Resultados brasileiros no PISA e seus (des)usos

Maria de Lourdes Haywanon Santos Araújo, Robinson Moreira Tenório

Resumo


O objetivo desta pesquisa consistiu em analisar como foram utilizados os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA) no contexto educacional brasileiro. A revisão de literatura permitiu apontar a avaliação como um fator fundamental para a qualificação da educação, elaborar um panorama das pesquisas sobre o PISA no Brasil, além de propiciar discussões sobre a necessidade do uso dos resultados das avaliações em larga escala. A partir da análise documental e de entrevistas semiestruturadas, foi possível não apenas apresentar um estudo sobre o uso dos resultados do PISA no país, mas também estabelecer categorias de usos como o Uso Indevido ou Não Uso, apresentando as possibilidades e dificuldades dessa utilização e o papel dos gestores nesse processo.

Palavras-chave: Pisa; Uso de Resultados; Avaliação Educacional; Políticas Públicas.

 

Resultados brasileños en el PISA y sus (des)usos

El objetivo de este estudio consistió en analizar cómo se utilizaron los resultados del Programa Internacional de Evaluación de Estudiantes (PISA) en el marco educacional brasileño. La revisión de literatura permitió que la evaluación se considerase como un factor fundamental para la cualificación de la educación y se elaborase un panorama de las investigaciones sobre PISA en Brasil, además de propiciar discusiones sobre la necesidad del uso de los resultados de las evaluaciones en gran escala. A partir del análisis documental y de entrevistas semiestructuradas, se hizo posible no solo presentar un estudio sobre el uso de los resultados de PISA en el país, sino también establecer categorías de usos, como el Uso Indebido o No Uso, presentando las posibilidades y dificultades de dicha utilización y el papel de los gestores en este proceso.

Palabras-clave: PISA; Uso de Resultados; Evaluación Educacional; Políticas Públicas.

 

Brazilian results in PISA and its (mis)uses

The objective of this study was to analyze how the results of the Program for International Student Assessment (PISA) were used in the Brazilian educational context. The literature review showed that assessment is a fundamental factor for the qualification of education, for elaborating an overview of the PISA studies in Brazil, as well as for promoting discussions about the need to use the results of evaluations on a large scale. Based on the documentary analysis and semi-structured interviews, it was possible not only to present a study on the use of the PISA results in the country but also to establish categories of uses, such as Improper Usage or Lack of Usage, showing the possibilities and difficulties of such use and the administrators’ role in this process.

Keywords: PISA; Use of Results; Educational Assessment; Public Policies.


Palavras-chave


PISA; Uso de Resultados; Avaliação Educacional; Políticas Públicas.

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, Almerindo Janela. Reforma do Estado e políticas educacionais: entre a crise do Estado-nação e a emergência da regulação supranacional. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 22, n. 75, p. 15-32, ago. 2001.

AGUIAR, Glauco da Silva. Estudo comparativo entre Brasil e Portugal, sobre diferenças nas ênfases curriculares de matemática, a partir da análise do funcionamento diferencial do item (DIF) do PISA 2003. 2008. 197f. Tese (Doutorado em Educação) – Departamento de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

ARAÚJO FILHO, Heleno. O IDEB e a avaliação da qualidade da Educação Básica. s.d. Disponível em: CNTE. Acesso em: set. 2013.

BECKER, Fernanda. Avaliações externas e ensino fundamental: do currículo para a qualidade ou da qualidade para o currículo? Revista Electrónica Iberoamericana sobre Calidad, Efi y Cambio em Educacion, Madrid, v. 10, n. 4, p. 37-48, 2012. Disponível em: . Acesso em: fev. 2014.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório Nacional PISA 2000. Brasília, DF: Inep, 2001. Disponível em: . Acesso em: jan. 2017.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório Nacional PISA 2006. Brasília, DF: Inep, 2007. Disponível em: . Acesso em: nov. 2016.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório Nacional PISA 2009. Brasília, DF: Inep, 2010. Disponível em: . Acesso em: dez. 2016.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório Nacional PISA 2012. Brasília, DF: Inep, 2013. Disponível em: . Acesso em: nov. 2016.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório Nacional PISA 2015. Brasília, DF: Inep, 2016. Disponível em: . Acesso em: jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). Brasília, DF: MEC, 2007b. Disponível em . Acesso em: dez. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor). Brasília, DF: MEC, 2010.

Disponível em: . Acesso em: ago.2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório de Gestão da Diretoria de Educação Básica (2009-2013). Brasília, DF: MEC, 2013. Disponível em: . Acesso em: ago. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Programa Novos Talentos. Brasília, DF: MEC, 2014. Disponível em: . Acesso em: jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Fazenda. Ponto de Contato Nacional para as Diretrizes da OCDE. Brasília, DF: MF, 2012. Disponível em: . Acesso em: jul. 2013.

BRASIL. Governo Federal. Portal Brasileiro de Dados Abertos. Brasília, DF. Disponível em: . Acesso em: ago. 2011.

CALDERANO, Maria de Assunção; BARBACOVI, Lecir. Jacinto; PEREIRA, Margareth Conceição (Org.). O que o IDEB não conta? Processos e resultados alcançados pela Escola Básica. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2013.

COELHO, Liedson Antonio de Almeida. Possibilidades de usos dos resultados de processos avaliativos no aperfeiçoamento das políticas públicas: o caso do PROJOVEM URBANO. 2012. 313f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2012.

