Gestão de recursos para manutenção e desenvolvimento do ensino na esfera municipal

Maria Dilnéia Espíndola Fernandes, Solange Jarcem Fernandes

Resumo


O trabalho objetivou desvelar a gestão dos recursos para manutenção e desenvolvimento do ensino no município de Campo Grande, capital do estado de Mato Grosso do Sul, no período de 1997 a 2012. O propósito foi verificar em que medida o montante de recursos disponíveis seria suficiente para a garantia do direito à educação nas etapas da educação básica sob a responsabilidade e a competência do município. Trabalhou-se com a legislação e documentos de âmbito federal e municipal, com destaque para os balanços gerais do município e a literatura pertinente à temática. Constatou-se que as receitas municipais se mostraram ascendentes no período, o que pode ter contribuído para a universalização do ensino fundamental e para a expansão obrigatória da educação básica.

 

 


Palavras-chave


Políticas Educacionais; Direito à Educação; Financiamento da Educação; Campo Grande, MS

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, José Roberto; CASTRO, Kleber P. de. IPTU e finanças públicas municipais no Brasil: dificuldades e potencial. Rio de Janeiro; São Paulo: FGV; Instituto Brasileiro de Economia, set. 2014. (Texto de discussão, n. 63). Disponível em: . Acesso em: 9 nov. 2014.

ARAUJO, Gilda C. de. Constituição, federação e propostas para o novo Plano Nacional de Educação: análise das propostas de organização nacional da educação brasileira a partir do regime de colaboração. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 112, p. 749-768, jul./set. 2010.

ARRETCHE, Marta Tereza da S. Avaliando impactos de projetos em desenvolvimento voltados à pobreza. In: BARREIRA, Maria Cecília R. N.; CARVALHO, Maria do Carmo B. de. (Org.). Tendências e perspectivas na avaliação de políticas e programas sociais. São Paulo: IEE/PUC-SP, 2001.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília, DF, 2014a. Disponível em: . Acesso em: 6 set. 2014.

BRASIL. Lei n. 11.274, de 6 de fevereiro de 2006. Altera a redação dos arts. 29, 30, 32 e 87 da Lei n. 9.394, de 10 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, dispondo sobre a duração de 9 (nove) anos para o ensino fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos 6 (seis) anos de idade. Brasília, DF, 2006a. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2012.

BRASIL. Emenda constitucional n. 53, de 19 de dezembro de 2006. Dá nova redação aos art. 7º, 23, 30, 206, 208, 211 e 212 da Constituição Federal e ao art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 dez. 2006b.

BRASIL. Lei n. 11.114, de 16 de maio de 2005. Altera os arts. 6º, 30 e 87 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, com o objetivo de tornar obrigatório o início do ensino fundamental aos seis anos de idade. Brasília, DF, 2005. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2012.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 14, de 12 de setembro de 1996. Modifica os art. 34, 208, 211 e 212 da Constituição Federal e dá nova redação ao art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 set. 1996a.

BRASIL. Lei n. 9.424, de 24 de dezembro de 1996. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério – Fundef. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 dez. 1996b.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 1996c. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2014.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988.

BRASIL. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Estimativas de repasse das quotas estaduais e municipais/consulta exercícios 2009, 2010, 2011, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2014.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Distribuição da população por sexo, segundo os grupos de idade Campo Grande (MS) – 2010. Brasília, DF, 2010. Disponível em: . Acesso em: 18 nov. 2014.

BRASIL. Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Ideb – Resultados e Metas. Brasília, DF, 2014b. Disponível em: . Acesso em: 18 nov. 2014.

BRASIL. Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Resultado Final do Censo Escolar 2012. Mato Grosso do Sul, município de Campo Grande. Brasília, DF, 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 nov. 2104.

BRASIL. Ministério da Educação. Balanço do primeiro ano do Fundef. Brasília, DF: 1999a.

BRASIL. Ministério da Fazenda. Portaria n. 42, de 14 de abril de 1999. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 abr. 1999b. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2014.

BRASIL. Secretaria de Finanças e Orçamento. Classificação funcional-programática. Portaria n. 9, de 28 de janeiro de 1974. Brasília, DF: 1974. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2014.

CAMPO GRANDE. Câmara Municipal. Emenda n. 08, de 29 de junho de 1998, com efeito retroativo a 1º de janeiro de 1998, reduzindo o mínimo da receita arrecadada de impostos a ser aplicado na educação de 30% para 25%. Campo Grande, MS, 1998. Disponível em: . Acesso em: 3 jan. 2011.

CAMPO GRANDE. Prefeitura Municipal de Campo Grande. Secretaria Municipal de Educação, MS. Plano Municipal de Educação 2007-2016. O futuro da educação é a gente que faz. Campo Grande: SME, 2007a, 158 p.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2012.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2011.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2010.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2009.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2008.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2007b.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2006.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2005.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2004.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2003.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2002.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2001.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 2000.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 1999.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 1998.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle. Balanço geral consolidado todos os poderes. Campo Grande, 1997.

CASTRO, Jorge Abrahão de. Financiamento da educação no Brasil. Em Aberto, Brasília, v. 18, n. 74, p. 11-32, dez. 2001.

CURY, Carlos Roberto J. A educação básica como direito. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 134, p. 293-303, maio/ago. 2008.

CURY, Carlos Roberto J. A educação básica no Brasil. Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80 [Especial], p. 169-201, set. 2002.

FERNANDES, Maria Dilnéia E.; FERNANDES, Solange J. O Fundeb no contexto das finanças públicas municipais de Campo Grande. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 39, n. 3, p. 907-924, jul./set. 2014.

FERNANDES, Maria Dilnéia E.; FERNANDES, Solange J. Remuneração salarial de professores em redes públicas de ensino. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 29, n. 4, p. 167-188, dez. 2013.

FERNANDES, Maria Dilnéia E.; RODRIGUEZ, Margarita Victoria. O processo de construção da Lei n. 11.738/2008 (Lei do Piso Salarial Profissional Nacional): trajetória, disputas e tensões. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 41, p. 88-101, mar. 2011.

MADZA, Ednir; BASSI, Marcos Edgar. Bicho de sete cabeças: para entender o financiamento da educação brasileira. São Paulo: Ação Educativa, 2009.

OLIVA, Aloizio M. As bases do novo desenvolvimentismo no Brasil: análise do governo Lula (2003-2010). 2010. 537 f. Tese (Doutorado) – Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2010.

PINTO, José Marcelino de R. A política recente de fundos para o financiamento da educação e seus efeitos no pacto federativo. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 877-897, out. 2007. Número especial.

PINTO, José Marcelino de R. Os recursos para a educação no Brasil no contexto das finanças públicas. Brasília, DF: Plano, 2000.

POCHMANN, Márcio. Políticas sociais e padrão de mudanças no Brasil durante o governo Lula. SER Social, Brasília, v. 13, n. 28, p. 12-40, jan./jun. 2011.

RODRIGUEZ, Vicente. Financiamento da educação e políticas públicas: o Fundef e a política de descentralização. Cadernos Cedes, Campinas, n. 55, p. 42-57, 2002.

VERHINE, Robert (Coord.). Financiamento da educação básica: um estudo de receitas e gastos das redes de ensino da Bahia. Fase final: foco no Fundef. Agosto de 2000 a novembro de 2003: relatório geral. Salvador: Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Educação, ISP, 2003. CD-ROM.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.