetros básicos de infraestrutura para instituições de educação infantil. Brasília: MEC/SEB/DPE/COEDI, 2006b.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Coordenação de Educação Infantil. Critérios para um atendimento em creches que respeite os direitos fundamentais das crianças. Brasília: MEC/SEF/DPEF/COEDI, 1995.

CAMPAÑA LATINOAMERICANA POR EL DERECHO A LA EDUCACIÓN et al. Consulta sobre la discriminación en la educación en la primera infância: un estudio desde la perspectiva de la comunidad educativa en escuelas de Brasil, Perú y Colombia – Informe regional. São Paulo: Campaña Latinoamericana por el Derecho a la Educación, 2013.

CAMPOS, M. M. (coord.) Educação infantil no Brasil: avaliação qualitativa e quantitativa (Relatório Final). São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2010.

CAMPOS, M. M.; CRUZ, S. H. V. Consulta sobre Qualidade na Educação Infantil: o que pensam e querem os sujeitos desse direito. São Paulo: Cortez, 2006.

CAMPOS, M. M.; FÜLLGRAF, J.; WIGGERS, W. A qualidade da educação infantil brasileira: alguns resultados de pesquisa. Cadernos de pesquisa, São Paulo, n. 127, p. 87-128, jan./abr. 2006.

CARVALHO, M. M. C. Quando a história da educação é a história da disciplina e da higienização das pessoas. In: FREITAS, M. C. (org.). História social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 1997. p. 291-310

CAVALLEIRO, E. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação infantil. 1998. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

CHARLOT, B. A mistificação pedagógica: realidades sociais e processos ideológicos na teoria da educação. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

CORSARO, W. A reprodução interpretativa do brincar. Revista Educação, Sociedade e Cultura, Porto, n. 17, 2001.

CORSARO, W. A. Reprodução interpretativa e cultura de pares. In: MÜLLER, F.; CARVALHO, A. M. (org.). Teoria e prática na pesquisa com crianças. São Paulo: Cortez, 2009. p. 31-50.

CORSARO, W. A. Sociologia da infância. Porto Alegre: Artmed, 2011.

CORSI, B. R. Conflitos na Educação Infantil: o que as crianças têm a dizer sobre eles. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

CRUZ, R. C. A. A pré-escola vista pelas crianças. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 32., Anais [...] Caxambu: ANPEd, 2009. p. 1-19.

CRUZ, S. H. V. Fala, menino! Uma experiência de pesquisa sobre o cotidiano da creche comunitária na perspectiva da criança. Educação em Debate (CESA/UFC), Fortaleza, v. 2, n. 44, p. 20-35, 2002.

CRUZ, S. H. V. A percepção sobre a discriminação étnico-racial entre crianças do Brasil, Colômbia e Peru. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 9, p. 249-276, 2015.

CRUZ, S. H. V.; CRUZ, R. C.A. A perspectiva de crianças sobre a creche. Eventos Pedagógicos, v. 6, p. 155, 2015.

CRUZ, S. H. V.; MARTINS, C. A. Políticas públicas e a voz das crianças. Laplage em Revista, v. 3, p. 29-43, 2017.

CRUZ, S. H. V.; SANTOS, C. O. Perspectivas de crianças sobre o cotidiano da pré- escola: o recreio em foco. Textura, v. 18, p. 171-190, 2016.

DAHLBERG, G.; MOSS, P.; PENCE, A. Qualidade na educação da primeira infância: perspectivas pós-modernas. Porto Alegre: Artmed, 2003.

DIAS, L. R. No fio do horizonte: educadoras da primeira infância e o combate ao racismo. 2007. 2 v. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

FARIAS, K. C. F. As concepções das crianças sobre as características de uma boa professora de educação infantil. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

FERNANDES, C. V. A identidade da pré-escola: entre a transição para o ensino fundamental e a obrigatoriedade de frequência. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

FERREIRA, M. G. A cultura lúdica das crianças contemporâneas na sociedade multitela. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 2005.

FREITAS, M. C. Da ideia de estudar a criança no pensamento social brasileiro: a contraface de um paradigma. In: FREITAS, M. C.; KUHLMANN JR., M. Os intelectuais e a história da infância. São Paulo: Cortez, 2002. p. 345-372.

GAUDIO, E. S. Relações sociais na educação infantil: dimensões étnico-raciais, corporais e de gênero. 2013.

Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

KORCZAK, J. Menosprezo e desconfiança. In: DALLARI, D. de A.; KORCZAK, J. O direito da criança ao respeito. São Paulo: Summus, 1986. p. 69-75. (Novas Buscas em Educação, v. 28).

KUHLMANN Jr., M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

LIMA, I. M. M. As experiências educacionais no contexto da transição da educação infantil para o ensino fundamental numa escola municipal de Fortaleza na perspectiva dos diversos segmentos da comunidade escolar. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

MARQUES, F. M. Concepções de crianças sobre escola de educação infantil. 2011. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

MARTINS, C. A. A participação de crianças e professora na constituição da brincadeira na educação infantil. 2009.

Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.

MOSS, P. Introduzindo a política na creche: a educação infantil como prática democrática. Psicologia USP, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 417-436, jul./set. 2009.

OLIVEIRA, F. de. Um estudo sobre a creche: o que as práticas pedagógicas produzem e revelam sobre a questão racial? 2004. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, J. A visão de qualidade da Associação Criança: contributos para uma definição. In: OLIVEIRA-FORMOSINHO, J.; FORMOSINHO, J. Associação Criança: um contexto de educação em contexto. Coleção Mundo universitário. Braga -Portugal: Livraria Minho, 2001, p. 166-176.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, J.; FORMOSINHO, J. A perspectiva pedagógica da Associação Criança: a Pedagogiaem-Participação. In: OLIVEIRA-FORMOSINHO, J.; GAMBOA, R. (org.). O trabalho de projeto na Pedagogia-em-Participação. Porto: Porto, 2011. p. 11-45.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, J.; FORMOSINHO, J. A perspectiva educativa da associação criança: a Pedagogiaem-Participação. In: OLIVEIRA-FORMOSINHO, J. (org). Modelos curriculares para a educação de infância: construindo uma prática de participação. Porto: Porto, 2013. p. 25-60.

PAMPHYLIO, M. M. Os dizeres das crianças da Amazônia amapaense sobre infância e escola. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado do Pará, Belém, 2010.

RABINOVICH, S. B. A articulação da educação infantil com o ensino fundamental I: a voz das crianças, dos professores e da família em relação ao ingresso no 1º ano. 2012. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

ROCHA, E. A. C. A Pedagogia e a educação infantil. Revista Iberoamericana de Educación, Madri, v. 1, n. 22, p. 61-74, 2000.

ROCHA, E. A. C. Educação infantil: trajetórias de pesquisa e implicações pedagógicas. In: ROCHA, E. A. C. R.; KRAMER, S. (org.). Educação infantil: enfoques em diálogo. 3. ed. São Paulo: Papirus, 2013. v. 1, p. 367-384.

ROSEMBERG, F. Educação infantil, classe, raça e gênero. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 96, p. 58-65, fev. 1996.

ROUSSEAU, J.-J. Emílio, ou da educação. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

SANTIAGO, F. “O meu cabelo é assim... igualzinho o da bruxa, todo armado”: hierarquização e racialização das crianças pequenininhas negras na educação infantil. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2014.

SANTOS, C. O. dos. As concepções das crianças, professora e coordenadora pedagógica sobre o recreio como atividade da rotina em uma escola pública de educação infantil na cidade de Fortaleza. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.

SARMENTO, M. J. Sociologia da infância: correntes e confluências. In: SARMENTO, M.; GOUVEA, M. C. S. de. (org.). Estudos da infância: educação e práticas sociais. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 17-39.

SCHRAMM, S. M. O. A construção do eu no contexto da educação infantil: influências da escola e a perspectiva da criança sobre esse processo. 2009. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.

SILVA, V. L. N. da. Os estereótipos racistas nas falas de educadoras infantis: suas implicações no cotidiano escolar da criança negra. 2002. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2002.

SILVA, T. R. da. Criança e negra: o direito à afirmação da identidade negra na educação infantil. 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015.

TAVARES, L. H. de J. Educação infantil e direito: o que dizem as crianças? 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

TRINIDAD, C. T. Identificação étnico-racial em espaços de educação infantil. 2011. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.

WARDE, M. Para uma história disciplinar: psicologia, criança e pedagogia. In: FREITAS, M. C. (org.). História social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 1997. p. 311-332.

ZABALZA, M. Qualidade em educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.