Estágio em Psicologia da Educação: problemáticas contemporâneas no contexto educacional brasileiro

Autores

  • Cláudia Dias Prioste Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp), campus Araraquara

Resumo

A educação brasileira enfrenta problemáticas crônicas e complexas para as quais a maioria dos professores não se sente preparada para enfrentar. O currículo das licenciaturas, geralmente, é pautado em teorias tradicionais com escassez de pesquisas atuais e análises contextualizadas dos problemas escolares. No âmbito da Psicologia da Educação, embora as teorias clássicas façam parte da construção de saberes historicamente relevantes, evidencia-se um silêncio sobre determinadas problemáticas. Desse modo, o presente projeto teve o objetivo de proporcionar, aos 67 licenciandos do curso de Letras, experiências didáticas significativas, atuais e mais contextualizadas. Adotou-se a modalidade de estágio-pesquisa, com enfoque nos seguintes eixos-temáticos: fracasso escolar; questões étnico-raciais; desigualdades de gênero; fantasia e aprendizagem; declínio da autoridade docente; bullying; mídias e tecnologias; transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e medicalização dos problemas na aprendizagem. Os resultados evidenciaram melhora no comprometimento e no entusiasmo dos licenciandos, bem como maior capacidade de articulação entre teoria e prática, reflexão e ação. A maioria dos alunos revelou se sentir mais preparada para compreender e enfrentar as diferentes condições de ensino, demonstrando compromisso com intervenções didáticas que refletem um vínculo sólido e inovador com saberes e atitudes investigativas relevantes à docência. Por fim, observou-se maior engajamento científico, político e social. 

Referências

ADICHIE, N. C. Para educar crianças feministas: um manifesto. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

ADORNO, T. Educação e emancipação. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 02/2015, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Educação é a base. Brasília, MEC/Consed/Undime, 2017.

DUFOUR, D.-R. A arte de reduzir cabeças: sobre a nova servidão na sociedade ultraliberal. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2005.

FRELLER, C. C. Histórias de indisciplina escolar: o trabalho de um psicólogo numa perspectiva winnicottiana. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2001.

MOYSES, M. A. A.; COLLARES, C. A. L. Dislexia e TDAH: uma análise a partir da ciência médica. In: CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA/GRUPO INTERINSTITUCIONAL QUEIXA ESCOLAR (org.). Medicalização de crianças e adolescentes: conflitos silenciados pela redução de questões sociais a doença de indivíduos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010. p. 72-110.

PATTO, M. H. S. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2012.

PRIOSTE, C. Fracasso escolar e dificuldades na alfabetização: relato de experiência de atendimento psicológico e novas intervenções. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 11, n. esp. 4, p. 2430-2447, 2016a.

PRIOSTE, C. O adolescente e a internet: laços e embaraços no mundo virtual. São Paulo: Edusp, 2016b.

PRIOSTE, C. O homo zappiens e o uso dos dispositivos televisuais: possíveis impactos no processo de alfabetização. Revista Conhecimento & Diversidade, Niterói, v. 9, n. 18, p. 73-88. jul./set. 2017.

SILVA, V. G.; ALMEIDA, P. C. A.; GATTI, B. A. Referentes e critérios para a ação docente. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 46, n. 160, p. 286-311, abr./jun.2016.

SOUZA, B. Funcionamentos escolares e produção de fracasso escolar e sofrimento. In: SOUZA, B. (org.). Orientação à queixa escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010. p. 241-277.

SOUZA, M. C. C. C. A escola brasileira, a lei e o laço social. Educação: Freud pensa a educação, São Paulo, n. 1, p. 48-57, 2006.

SOUZA, S. N. Torna-se negro. Rio de Janeiro: Graal,1990.

ZUIN, A. A. S.; ANTUNES, D. R. Do bullying ao preconceito: os desafios da barbárie à educação. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 20, n. 1, p. 33-42, jan./abr. 2008.

Downloads

Publicado

26-11-2020