Transitando entre universidade e trabalho: trajetórias desiguais e políticas afirmativas

Nadya Araujo Guimarães, Ana Carolina Andrada, Monise Fernandes Picanço

Resumo


O artigo analisa o processo de transição entre o ensino superior e o mercado de trabalho realizado por graduados oriundos de instituição de alto prestígio, uma das pioneiras em programa de ação afi rmativa. Para tal, construiu-se um painel para acompanhar os percursos ocupacionais dos graduados das duas primeiras gerações do programa (ingressados em 2005 e 2006). O texto se compõe de quatro sessões, em que são apresentados o caso, a construção metodológica do painel, os resultados, sublinhando a diversidade das trajetórias e das chances de acesso a empregos de qualidade entre beneficiários, ou não, da política de inclusão, e os efeitos do programa sobre o destino ocupacional dos egressos.


Palavras-chave


Ações afirmativas; Análise longitudinal; Relações educação-trabalho; Brasil

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


BRANDÃO, C. As cotas na universidade pública brasileira: será esse o caminho? Campinas: Autores Associados, 2005.

BRITO, M. M. A. A dependência na origem: desigualdades no sistema educacional brasileiro e a estruturação social das oportunidades. 2014. 270 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

CAMARANO, A. (org.). Transições para a vida adulta ou vida adulta em transição? Rio de Janeiro: Ipea, 2006.

COMIN, A.; BARBOSA, R. Trabalhar para estudar: sobre a pertinência da noção de transição escola-trabalho no Brasil. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, n. 91, p. 75-95, 2011.

CORSEUIL, C. H.; BOTELHO, R. U. Desafios à trajetória profissional dos jovens brasileiros. Rio de Janeiro: Ipea, 2014.

COSTA, J.; OLIVEIRA. L. F. Perfil educacional dos jovens: atraso e fluxo escolar. In: CORSEUIL, C. H.; BOTELHO, R. U. Desafios à trajetória profissional dos jovens brasileiros. Rio de Janeiro: Ipea, 2014. p. 73-115.

COSTA RIBEIRO, C. A.; CENEVIVA, R.; BRITO, M. M. A. Estratificação educacional entre jovens no Brasil: 1960 a 2010. In: ARRETCHE, M. (org.). Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinquenta anos. São Paulo: Edunesp; CEM, 2015. p. 109-132.

COSTA RIBEIRO, C. A.; SCHLEGEL, R. Estratificação horizontal da educação superior no Brasil (1960 a 2010). In: ARRETCHE, M. (org.). Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinquenta anos. São Paulo: Edunesp; CEM, 2015. p. 133-162.

DUBAR, C. Réflexions sociologiques sur la notion d’insertion. In: CHARLOT, B.; GLASMAN, D. (org.). Les jeunes, l’insertion, l’emploi. Paris: Presses Universitaires de France, 1998. p. 30-38.

FERES, J.; DAFLON, V. Ações afirmativas étnico-raciais nas universidades brasileiras. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 37., 2013, Caxambu. Anais [...] Caxambu: Anpocs, 2013.

FRY, P.; MAGGIE, Y. O debate que não houve: a reserva de vagas para negros nas universidades brasileiras. In: FRY, P. A persistência da raça: ensaios antropológicos sobre o Brasil e a África austral. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005. p. 301-320.

GUIMARÃES, A. S.; HUNTLEY, L. (org.). Tirando a máscara. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

GUIMARÃES, N. A. Trajetórias inseguras, autonomização incerta: os jovens e o trabalho em mercados sob intensas transições ocupacionais. In: CAMARANO, A. A. (org.). Transições para a vida adulta ou vida adulta em transição? Rio de Janeiro: Ipea, 2006.

GUIMARÃES, N. A. Trabalho intermediado, percursos instáveis e sociabilidade juvenil. Linhas Críticas, Brasília, v. 22, n. 47, p. 15-40, jan./abr. 2016.

GUIMARÃES, N. A.; VIEIRA, P. P. F. V. Labour flexibility in an already flexible market: temporary agency work in Brazil. In: FU, H. (ed.). Temporary agency work and globalisation: beyond flexibility and inequality. Farnham, UK: Gower, 2015. p. 175-204.

