Pesquisa e contexto: métodos de investigação e diferenças sócio-culturais em questão.

Antonio Roazzi

Resumo


A partir do recente debate (Patto, 1984; Freitag, 1985; Camargo, 1986; Carraher, Carraher & Schliemann, 1986) sobre a dissidência entre vários autores quanto a aspectos do desenvolvimento cognitivo, este artigo oferece subsídios para discussão. A atenção focaliza a variável contexto experimental e sua importância na prática de pesquisa. O contexto experimental é considerado como definido socialmente, conseqüentemente propõe, em primeiro lugar, que as pesquisas em Psicologia devam considerar ambos, o meio social dos sujeitos objeto de estudo e o significado do contexto experimental como conseqüência deste ambiente. Em segundo lugar, sugere que em estudos de processos psicológicos, especialmente de grupos sociais e culturais diferentes, o pesquisador, no planejamento dos seus experimentos deva dar mais ênfase (através de observações) aos fatores ambientais que caracterizam os vários grupos de sujeitos. Ao invés, a tendência usual tem sido se concentrar somente nas habilidades de um grupo cultural particular, desconsiderando que é a partir destes fatores ambientais que são derivados os estímulos e também as respostas que originam o comportamento. Para explicar como as pessoas funcionam nos seus meios particulares, temos que dispender uma maior atenção ao contexto ambiental, na mesma intensidade com que usualmente nos voltamos para o indivíduo como sujeito experimental. Isto implica na necessidade em Psicologia de se testar as teorias seja através de métodos de observação.

Palavras-chave


Desenvolvimento cognitivo; Pesquisa; Desigualdades sociais; Psicologia; Meio social

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.