Didática e formação de professores: provocações

Autores

  • Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas; Conselho Estadual de Educação de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil

Palavras-chave:

Pratique d’Enseignement, Scolarisation, Didactique, Formation des Enseignants

Resumo

Este artigo discute as principais questões que as pesquisas atuais têm levantado sobre a formação de professores e traz reflexões a respeito das demandas da escolarização na contemporaneidade. Com essa contextualização, abordam-se documentos oficiais que, a partir de 2015, foram exarados para orientar a formação de docentes para a educação básica, considerando particularmente o novo Plano Nacional de Educação e os documentos do Conselho Nacional de Educação, a saber: o Parecer CNE/CP n. 2/2015 e a Resolução n. 2/2015. Explora-se o que, nesses documentos, refere-se aos conhecimentos do campo da Didática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bernardete A. Gatti, Fundação Carlos Chagas; Conselho Estadual de Educação de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil

Consultora da Fundação Carlos Chagas, Presidente do Conselho Estadual de Educação de São Paulo

Referências

ANDRÈS, F. F. et al. (Ed.). La escuela que vivimos. León: Universidad de León, 1995.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei n. 13.005 de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação 2014–2024 e dá outras providências. Diário Oficial [da]República Federativa do Brasil, Brasília, DE, 26 jun. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP n. 02/2015, aprovado em 9 de junho de 2015 – Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica. Brasília, DF: MEC/CNE, 2015a.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 2, de 1 julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF: MEC/CNE, 2015b.

FIORENTINI, L. M. R. Formação inicial e continuada a distância de professores: possibilidades e desafios. In: CUNHA, C.; SOUZA, J. V.; SILVA, M. A. Avaliação de políticas públicas de educação. Brasília: LiberLivro, UnB, 2012. p. 285-318.

GATTI, B. A. Formação inicial de professores para a educação básica: pesquisas e políticas educacionais. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 25, n. 57, p. 24-54, 2014.

GATTI, B. A. Políticas educacionais e educação básica: desafios para as políticas e formação docente. In: PACHECO RIOS, J. A. V. (Org.). Políticas, práticas e formação na educação básica. Salvador: Editora da UFBA, 2015. p. 25-34.

GATTI, B. A.; NUNES, M. M. R. (Org.). Formação de professores para o ensino fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em pedagogia, língua português, matemática e ciências biológicas. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2009. (Textos FCC, 29).

GATTI, B. A.; ANDRÉ, M. E. D. A.; GIMENES, N. A. S.; FERRAGUT, L. Um estudo avaliativo do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2014. (Textos FCC, 41).

GATTI, B. A. et al. Formação de professores para o ensino fundamental: instituições formadoras e seus currículos. Estudos & Pesquisas Educacionais, São Paulo, n. 1, p. 95-138, 2010.

GATTI, B. A. et al. Análises pedagógico-curriculares para os cursos de licenciatura vinculados às áreas de artes, biologia, história, língua portuguesa, matemática e pedagogia no âmbito da UAB e Parfor. Brasília: Unesco, MEC, Capes, 2012. (Documento técnico).

LENOIR, Y. La recherche dans le champ des didactiques: quelques remarques sur les types de recherche, leur pertinance et leur limites pour la formation à l’enseignement. Revue Suisse des Sciences de l’Éducation, Fribourg, Suisse, Année 22, n. 1, p. 177-220, 2000.

LIBÂNEO, J. C. O ensino da Didática, das metodologias específicas e dos conteúdos específicos do ensino fundamental nos currículos dos cursos de Pedagogia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 91, n. 229, p. 562-583, 2010.

LONGAREZI, A. M.; PUENTES, R. V. (Org.). A didática no âmbito da pós-graduação brasileira. Uberlândia: Edufu, 2016.

MIZUKAMI, M. G. N. Escola e desenvolvimento profissional da docência. In: GATTI, B. A.; SILVA JÚNIOR, A. C.; PAGOTTO, M. D. S.; NICOLETTI, M. G. Por uma política nacional de formação de professores. São Paulo: Editora Unesp, 2013. p. 23-54.

MONFREDINI, I.; MAXIMIANO, G. F.; LOTFI, M. C. O deserto da formação inicial nas licenciaturas e alguns oásis. Jundiaí, SP: Paco, 2013.

PRETTO, N. de L.; LAPA, A. Educação a distância e precarização do trabalho docente. Em Aberto, Brasília, v. 23, n. 84, p. 79-97, nov. 2010.

RODRIGUES, N. Responsabilidade do estado e da sociedade. Tecnologia Educacional, v. 20, n. 101, p. 12-19, 1991.

SILVA JÚNIOR, C. A. Construção de um espaço público de formação. In: SILVA JÚNIOR, C. A.; GATTI, B. A.; MIZUKAMI, M. G. N.; PAGOTTO, M. D. S.; SPAZZIANI, M. L. (Org.). Por uma revolução no campo da formação de professores. São Paulo: Editora Unesp, 2015. p. 133-148.

VEIGA, I. P. A. Prefácio. In: LONGAREZI, A. M.; PUENTES, R. V. (Org.). A didática no âmbito da pós-graduação brasileira. Uberlândia: Edufu, 2016. p. 15-18.

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Gatti, B. A. (2021). Didática e formação de professores: provocações. Cadernos De Pesquisa, 47(166), 1150–1164. Recuperado de https://publicacoes.fcc.org.br/cp/article/view/4349

Edição

Seção

Tema em Destaque - Didática e formação de professores