HASENBALG, C. A transição da escola ao mercado de trabalho. In: SILVA, N. do V.; HASENBALG, C. (org.). Origens e destinos: desigualdades sociais ao longo da vida. Rio de Janeiro: Top Books, 2003. p. 147-172.

HERING, R.; FERREIRA, R. Análise das principais políticas de inclusão de estudantes negros no ensino superior no Brasil no período 2001-2008. In: PAULA, M.; HERING, R. (org.). Caminhos convergentes. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Böll, 2009. p. 137-194.

KLEINKE, M. O vestibular Unicamp e a inclusão social: experiências e perspectivas. In: WORKSHOP DE CURSINHOS PRÉ-VESTIBULARES DA UNESP, 1., 2005, Araraquara. Anais [...] Araraquara: Unicamp, Comvest, 2005.

MARTELETO, L.; SOUZA, L. The changing impact of family size on adolescents’ schooling: assessing the exogenous variation in fertility using twins in Brazil. Demography, v. 49, n. 4, July 2012.

NEWMAN, K. S. Laços que prendem: interpretações culturais sobre a maturidade tardia na Europa ocidental e no Japão. Cadernos Pagu, Campinas, n. 32, p. 43-82, 2009.

PAIVA, A. (org.). Ação afirmativa na universidade. Rio de Janeiro: PUC, 2004.

PASTORE, J.; SILVA, N. do V. O início da carreira. In: PASTORE, J.; SILVA, N. do V. Mobilidade social no Brasil. São Paulo: Makron Books, 2000. cap. 3.

PEDROSA, R. H. L.; DACHA, N.; MAIS, R.; ANDRADE, C. Academic performance, students’ background and affirmative action at a Brazilian University. Higher Education Management and Policy, v. 19, n. 3, p. 58-77, 2007.

PEIXOTO, M. C. L.; ARANHA, A. V. Universidade pública e inclusão social. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

QUEIROZ, M. D. Raça, gênero e educação superior. 2001. 302 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2001.

REIS, M. Uma análise das características do primeiro emprego nas regiões metropolitanas brasileiras. In: CORSEUIL, C. H.; BOTELHO, R. U. Desafios à trajetória profissional dos jovens brasileiros. Rio de Janeiro: Ipea, 2014. p. 141-156.

ROSENBAUM, J. E.; KARIYA, T.; SETTERSTEN, R.; MAINER, T. Market and network theories of the transition from high school to work. Annual Review of Sociology, v. 16, p. 263-299, Aug. 1990.

SALAS-VELASCO, M. The transition from higher education to employment in Europe: the analysis of the time to obtain the first job. Higher Education, v. 54, n. 3, p. 333-360, 2007.

SANTOS, J. Ações afirmativas e educação superior no Brasil: um balanço crítico da produção. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 93, n. 234, p. 401-422, maio/ago. 2012.

SHAVIT, Y.; MÜLLER, W. From school to work: a comparative study of educational qualifications and occupational destinations. Oxford: Clarendon, 1998.

SHAVIT, Y.; BLOSSFELD, H. P. Persistent inequality: changing educational attainment in thirteen countries. Westview: Boulder, 1993.

SILVERIO, V.; MOEHLECKE, S. (org.). Ações afirmativas nas políticas educacionais: o contexto pós-Durban. São Carlos: EdUFSCar, 2009.

STEIL, C. A. Cotas raciais na universidade: um debate. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

TARTUCE, G. Jovens na transição escola-trabalho: tensões e intenções. São Paulo: Annablume, 2011.

TESSLER, L. R.; ANDRADE, C. Y.; KLEINKE, M. U.; PEDROSA, R. L.; COSTA, L. C. C.; ALMEIDA FILHO, N.; GUIMARÃES, A. S. A.; GUIMARÃES, N. A. Affirmative action and academic achievement in Brazil: a comparison of two models. In: INSTITUTIONAL MANAGEMENT IN HIGHER EDUCATION. Proceedings [...] Paris, 2010.

TEIXEIRA, M. P. Negros na universidade: identidade e trajetórias de ascensão social no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Pallas, 2003.

VENTURI, G.; TORINI, D. Transições do mercado de trabalho de mulheres e homens jovens no Brasil. Genebra: OIT, 2014. (Work4Youth Series, n. 25).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Financiadores: