O dizer do outro na constituição identitária de professores em formação

Autores

Palavras-chave:

Letramento, Formação de Professores, Formação Inicial, Estágio Supervisionado

Resumo

Baseadas nas ciências da linguagem e da educação, objetivamos analisar elementos discursivos que indiciam a construção das identidades docentes emergentes na produção escrita no contexto do curso de graduação, em que são requeridas idas à escola como atividade do componente curricular. Nos ancoramos nos estudos do letramento e na abordagem bakhtiniana do discurso. Quanto à formação de professores no ensino superior, optamos por trabalhos com narrativas de trajetórias sobre a docência. Trata-se de uma pesquisa participante, qualitativo-interpretativista. Como um dos resultados, reiteramos a potência da produção escrita dos estagiários para mobilizar questões sobre a formação profissional docente. As réplicas em seus enunciados tornam visíveis como o dizer do outro afeta os sujeitos em situações da sala de aula. Procuramos acrescentar pistas e indícios sobre processos de formação de professores no âmbito universitário.  

Biografia do Autor

Ana Lúcia Guedes-Pinto, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas (SP), Brasil

Professora Titular do Departamento de Ensino e Práticas Culturais da Faculdade de Educação da Unicamp

Angela B. Kleiman, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas (SP), BrasilP

Professora Titular aposentada do Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp.

Referências

Assis, J. A. (2018). Representações sociais sobre o professor na formação inicial docente: Diálogos e confrontos. In C. L. Reichmann, & A. L. Guedes-Pinto. (Orgs.), Horizontes (im)possíveis no estágio: Práticas de letramento e formação de professores de língua (pp. 67-83). Pontes.

Austin, J. L. (1962). Quando dizer é fazer. Artes Médicas.

Barros, M. de. (2015). Menino do mato. Objetiva.

Bakhtin, M. (2017). Teoria do romance I: A estilística (P. Bezerra, Trad.). Editora 34.

Bauman, Z. (2005). Identidade: Entrevista concedida a Benedetto Vecchi. Zahar.

Bragança, I. F. S., & Ossa, D. M. (2018). As duas vozes, todas as vozes: Encontros biográfico-narrativos em formação entre Brasil e Colômbia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 99(252), 469-481.

Brait, B., & Melo, R. (2008). Enunciado / enunciado concreto / enunciação. In B. Brait. (Org.), Bakhtin: Conceitos-chave (4a. ed., pp. 61-78). Contexto.

Brait, B. (Org.) (2016). Bakhtin e o Círculo. Contexto.

Ezpeleta, J. (1989). Notas sobre a pesquisa participante e construção teórica. In J. Ezpeleta, & E. Rockwell (Orgs.), Pesquisa participante (2a. ed.). Cortez; Autores Associados.

Guedes-Pinto, A. L. (2015). Práticas de escrita na formação de professores: Indícios de apropriação da profissão docente. Mercado de Letras.

Guedes-Pinto, A. L., & Fontana, R. A. C. (2006). Apontamentos teórico-metodológicos sobre a prática de ensino na formação inicial. Educação em Revista, 44, 69-87.

Haall, S. (1998). A identidade cultural na pós-modernidade (2a. ed., T. T. Silva, & G. L. Louro, Trad.). DP&A.

Hall, S. (2002). Identidade e diferença: A perspectiva dos estudos culturais. Vozes.

Hall, S. (2006). Da diáspora: Identidades e mediações culturais. UFMG.

Kleiman, A. B. (1995). Os significados do letramento. Mercado de Letras.

Kleiman, A. B. (1998). A construção de identidade em sala de aula: Um enfoque interacional. In I. Signorini (Org.), Língua(gem) e identidade (pp. 267-302). Mercado de Letras.

