Repetência e indisciplina: evidências de Brasil e Portugal no Pisa 2012

Autores

  • Daniel Abud Seabra Matos Departamento de Educação da Universidade Federal de Ouro Preto – Ufop –, Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil
  • Maria Eugénia Ferrão Departamento de Matemática da Universidade da Beira Interior – UBI – e do Centro de Matemática Aplicada à Previsão e Decisão Económica – Cemapre –, Covilhã, Portugal

Palavras-chave:

Repetência, Pisa, Análise de Regressão

Resumo

Este trabalho objetiva analisar o fenômeno da repetência escolar no Brasil e em Portugal, por meio dos dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes [Programme for International Student Assessment] – Pisa 2012, e aplicar um modelo de regressão logística multinível tendo a repetência como variável dependente, no sentido de identificar características dos estudantes e das escolas que estejam associadas à probabilidade de repetência para estimar a variabilidade entre escolas. Dentre os principais resultados, a contribuição mais significativa deste estudo é explicitar uma clara associação entre repetência e indisciplina escolar. Pesquisas adicionais baseadas em dados longitudinais são necessárias para investigar aprofundadamente as características dos estudantes e das escolas que estejam associadas à mudança das condições de educação e que influenciam a probabilidade de repetência.  

Biografia do Autor

Daniel Abud Seabra Matos, Departamento de Educação da Universidade Federal de Ouro Preto – Ufop –, Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil

Graduado em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestre em Educação pela UFMG. Doutor em Educação pela UFMG, com período Sanduíche na University of Florida. Professor Adjunto II do Departamento de Educação da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Orientador no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFOP. Coordenador de Gestão Pedagógica do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) da UFOP. Membro do Núcleo de Avaliação Educacional (NAVE) da UFOP. Presidente da Comissão Própria de Avaliação (CPA) da UFOP. Membro da Associação Brasileira de Avaliação Educacional (ABAVE). Membro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPED). Interesses de pesquisa: avaliação educacional e psicológica.

Maria Eugénia Ferrão, Departamento de Matemática da Universidade da Beira Interior – UBI – e do Centro de Matemática Aplicada à Previsão e Decisão Económica – Cemapre –, Covilhã, Portugal

Professora do Departamento de Matemática da Universidade da Beira Interior – UBI – e do Centro de Matemática Aplicada à Previsão e Decisão Económica – Cemapre –, Covilhã, Portugal

Referências

ALAVARSE, Ocimar Munhoz. A organização do ensino fundamental em ciclos: algumas questões. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 40, p. 35-50, jan./abr. 2009.

ALVES, Fátima; ORTIGÃO, Isabel; FRANCO, Creso. Origem social e risco de repetência: interação raça-capital econômico. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 130, p. 161-180, 2007.

ALVES, Luciana et al. Seleção velada em escolas públicas: práticas, processos e princípios geradores. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 1, p. 137-152, jan./mar. 2015.

ALVES, Maria Teresa Gonzaga; FRANCO, Creso. A pesquisa em eficácia escolar no Brasil: evidências sobre o efeito das escolas e fatores associados à eficácia escolar. In: BROOKE, Nigel; SOARES, José Francisco (Org.). Pesquisa em eficácia escolar: origem e trajetórias. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008. p. 482-500.

ALVES, Maria Teresa Gonzaga; SOARES, José Francisco. Contexto escolar e indicadores educacionais: condições desiguais para a efetivação de uma política de avaliação educacional. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 1, p. 177-194, jan./mar. 2013. Disponível em:

<http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/70382>. Acesso em: 07 jul. 2015.

ALVES, Maria Teresa Gonzaga; SOARES, José Francisco. Efeito-escola e estratificação escolar: o impacto da composição de turmas por nível de habilidade dos alunos. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 45, p. 25-58, jun. 2007.

BARBOSA, Maria Eugenia Ferrão; FERNANDES, Cristiano. A escola brasileira faz diferença? Uma investigação dos efeitos da escola na proficiência em matemática dos alunos da 4a série. In: FRANCO, Creso (Org.). Avaliação, ciclos e promoção na educação. Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 155-172.

BARBOSA, Maria Eugenia Ferrão; FERNANDES, Cristiano. Modelo multinível: uma aplicação a dados de avaliação educacional. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, n. 22, p. 135-153, jul./dez. 2000.

BROPHY, Jere. Grade repetition. Paris; Brussels: The International Institute for Educational Planning (IIEP); The International Academy of Education (IAE), 2006 (Education Policy Series, 6). Disponível em: <http://www.unesco.org/iiep/PDF/Edpol6.pdf>. Acesso em: 08 jun. 2015 .

