“Educação para uma vida melhor”: trajetórias sociais de docentes negros

Arilda Arboleya, Fernando Ciello, Simone Meucci

Resumo


 

A histórica engenharia de exploração e subjugação do trabalho negro no Brasil configurou um circuito de desigualdades sociais reincidente. Esse quadro se mostra claro nos limites estruturais impostos às possibilidades de ascensão social de afrodescendentes ainda hoje verificadas. Este trabalho pretende refletir sobre trajetórias de docentes negros de universidades públicas brasileiras, procurando perceber como a educação aparece instrumentalizada nestes discursos, tensionada entre a busca consciente de superação da condição histórica, os limites socioestruturais da desigualdade formal e simbólica, e a representação de si na composição do mérito. A análise desenvolve-se, mobilizando produções sociológicas acerca da relação entre educação, raça e ascensão social, a partir da análise das estratégias e dos caminhos encontrados pelos sujeitos para enfrentar condições institucionalizadas de preconceito.

 

 

 


Palavras-chave


Educação; Negros; Professores; Mobilidade Social.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento. Pensamento Brasileiro e sociologia da cultura: questões de interpretação. Tempo Social, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 107-118, jun. 2004. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2014.

AZEVEDO, Thales de. As elites de cor: um estudo de ascensão social. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1955.

BOURDIEU, Pierre. É possível um ato desinteressado? In: ______. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996. p. 137-156.

BOURDIEU, Pierre. Esboço de uma teoria da prática: Precedido de três estudos de etnologia Cabila. Oeiras: Celta, 2002.

BOURDIEU, Pierre. Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior 2012. Brasília: MEC/Inep, 2012.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior 2013. Brasília: MEC/Inep, 2013.

CARDOSO, Fernando Henrique. Capitalismo e Escravidão no Brasil Meridional. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

CARVALHO, José Jorge de. Inclusão étnica e racial no Brasil: a questão nas cotas no ensino superior. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

CARVALHO, José Jorge de. O Confinamento racial do mundo acadêmico brasileiro. Revista USP, São Paulo, n. 68, p. 88-103, 2005.

COSTA PINTO, Luiz de Aguiar. O negro no Rio de Janeiro. São Carlos: Nacional, 1953.

DÁVILA, Jerry. Diploma of Whiteness: race and social policy in Brazil, 1917-1945. Durham: Duke University Press, 2003.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS – DIEESE. Transformações recentes no perfil do docente das escolas estaduais e municipais de educação básica: uma análise a partir dos dados da Pnad. Nota Técnica, Brasília, n. 141, out. 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2014.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento negro brasileiro: alguns apontamentos históricos. Tempo [online], Niterói, v. 12, n. 23 p. 100-122, 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2015.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Dominus/Edusp, 1965.

FERNANDES, Florestan. Circuito Fechado. São Paulo: Globo, 2010.

FERNANDES, Florestan; BASTIDE, Roger. Brancos e negros em São Paulo. São Paulo: Nacional, 1965.

FREYRE, Gilberto. Casa grande e senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 51. ed. São Paulo: Global, 2006.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2012.

GOMES, Ângela Maria de Castro. Cidadania e direitos do trabalho. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. Raça e pobreza no Brasil – a rationale dos estudos de desigualdade racial. In: DURHAN, Eunice Ribeiro; BORI, Carolina. O negro no ensino superior. São Paulo: USP/Nupes, 2003. v. 1, p. 3-15.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. Classes, raças e democracia. São Paulo: 34, 2002.

HARRIS, Marvin. Padrões raciais nas Américas. Rio de Janeiro: Civilização, 1967.

HASENBALG, Carlos. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

HASENBALG, Carlos; SILVA, Nelson do Valle. Estrutura social, mobilidade e raça. São Paulo: Vértice, 1988.

HENRIQUES, Ricardo. Desigualdade racial no Brasil. Rio de Janeiro: Ipea, 2001.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa mensal de emprego. Rio de Janeiro: IBGE, fev. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa nacional por amostra de domicílios. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA – IPEA-DISOC. Reserva de vagas para negros em concursos públicos: uma análise a partir do Projeto de Lei 6.738/2013. Nota Técnica, Brasília, n. 17, fev. 2014.

MÜLLER, Maria Lúcia Rodrigues. Professoras negras no Rio de Janeiro: história de um branqueamento. In: OLIVEIRA, Iolanda de (Org.). Relações raciais e educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 73-106.

NASCIMENTO, Abdias. O Brasil na mira do pan-africanismo. Salvador: Centro de Estudos Afro-Orientais/Edufba, 2002.

NOGUEIRA, Oracy. Relações raciais entre brancos e negros em São Paulo. Revisa Anhambi, ano 18, n. 53, p. 279-299, 1955.

OLIVEIRA, Iolanda de; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e (Org.). Identidade negra: pesquisas sobre o negro e a educação no Brasil. Rio de Janeiro: ANPEd, 2003.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. A sociologia do guerreiro. Rio de Janeiro: UFRJ, 1995.

ORTNER, Sherry. Uma atualização da teoria da prática; Poder e projetos: reflexões sobre agência. In: GROSSI, Miriam; ECKERT, Cornelia; FRY, Peter (Org.). Conferências e diálogos: saberes e práticas antropológicas. Brasília: ABA; Blumenau: Nova Letra, 2007. p. 19-80.

PIERSON, Donald. Brancos e pretos na Bahia. 2. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1971.

PIRES, Mara Fernanda Chiari. Docentes negros na universidade pública brasileira. Campinas: Unicamp, 2014.

PRUDENTE, Eunice Aparecida de Jesus. Uma análise jurídica sobre exclusão social dos afro-descendentes numa ordem constitucional integradora. In: DURHAN, Eunice Ribeiro; BORI, Carolina. O negro no ensino superior. São Paulo: USP/Nupes, 2003. v. 1. p. 89-116.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. Relatos orais: do “indizível” ao “dizível”. Relatos, n. 39, ano 3, p. 272-288, 1987.

RAMOS, Alberto Guerreiro. Introdução crítica à sociologia brasileira. Rio de Janeiro: Andes, 1954.

RIBEIRO, Maria Solange Pereira. O romper do silêncio: história e memória na trajetória escolar e profissional dos docentes afrodescendentes das universidades públicas do estado de São Paulo. 2001. 217 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2015.

ROSEMBERG, Fúlvia. Ação afirmativa no ensino superior brasileiro: pontos para reflexão. Ações Afirmativas, UFSCar, São Carlos, p. 1-25, 2009. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2015.

SANTOS, Sales Augusto dos. Movimentos negros, educação e ações afirmativas. 2007. 554 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2015.

SANTOS, Wanderley Guilherme. Décadas de espanto: uma apologia democrática. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

SCHWARCZ, Lilia Mortiz. Espetáculo das raças. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SCHWARCZ, Lilia Mortiz. Retrato em branco e negro: jornais, escravos e cidadãos em São Paulo no final no século XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

SILVA, Joselina da. Doutoras professoras negras: o que nos dizem os indicadores oficiais. Perspectivas, Florianópolis, v. 28, n. 1, p. 19-36, 2010.

SILVA, Nelson do Valle. White-nonwhite income diferentials: Brazil 1960. University of Michigan, 1978.

SILVA, Nelson do Valle; HASENBALG, Carlos Alfredo. Relações raciais no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Rio Fundo/Iuperj, 1992.

TEIXEIRA, Moema de Poli. Negros na universidade: identidade e trajetórias de ascensão social no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Pallas, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.