A formação de opinião política entre estudantes do ensino médio de Guarulhos-SP

Autores

Palavras-chave:

Juventude, Opinião Pública, Política, Escolas

Resumo

Este artigo visa a compreender o posicionamento político e a formação de opinião dos jovens a partir da aplicação de um survey junto aos estudantes de escolas públicas do município de Guarulhos, São Paulo. Por meio de análises descritivas e modelos de regressão logística, buscou-se identificar os determinantes de uma posição mais progressista ou mais conversadora em relação a diferentes temas políticos, considerando características socioeconômicas e relacionais. Os resultados mostram que a proximidade com a família, com determinadas denominações religiosas ou com o grupo de pares pode influenciar na formação de opinião. Da mesma forma, a questão de gênero e a autoidentificação como pobre e de periferia exercem influência importante no posicionamento em questões políticas relativas a esses grupos.Juventude, Opinião Pública, Política, EscolasPolitical opinion formation among secondary education students in GuarulhosThis article aims to understand youths’ political positions and opinion formation based on a survey with students in public schools in the municipality of Guarulhos, Brazil. We used descriptive analysis and logistic regression models to identify the determinants of a more progressive or conservative position on different political issues, considering socio-economic and relational characteristics. The results show that closeness to family, to certain religious denominations or to the group of peers can influence opinion formation. Likewise, the gender issue and self-identification as a poor person from a deprived neighborhood have a significant influence on youths’ positions on political issues related with these groups.Youth, Public Opinion, Politics, SchoolsLa formación de opinión política entre los estudiantes de educación media de GuarulhosEl artículo intenta comprender la posición política y la formación de opinión de los jóvenes, a partir de la aplicación de una encuesta junto a los estudiantes de escuelas públicas del municipio de Guarulhos, Brasil. Por medio de análisis descriptivos y modelos de regresión logística, se trató de identificar los determinantes de una posición más progresista o más conservadora em relación con distintos temas políticos, considerando características socioeconómicas y relacionales. Los resultados muestran que la proximidad con la familia, con determinadas denominaciones religiosas o con el grupo de pares puede influenciar la formación de opinión. De la misma forma, el tema de género y la autoidentificación como pobre y habitante de la periferia ejercen una importante influencia en la posición relativa a temas políticos en dichos grupos.Juventud, Opinión Pública, Política, EscuelasLa formation d’opinion politique chez des lycéens a GuarulhosL’article vise comprendre le positionnement politique et la formation d’une opinion des jeunes à partir de l’application d’un survey auprès des étudiants d’écoles publiques de la municipalité de Guarulhos, Brésil. Par moyen des analyses descriptives et des modèles de régression logistique on a cherché à identifier les déterminants d’une position plus progressiste ou plus conservatrice par rapport à différents thèmes politiques, prenant en compte des caractéristiques socioéconomiques et relationnelles. Les résultats montrent que la proximité avec la famille, avec quelques dénominations religieuses ou avec le groupe de pairs peut influencer dans la formation d’opinion. De la même façon, le genre et l’auto-identification comme pauvre et banlieusard exercent une influence importante dans le positionnement sur les questions politiques concernant ces groupes.Jeunesse, Opinion Publique, Politique, Écoles

Referências

ABRAMO, Helena Wendel. Cenas juvenis: punks e darks no espetáculo urbano. São Paulo: Scritta, 1994.

ABRAMO, Helena Wendel; BRANCO, Pedro Paulo Martoni (org.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Instituto Cidadania, 2005.

ADERALDO, Guilhermo. Reinventando a cidade: uma etnografia das lutas simbólicas entre coletivos culturais vídeo-ativistas nas “periferias” de São Paulo. São Paulo: Annablume, 2017.

ALMEIDA, Elmir de. Os estudos sobre grupos juvenis: presenças e ausências. In: SPOSITO, Marilia (coord.). O estado da arte sobre juventude na pós-graduação brasileira: educação, ciências sociais e serviço social (1999-2006). Belo Horizonte: Argvmentvm, v. 2, 2009. p. 121-173.

AUGUSTO, Nuno Miguel. A juventude e a(s) política(s): desinstitucionalização e individualização. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 81, p. 155-177, jun. 2008.

CAIAFA, Janice. Movimento punk na cidade: a invasão dos bandos sub. Rio de Janeiro: Zahar, 1989.

CAMPOS, Antonia; MEDEIROS, Jonas; RIBEIRO, Márcio. Escolas de luta. São Paulo: Veneta, 2016.