CAMACHO, Luiza Mitiko Yshiguro. As sutilezas das faces da violência nas práticas escolares de adolescentes. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 123-140, jan./jun. 2001.

CAMARGO, Dair Aily Franco. A escola pública de 5a a 8a séries: algumas características dos alunos, dos professores e do trabalho docente em sala de aula. Paidéia, Ribeirão Preto, n. 2, p. 10-28, fev./jul. 1992.

CORREA, Erisson Viana; BONAMINO, Alicia; SOARES, Tufi Machado. Evidências do efeito da repetência nos primeiros anos escolares. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 25, n. 59, p. 242-269, set./dez. 2014.

COSTA, Marcio; BARTHOLO, Tiago Lisboa. Padrões de segregação escolar no Brasil: um estudo comparativo entre capitais do país. Educação & Sociedade, Campinas, v. 35, n. 129, p. 1183-1203, out./dez. 2014.

CRAHAY, Marcel. É possível tirar conclusões sobre os efeitos da repetência? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 127, p. 223-246, jan./abr. 2006.

CRAHAY, Marcel; BAYE, Ariane. Existem escolas justas e eficazes? Esboço de resposta baseado no Pisa 2009. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 150, p. 858-883, set./dez. 2013.

ÉRNICA, Maurício; BATISTA, Antônio Augusto Gomes. A escola, a metrópole e a vizinhança vulnerável. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 146, p. 640-666, maio/ago. 2012.

FERNANDES, Claudia de Oliveira. Escolas em ciclos: particularidades evidenciadas a partir dos dados do Saeb. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 15, n. 30, p. 83-106, jul./dez. 2004.

FERNANDES, Domingos. O tempo da avaliação. Noesis, Lisboa, n. 23, p. 18-21, 1992.

FERRÃO, Maria Eugénia. Tópicos sobre retenção em Portugal através do Pisa: qualidade e equidade. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, Tempe, Arizona, v. 23, n. 114, p. 1-22, 2015a. Disponível em: <http://www.oei.es/oeivirt/recursos22.htm>. Acesso em: 03 out. 2015.

FERRÃO, Maria Eugénia. Retenção escolar e desenvolvimento cognitivo no ensino básico. In: NUNES, Luis (Org.). A escola e o desempenho dos alunos. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2015b. p. 87-104.

FERRÃO, Maria Eugénia. Modelos de regressão multinível em educação e psicologia. In: SILVA, M. C. R. et al. (Org.). Métodos estatísticos avançados aplicados à avaliação psicológica e educacional. São Paulo: Vetor, 2015c. p. 1-11.

FERRÃO, Maria Eugénia. School effectiveness research findings in the Portuguese speaking countries: Brazil and Portugal. Educational Research for Policy and Practice, v. 13, n. 1, p. 3-24, jul. 2014.

FERRÃO, Maria Eugénia. Introdução aos modelos de regressão multinível em educação. Campinas: Komedi, 2003.

FERRÃO, Maria Eugénia; BELTRÃO, Kaizô Iwakami; SANTOS, Denis Paulo. Políticas de nãorepetência e a qualidade da educação: evidências obtidas a partir da modelagem dos dados da 4a série do SAEB-99. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, n. 26, p. 47-73, jul./dez. 2002.

FERRÃO, Maria Eugénia; COSTA, Patricia; MATOS, Daniel Abud Seabra. The relevance of school composition on grade retention in Brazil: a logistic multilevel model of PISA 2012. Submetido. 2015.

FERRÃO, Maria Eugénia; FERNANDES, Cristiano. O efeito-escola e a mudança – dá para mudar? Evidências da investigação brasileira. Revista Electrónica Iberoamericana sobre Qualidade, Eficácia e Mudança em Educação, v. 1, n. 1, p. 1-13, 2003. Disponível em: <http://www.ice.deusto.es/

RINACE/reice/vol1n1/Reo_FerraoyFernandes.htm>. Acesso em: 09 jul. 2015.

FERRÃO, Maria Eugénia et al. O SAEB – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica: objectivos, características e contribuições na investigação da escola eficaz. Revista Brasileira de Estudos de População, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1/2, p. 111-130, jan./dez. 2001.

FRASER, Barry J. Learning environments research: yesterday, today and tomorrow. In: GOH, S. C.; KHINE, M. S. (Org.). Studies in educational learning environments: an international perspective. River Edge, NJ: World Scientific, 2002. p. 1-25.

FRASER, Barry J.; WALBERG, Herbert J. Educational environments: evaluation, antecedents and consequences. Oxford, England: Pergamon Press, 1991.

GOLDSTEIN, Harvey. Multilevel statistical models. 3. ed. London: Edward Arnold, 2003.

HATTIE, John. Visible learning: a synthesis of over 800 meta-analyses relating to achievement. London: Routledge, 2009.

