A construção do olhar antropológico na formação docente

Autores

  • Bernadete de Lourdes Ramos Beserra Coordenadora de Edições Fundação Carlos Chagas, São Paulo, São Paulo, Brasil

Resumo

O projeto apresenta experiência desenvolvida na disciplina Antropologia
da Educação no curso de Pedagogia da Universidade Federal do Ceará. A partir da utilização de recursos da pesquisa antropológica no ensino da disciplina, entre os quais, a observação participante e escrita de diários de campo, produziu-se a desnaturalização do fenômeno “dar/assistir aula” e, em consequência, constatou-se que a metodologia do estranhamento do familiar possibilita não apenas a constituição de uma forma específica de enxergar e lidar com o “outro”, como também de observar-se e lidar consigo próprio. Alcançou-se, assim, o objetivo tanto do aprendizado dos conteúdos da disciplina, como da reflexividade, habilidade indispensável a toda formação docente, particularmente a do futuro professor da educação básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bernadete de Lourdes Ramos Beserra, Coordenadora de Edições Fundação Carlos Chagas, São Paulo, São Paulo, Brasil

Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, Ceará, Brasil

Referências

BESERRA, B. Da antropologia da educação a uma didática antropológica. In: REUNIÃO EQUATORIAL DE ANTROPOLOGIA, 5.; REUNIÃO DE ANTROPÓLOGOS DO NORTE E NORDESTE, 14., 2015, Maceió. Anais... Maceió: Edufal, 2015.

BESERRA, B.; LACERDA, C. C. A pesquisa etnográfica em sala de aula: o WhatsApp e outras descobertas. Diálogos nas fronteiras: a educação como objeto de investigação na antropologia. Horizonte, 2015. In: WORKSHOP INTERNACIONAL.

BESERRA, B.; LAVERGNE, R. Exotizando o dar/assistir aula: contribuições da etnografia à formação de professores. In: REUNIÃO DE ANTROPOLOGIA DO MERCOSUL, 11., 2015, Montevideo. Anais... Montevideo: Universidad de la Republica Uruguay, 2015BESERRA, B.; OLIVEIRA, L. K.; SANTOS, C. Entre o populismo docente e o dom da fala discente: problemas do ensino básico que sobrevivem à formação superior em pedagogia. Revista Dialectus, Fortaleza, v. 2, n. 5, p. 150-165, 2014.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 2008.

BOURDIEU, P. O senso prático. Petrópolis: Vozes, 2013.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. Campinas: Autores Associados, 1996.

FERNANDES, F. O desafio educacional. São Paulo: Cortez, 1989.

GATTI, B. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out./dez. 2010.

LAVE, J. Cognition in practice. Cambridge: Cambridge University Press, 1988.

LAVE, J.; WENGER, E. Situated learning: legitimate peripheral participation. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

LEVINSON, B.; FOLEY, D.; HOLLAND, D. (Org.). The cultural production of the educated person. New York: Suny, 1996.

OLIVEIRA, K. Ser ou não ser professor: culturas de formação docente no curso de pedagogia. Trabalho de Conclusão do Curso de Pedagogia. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

SALES, Y. Diários de campo para campos minados: o olhar antropológico voltado ao próprio contexto escolar como estratégia para a formação docente. Antropologia em pesquisas na universidade e na escola pública. In: REUNIÃO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 30., João Pessoa, ago. 2016.

SEVERINO, A. J. Ensino e pesquisa na docência universitária: caminhos para a integração. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2008. (Cadernos de Pedagogia Universitária, 3).

Downloads

Publicado

17-11-2016

Como Citar

Beserra, B. de L. R. (2016). A construção do olhar antropológico na formação docente. Textos FCC, 50, 93–121. Recuperado de https://publicacoes.fcc.org.br/textosfcc/article/view/4318