Kleiman, A. B. (2005). As metáforas conceituais na educação linguística do professor: Índices da transformação de saberes na interação. In A. B. Kleiman, & M. de L. M. Matencio. (Orgs.), Letramento e formação do professor: Práticas discursivas, representações e construção do saber (pp. 203-228). Mercado de Letras.

Kleiman, A. B., Vianna, C., & De Grande, P. (2013). “Sem querer ir contra pessoas tão ilustres...”: Construção e negociação identitárias do professor entre discursos de (des)legitimação. Scripta, 17(3), 175-195.

Lopes, M. A. P. T. (2018). Gêneros de discurso na formação: Saberes em diálogo na constituição da identidade acadêmica profissional. In C. L. Reichmann, & A. L. Guedes-Pinto (Orgs.), Horizontes (im)possíveis no estágio: Práticas de letramento e formação de professores de língua (pp. 195-218). Pontes.

Matencio, M. de L. M. (2013). Práticas discursivas, gêneros do discurso e textualização. In L. Bueno, M. A. P. T. Lopes, & V. L. L. Cristovão (Orgs.), Gêneros textuais e formação inicial: Uma homenagem à Malu Matencio (pp. 69-81). Mercado de Letras.

Moita Lopes, L. P. (2003). Socioconstrucionismo: Discurso e identidade social. In L. P. Moita Lopes (Org.), Discursos de identidade. Mercado de Letras.

Reichmann, C. L. (2015). Letras e letramentos. Mercado de Letras.

Reichmann, C. L. (2016). O estágio supervisionado como prática de letramento acadêmico-profissional. In A. B. Kleiman, & J. A. Assis (Orgs.), Significados e ressignificações do letramento: Desdobramentos de uma perspectiva sociocultural sobre a escrita (pp. 367-390). Mercado de Letras.

Sengik, A. S., Timm, J. W., & Stabãus, C. D. (2019). Estágio docente como prática pedagógica. ETD-Educação Temática Digital, 21(4), 979-993.

Serodio, L. A., & Prado, G. V. T. (2015). Metodologia narrativa de pesquisa em educação na perspectiva do gênero discursivo bakhtiniano. In G. V. T. Prado, L. A. Serodio, H. H. M. Proença, & N. C. Rodrigues (Orgs.), Metodologia narrativa de pesquisa em educação: Uma perspectiva bakhtiniana. Pedro & João Editores.

Silva, P. O. da. (2008). O não-lugar da professora auxiliar: Alguns apontamentos [Trabalho de Conclusão de Curso, Faculdade de Educação, Unicamp – Universidade Estadual de Campinas]. Biblioteca Digital da Unicamp. http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000437202&opt=1

Silva, J. Q. G., & Matencio, M. de L. M. (2005). Referência pessoal e jogo interlocutivo: Efeitos identitários. In A. B. Kleiman, & M. de L. M. Matencio (Orgs.), Letramento e formação do professor: Práticas discursivas, representações e construção do saber. Mercado de Letras.

Street, B. V. (1984). Literacy in theory and practice. Cambridge: Cambridge University Press.

Valsechi, M. C., & Pereira, S. (2016). (Des)caminhos para o letramento do professor no espaço da formação docente. In A. B. Kleiman, & J. A. Assis (Orgs.), Significados e ressignificações do letramento: Desdobramentos de uma perspectiva sociocultural sobre a escrita (pp. 411-440). Mercado de Letras.

Varghese, M., Morgan, B., Johnston, B., & Jonhson, K. A. (2005). Theorizing language teacher identity: Three perspectives and beyond. Journal of Language, Identity and Education, 1, 21-44.

Velho, G. (2003). O desafio da proximidade. In G. Velho, & K. Kuschnir (Orgs.), Pesquisas urbanas: Desafios do trabalho antropológico. Jorge Zahar.

Volóchinov, V. (2017). Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem (S. Grillo, & E. Vólkova Américo, Trad.). Editora 34.

Downloads

Publicado

30-04-2021

Edição

Seção

Formação e Trabalho Docente