KLEIN, Ruben; RIBEIRO, Sergio Costa. O censo educacional e o modelo de fluxo: o problema da repetência. Revista Brasileira de Estatística, Rio de Janeiro, v. 52, n. 197/198, p. 5-45, jan./dez. 1991.

KOPPENSTEINER, Martin Foureaux. Automatic grade promotion and student performance: evidence from Brazil. Journal of Development Economics, v. 107, p. 277-290, mar. 2014. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1016/j.jdeveco.2013.12.007>. Acesso em: 04 jan. 2015.

LAROS, Jacob Arie. Fatores associados ao desempenho escolar em Português: um estudo multinível por regiões. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 20, n. 77, p. 623-646, out./dez. 2012.

LITTLE, Roderick J. A.; RUBIN, Donald B. Statistical analysis with missing data. 2. ed. New Jersey: John Wiley & Sons, 2002.

LOPES, João. A indisciplina na sala de aula. In: LOPES, João; ESPELAGE, Dorothy L. (Org.). A indisciplina na escola. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2013. p. 37-67.

NOGUEIRA, Maria Alice. No fio da navalha: a (nova) classe média brasileira e sua opção pela escola particular. In: ROMANELLI, G.; NOGUEIRA, M. A.; ZAGO, N. (Org.). Família & escola: novas perspectivas de análise. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013. p. 109-130.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT – OECD. Results from Pisa 2012 – Brazil. Country Note. Paris, 2014a. Disponível em: <http://www.oecd.org/education/PISA-2012-results-brazil.pdf>. Acesso em: 01 jun. 2015.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT – OECD. PISA 2012 Technical Report. Paris, 2014b.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT – OECD. PISA 2012

Results: what makes schools successful? Resources, policies and practices. Paris, 2013. v. IV.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT – OECD. Equity and quality in education – supporting disadvantaged students and schools. Paris, 2012.

ORTIGÃO, Maria Isabel Ramalho; AGUIAR, Glauco Silva. Repetência escolar nos anos iniciais do ensino fundamental: evidências a partir dos dados da Prova Brasil 2009. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 94, n. 237, p. 364-389, maio/ago. 2013.

PAUL, Jean-Jacques. Le redoublement à l’école: Une maladie universelle? International Review of Education, Harrisburg, v. 43, n. 5-6, p. 611-627, 1997.

PFEFFERMANN, Danny et al. Weighting for unequal selection probabilities in multilevel models. Journal of the Royal Statistical Society. Series B (Statistical Methodology), London, v. 60, n. 1, p. 23-40, 1998. Disponível em: <http://www.blackwellpublishing.com/journal. asp?ref=1369-7412>. Acesso em: 04 jan. 2015.

PORTUGAL. Conselho Nacional de Educação. Retenção escolar nos ensinos básico e secundário: relatório técnico. Lisboa: Conselho Nacional de Educação, 2015.

RABE-HESKETH, Sophia; SKRONDAL, Anders. Multilevel modelling of complex survey data.Journal of the Royal Statistical Society. Series A: Statistics in Society, London, v. 169, n. 4, p. 805-827, 2006.

RIANI, Juliana Lucena Ruas; SILVA, Vania Candida; SOARES, Tufi Machado. Repetir ou progredir? Uma análise da repetência nas escolas públicas de Minas Gerais. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 3, p. 623-636, jul./set. 2012.

RIBEIRO, Sérgio Costa. A pedagogia da repetência. Estudos Avançados, São Paulo, v. 12, n. 5, p. 7-21, maio/ago. 1991.

SILVA, Luciano Campos. Disciplina e indisciplina na aula: uma perspectiva sociológica. 2007. 285 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

SILVA, Luciano Campos; MATOS, Daniel Abud Seabra. As percepções dos estudantes mineiros sobre a incidência de comportamentos de indisciplina em sala de aula: um estudo a partir dos dados do SIMAVE/PROEB 2007. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 19, n. 58, p. 713-730, jul./set. 2014.

SILVA, Luciano Campos; NOGUEIRA, Maria Alice. Indisciplina ou violência na escola: uma distinção possível e necessária. In: GONÇALVES, Luiz Alberto Oliveira; TOSTA, Sandra Pereira (Org.). A síndrome do medo contemporâneo e a violência escolar. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p. 15-62.

SOARES, Jose Francisco; CESAR, Cibele Comini; MAMBRINI, Juliana. Determinantes de desempenho dos alunos do ensino básico brasileiro: evidências do SAEB de 1997. In: FRANCO, Creso (Org.). Avaliação, ciclos e promoção na educação. Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 121-153.

Downloads

Publicado

14-10-2016

Edição

Seção

Tema em Destaque