DANTAS, Lys Maria Vinhaes. As contribuições das políticas de avaliação educacional em larga escala: o caso da avaliação da aprendizagem na Bahia. 2009. 258f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

DIAZ, Mario de Miguel. La evaluación de programas sociales: fundamentos y enfoques teóricos. Revista de Investigación Educativa, Madri, v. 18, n. 2, p. 289-317, 2000. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2014.

FERREIRA, Rosilda; COELHO, Lielson. Contribuições da Avaliação para a tomada de decisão em políticas públicas: mediações entre decisores, gestores e avaliadores. In: TENÓRIO, Robinson; FERREIRA, Rosilda (Org.). Avaliação e decisão: teoria, modelos e usos. Salvador: EDUFBA, 2011.

FRANCO, C. Educação das elites no Brasil: a Bélgica não existe. Trabalho e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 2, n. 4, p. 13-15, ago. 2002.

FREITAS, Luiz Carlos et.al. Avaliação Educacional: caminhando pela contramão. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

GALVÃO, Taís Freire; PEREIRA, Mauricio Gomes. Revisões sistemáticas da literatura: passos para sua elaboração. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, DF, v. 23, n. 1, p. 183-184, mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2016.

KLEIN, Ruben. Uma re-análise dos resultados do PISA: problemas de comparabilidade. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 19, n. 73, p. 717-742, out./dez. 2011. Disponível em: Acesso em: maio 2012.

MACHADO, Veruska Ribeiro. Concepções de letramento subjacente ao PISA. 2005. 144f. (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2005.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. PISA 2000: Assessment Framework. Paris: OECD, 1999.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. Data Base. Paris: OECD, 2000. Disponível em: . Acesso em: jul. 2010.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. PISA 2003: Assessment Framework: Mathematics, Reading, Science and Problem Sollving Knowledge and Skills. Paris: OECD, 2003.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. PISA 2009. Assessment Framework: Key competencies in Reading, Mathematics and Science. Paris: OECD, 2009.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. Education at a glance. Paris: OECD, 2010.

Disponível em: . Acesso em: jul. 2012.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. Health at a glance 2013. Paris: OECD, 2013. Disponível em: . Acesso em: out. 2014.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. Health at a glance 2015. Paris: OECD, 2015.

Disponível em: . Acesso em: jan. 2016.

PINTO, Jose Marcelino de Rezende; AMARAL, Nelson Cardoso; CASTRO, Jorge Abrahão de. O financiamento do ensino médio no Brasil: de uma escola boa para poucos à massificação barata da rede pública. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 32, n. 116, p. 639-665, 2011.

PRAZERES, Luiz A. dos. A leitura no PISA 2000: acadêmicos e jornalistas avaliando resultados. 2009. 363f. Tese (Doutorado em Letras) – Centro de Estudos Gerais, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2009.

SCHIMITZ, Reinke; TENÓRIO, Robinson; ALMEIDA, Samantha. A Avaliação em larga escala e sua utilização a tomada de decisões em nível político macro e micro: a Prova Brasil. In: TENÓRIO, Robinson; FERREIRA, Rosilda (Org.). Avaliação e decisão: teoria, modelos e usos. Salvador: EDUFBA, 2011.

SOARES, Flávia dos Santos. Adoção, avaliação e circulação de livros didáticos de Matemática no século XIX. Zetetiké, v. 21, n. 40, p. 37-58, 2013. Disponível em: . Acesso em: mar. 2014.

SOBRINHO, José Dias. Avaliação: políticas educacionais e reformas da educação superior. São Paulo: Cortez, 2003.

SOUSA, Clarilza Prado de. Dimensões da avaliação educacional. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, n. 22, p. 101-118, jul./dez. 2000.

SOUZA, Alberto de Mello e. A relevância dos indicadores educacionais para educação básica: informação e decisões. Revista Meta: Avaliação, Rio de Janeiro, v. 2, n. 5, p. 153-179, maio/ago. 2010.

SOUZA, Antonio Lisboa Leitão de. Estado e política educacional: uma análise a partir do público-popular. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 25., 2002, Caxambu. Anais... Caxambu, 2002.

TENÓRIO, Robinson; LOPES, Uaçai. Avaliação: implicações para a gestão escolar. In: TENÓRIO, R.; BRITO, C.; LOPES, U. (Org.). Indicadores da educação básica. Salvador: EDUFBA, 2010.

VERHINE, Robert Evan. Pesquisa Nacional Qualidade na Educação: custo-aluno-qualidade em escolas de educação básica. Brasília, DF: MEC/Inep, 2006.

VIEIRA, Marcos; TENÓRIO, Robinson. Lacunas conceituais na doutrina das quatro gerações: elementos para uma teoria da avaliação. In: LOPES, Uaçai; TENÓRIO, Robinson (Org.). Avaliação e gestão: teorias e práticas. Salvador: EDUFBA, 2010. p. 53-74.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. O ensino das ciências no Brasil e o PISA. São Paulo: Sangari do Brasil, 2009.

WEISS, Carol. The interface between evaluation and public policy. Evaluation, Newcastle upon Tyne, UK, v. 5, n. 4, p. 468-486, Oct. 1999.

WORTHEN, Blaine R.; SANDERS, James L.; FITZPATRICK, Jody L. Avaliação de programas: concepções e práticas. Tradução de Dinah de Abreu Azevedo. São Paulo: Gente, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.18222/eae.v28i68.4553

Apontamentos

  • Não há apontamentos.