CLARKE, John; HALL, Stuart; JEFFERSON, Tony; ROBERTS, Brian. Subcultures, cultures and class. In: HALL, Stuart; JEFFERSON, Tony (ed.). Resistance through rituals: youth subcultures in post-war Britain. London: Hutchinson and Co, CCCS, University of Birmingham, 1993. p. 9-74.

COSTA, Adriana; GROPPO, Luís (org.). O movimento de ocupações estudantis no Brasil. São Carlos: Pedro e João Editores, 2018.

COSTA, Márcia Regina da. Os “carecas do subúrbio”: caminhos de um nomadismo moderno. Petrópolis: Vozes, 1993.

DIÓGENES, Glória. Cartografias da cultura e da violência: gangues, galeras e o movimento hip hop. São Paulo; Fortaleza: Annablume; Secretaria da Cultura e Desporto, 1998.

DUBET, François. A formação dos indivíduos: a desinstitucionalização. Revista Contemporaneidade e Educação, Rio de Janeiro, v. 3, n. 3, p. 27-33, 1998.

FEIXA, Carles. De jóvenes, bandas y tribus. Antropología de la juventud. Barcelona: Ariel, 2006.

FORACCHI, Marialice Mencarini. A juventude na sociedade moderna. São Paulo: Pioneira, 1972.

GRACINO JUNIOR, Paulo; TARGINO, Janine; REZENDE, Gabriel Silva. Religiões públicas e demandas por reconhecimento: reflexões a partir dos dados da pesquisa com jovens participantes de movimentos religiosos de massa na cidade do Rio de Janeiro. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 122-151, 2019.

GROPPO, Luis Antonio. Juventude: ensaios sobre sociologia e história das juventudes modernas. Rio de Janeiro: Difel, 2000.

HANNERZ, Ulf. Explorando a cidade: em busca de uma antropologia urbana. Petrópolis: Vozes, 2015.

KRISCHE, Paulo J. Questões sobre juventude, cultura política e participação democrática. In: ABRAMO, Helena Wendel; BRANCO, Pedro Paulo Martoni (org.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Instituto Cidadania, 2005. p. 323-350.

MACEDO, Márcio. Hip-hop SP: transformações entre uma cultura de rua, negra e periférica (1983-2013). In: KOWARICK, Lúcio; FRÚGOLI JR., Heitor (org.). Pluralidade em São Paulo: vulnerabilidade, marginalidade, ativismos. São Paulo: 34, 2016. p. 23-54.

MORIN, Edgar. Cultura de massas no século XX: o espírito do tempo I – neurose. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1990.

NOVAES, Regina; VENTURI, Gustavo; RIBEIRO, Eliane; PINHEIRO, Diógenes (org.). Agenda juventude Brasil: leituras sobre uma década de mudanças. Rio de Janeiro: Unirio, 2016.

PAIS, José Machado. Culturas juvenis. Lisboa: INCM, 2003.

PEREIRA, Alexandre Barbosa. Os “rolezinhos” nos centros comerciais de São Paulo: juventude, medo e preconceito. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, Manizales, Colômbia, v. 14, n. 1, p. 545-557, jan./jun. 2016.

PEREIRA, Alexandre Barbosa. Um rolê pela cidade de riscos: leituras da piXação em São Paulo. São Carlos: EdUFSCar, 2018.

REGUILLO, Rossana. Culturas juveniles: formas políticas del desencanto. Buenos Aires: Siglo Veintiuno, 2013.

SCHERER-WARREN, Ilse. Manifestações de rua no Brasil 2013: encontros e desencontros na política. Cadernos CRH, Salvador, v. 27, n. 71, p. 417-429, maio/ago. 2014.

SOUTO, Anna Luiza Salles. Juventude e participação. In: NOVAES, Regina; VENTURI, Gustavo; RIBEIRO, Eliane; PINHEIRO, Diógenes (org.). Agenda juventude Brasil: leituras sobre uma década de mudanças. Rio de Janeiro: Unirio, 2016.

SOUZA, Davisson Charles Cangussu; VAZQUEZ, Daniel Arias. Expectativas de jovens do ensino médio público em relação ao estudo e ao trabalho. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 2, p. 409-426, abr./jun. 2015.

TARDE, Gabriel. A opinião e as massas. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

THRASHER, Frederic. The gang: a study of 1.313 gangs in Chicago. Chicago: University of Chicago Press, 2013.

Downloads

Publicado

16-11-2020

Edição

Seção

Artigos