Indicadores de retenção e rotatividade dos docentes da educação básica

Edmilson Antonio Pereira Junior, Dalila Andrade Oliveira

Resumo


Este artigo propõe medidas que permitem conhecer um fenômeno bastante recorrente nos estabelecimentos de ensino: a retenção e a rotatividade docente. Os fatores relacionados a essas medidas variam desde uma mobilidade interna às redes de ensino até o abandono da profissão. São utilizados os dados do Censo Escolar, desenvolvido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep –, referentes a 2012 e 2013. Esses indicadores permitem: fornecer visão sistêmica da capacidade do sistema de educação nacional de garantir a permanência dos docentes nos estabelecimentos de ensino; contextualizar estudos e pesquisas da área da educação; e prover dados para analisar os fatores preditores e resultantes.


Palavras-chave


Docentes; Emprego; Indicadores

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Maria Teresa Gonzaga; SOARES, José Francisco; XAVIER, Flávia Pereira. Índice socioeconômico das escolas de educação básica brasileiras. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 22, n. 84, p. 671-704, jul./set. 2014.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação básica 2012: resumo técnico. Brasília, DF: 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2015.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos humanos. São Paulo: Atlas, 2002.

DOLTON, Peter; KLAAUW, Wilbert Van der. Leaving teaching in the UK: a duration analysis. The Review of Economics and Statistics, Cambridge, v. 81, n. 3, p. 543-552, Aug. 1999.

INGERSOLL, Richard M. Teacher turnover, teacher shortages, and the organization of schools. Washington: Center for the Study of Teaching and Policy, 2001. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2015.

JOHNSON, Susan Moore. The workplace matters: teacher quality, retention, and effectiveness. Washington: National Education Association, 2006. (Working paper). Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2015.

LEME, Luciana França. Atratividade do magistério para a educação básica: estudo com ingressantes de cursos superiores da Universidade de São Paulo. 2012. 210 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Mudanças na organização e na gestão do trabalho na escola. In: OLIVEIRA, Dalila Andrade; ROSAR, Maria de Fátima Felix. Política e gestão da educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. p. 125-143.

SARAIVA, Ana Maria Alves. O trabalho docente em territórios de alta vulnerabilidade social: condições de trabalho, permanência e desempenho. 2015. 232 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

SILVA, Ana Maria Clementino Jesus. Trabalho docente e educação em tempo integral: um estudo sobre o programa escola integrada e o projeto educação em tempo integral. 2013. 187 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

SOARES NETO, Joaquim José; JESUS, Girlene Ribeiro de; KARINO, Camila Akemi; ANDRADE, Dalton Francisco de. Uma escala para medir a infraestrutura escolar. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 24, n. 54, p. 78-99, jan./abr. 2013.

XIMENES, Daniel; AGATTE, Juliana Picoli. A gestão das condicionalidades do Programa Bolsa Família: uma experiência intersetorial e federativa. Inclusão Social, Brasília, DF, v. 5, n. 1, p. 11-19, jul./dez. 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Financiadores: