Para uma avaliação de larga escala multidimensional

Adilson Dalben, Luana Costa Almeida

Resumo


 

Inserido no projeto de pesquisa financiado pelo Observatório da Educação – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, “A qualidade da escola pública: um estudo longitudinal para a sustentação da responsabilização compartilhada”, e partindo da observação de que a avaliação de larga escala atualmente praticada  abarca  um  conjunto  de  objetivos  menor  do  que aqueles da matriz de formação desenvolvida nas escolas, sendo esses demais objetivos  também importantes  para a formação dos alunos, o presente texto traz à discussão a necessidade de uma avaliação externa mais fiel ao trabalho desenvolvido nos estabelecimentos de ensino, que, para se consolidar como tal, não pode fugir à multidimensionalidade do objeto a ser avaliado. Discutem-se, assim, os processos de avaliação de larga escala, defendendo não se poder avaliar a aprendizagem dos estudantes e a qualidade ofertada pelas escolas sem a construção de uma avaliação multidimensional.

 


Palavras-chave


Avaliação da educação; Qualidade da educação; Avaliação da aprendizagem; Avaliação institucional

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA; Luana C. Relação entre o desempenho e o entorno social em escolas municipais de Campinas: a voz dos sujeitos. 2014. 326f. Tese (Doutorado) − Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014.

BETINI, Geraldo A. Avaliação institucional em escolas públicas de ensino fundamental de Campinas. 2009. 394f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2009.

CABRITO, Belmiro G. Avaliar a qualidade em educação: Avaliar o quê? Avaliar como? Avaliar para quê?. Cadernos Cedes, Campinas, v. 29, n. 78, p. 178-200, maio/ago. 2009. Disponível em: . Acesso em: mar. 2015.

DALBEN, Adilson. Fatores associados à proficiência em leitura e matemática: uma aplicação do modelo linear hierárquico com dados longitudinais do Projeto GERES. 2014. 482 f. Tese (Doutorado) − Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2014.

DIAS SOBRINHO, José. Campo e caminhos da avaliação: a avaliação da educação superior no Brasil. In: FREITAS, Luiz Carlos de (Org.). Avaliação: construindo o campo e a crítica. Florianópolis: Insular, 2002.

DIAS SOBRINHO, José. Avaliação: políticas educacionais e reformas do ensino superior. São Paulo: Cortez, 2003.

FERNANDES, Maria E. A. Avaliação institucional da escola e do sistema educacional: base teórica e construção do projeto. 2. ed. Fortaleza: Demócrito Rocha, 2002.

FREITAS, Luiz C. Ciclos, seriação e avaliação: confronto de lógicas. São Paulo: Moderna, 2003.

FREITAS, Luiz C. Responsabilização, meritocracia e privatização: conseguiremos escapar ao neotecnicismo? In: SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO BRASILEIRA, 3., Centro de Estudos Educação e Sociedade, Campinas, fev. 2011. Disponível em: . Acesso em: mar. 2015.

GOLDSTEIN, Harvey; WOODHOUSE, Goeffrey. Pesquisa sobre eficácia escolar e políticas educacionais. In: BROOKE, Nigel; SOARES, José F. Pesquisa em eficácia escolar: origem e trajetórias. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

HADJI, Charles. Avaliação: a regra do jogo. Tradução de Julia L. Ferreira e José

M. Cláudio. Porto: Porto, 1994.

LEITE, Denise. Reformas universitárias: avaliação institucional participativa. Petrópolis: Vozes, 2005.

MADAUS, George F.; AIRASIAN, Peter W.; KELLAGHAN, Thomas. Insumos escolares, processos e recursos. In: BROOKE, Nigel; SOARES, José F. Pesquisa em eficácia escolar: origem e trajetórias. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

SORDI, Mara R. L.; FREITAS, Luiz C. Territórios da medida e da avaliação: elementos para uma avaliação institucional sob medida. In: SORDI, M. R. L.; SOUZA, E. S. S. (Org.). A avaliação institucional como instância mediadora da qualidade da escola pública: a rede municipal de educação de Campinas como espaço de aprendizagem. Campinas: Millennium, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.18222/eae266103140

Apontamentos

  • Não há apontamentos.