Avaliação e recuperação nos Ginásios Estaduais Pluricurriculares Experimentais – Gepes (1967-1969)

Autores

  • Carlos Eduardo Bizzocchi Universidade Paulista (Unip), São Paulo-SP, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18222/eae.v0ix.4710

Palavras-chave:

Avaliação da Aprendizagem, Estudos de Recuperação, Ginásio Estadual Pluricurricular Experimental da Lapa, Gepe.

Resumo

Os processos de avaliação e recuperação integraram-se como ferramentas fundamentais para a promoção automática (como era denominada a progressão continuada) de 1967 a 1969, enquanto funcionou o Núcleo Experimental da Lapa, que coordenou o Grupo Escolar Experimental “Dr. Edmundo de Carvalho” e quatro unidades do Ginásio Estadual Pluricurricular Experimental (Gepe) na zona oeste paulistana, com o objetivo de implantar a continuidade dos ensinos primário e ginasial. O Núcleo valeu-se de variadas formas de avaliação e recuperação para validar a promoção automática. Com base na revisão bibliográfica, o presente estudo procedeu a uma análise crítica dos relatórios anuais das unidades e dos processos de formulação das propostas de avaliação e recuperação que fizeram parte do projeto, relatando a trajetória nem sempre linear em busca da melhor forma de avaliar e aprovar o aluno, diante do novo desafio da organização por ciclos.Palavras-chave: Avaliação da Aprendizagem, Estudos de Recuperação, Ginásio Estadual Pluricurricular Experimental da Lapa, Gepe. Evaluación y recuperación en los Ginásios Estaduais Pluricurriculares Experimentais – Gepes (1967-1969)Los procesos de evaluación y recuperación se integraron como herramientas fundamentales para la promoción automática (como se denominaba  la  progresión  continuada)  de 1967 a 1969, mientras funcionó el Núcleo Experimental da Lapa, que coordinó el Grupo Escolar Experimental “Dr. Edmundo de Carvalho” y cuatro unidades del Ginásio Estadual Pluricurricular Experimental (Gepe) [Liceo Estadual Multicurricular Experimental] en la zona oeste de la ciudad de São Paulo, con el objetivo de implantar la continuidad de la educación primaria y secundaria. El Núcleo utilizó variadas formas de evaluación y recuperación para validar la promoción automática. En base a la revisión bibliográfica, el presente estudio llevó a cabo un análisis crítico de los informes anuales de las unidades y de los procesos de formulación de las propuestas de evaluación y recuperación que formaron parte del proyecto, relatando la trayectoria no siempre lineal en búsqueda de la mejor forma de evaluar y aprobarlo al alumno, frente al nuevo desafío de la organización por ciclos.Palabras clave: Evaluación del Aprendizaje, Estudios de Recuperación, Ginásio Estadual Pluricurricular Experimental da Lapa, Gepe. Assessment and recovery in Ginásios Estaduais Pluricurriculares Experimentais – Gepes (1967-1969)Assessment and recovery processes have become essential instruments for automatic promotion (as continued advancement was called) from 1967 to 1969, while the Núcleo Experimental da Lapa was operating. It coordinated the “Dr. Edmundo de Carvalho” Experimental School and four units of the Ginásio Estadual Pluricurricular Experimental (Gepe [Experimental State Multi-Curricular Junior High School]) on the west side of São Paulo, with the goal of deploying the continuity of primary and junior high school education. The Núcleo used various forms of assessment and recovery to validate automatic promotion. Based on the literature review, the present study undertook a critical analysis of the annual reports of the units and the formulation processes of assessment and recovery proposals that were part of the project. It reported the trajectory, which is not always linear, in a search for the best way to evaluate and to promote the student, facing the new challenge of cyclical organization.Keywords: Learning Assessment, Recovery Studies, Ginásio Estadual Pluricurricular Experimental da Lapa, Gepe.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Bizzocchi, Universidade Paulista (Unip), São Paulo-SP, Brasil

Mestre em Educação - Universidade Paulista

Referências

AZANHA, José Mário Pires. Ulhôa Cintra: estadista da educação. Revista USP, São Paulo, n. 42, p. 104-107, jun./ago. 1999.

BALZAN, Newton César. Vocacional: um projeto para o século XXI. In: ROVAI, Esméria. Ensino vocacional: uma pedagogia atual. São Paulo: Cortez, 2005.

BONINO, Rachel. Tempo de arriscar. Revista Educação, São Paulo, ago. 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2013.

BRASIL. Lei n. 4.024/61, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, DF, 21 dez. 1961.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei PL 8.200/2014. Altera o art. 24 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para vedar a promoção automática no ensino fundamental e médio. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 2014. Aguardando apreciação pelo Senado Federal. Disponível em: . Acesso em: 01 jun. 2018.

CHIOZZINI, Daniel Ferraz. Os ginásios vocacionais: a (dês)construção da história de uma experiência educacional transformadora (1961-69). 2003. 125f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

CHIOZZINI, Daniel Ferraz. História e memória da inovação educacional no Brasil: o caso dos Ginásios Vocacionais (1961-1969). 2010. 335f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2010.

FUSARI, José Cerchi. Depoimento por escrito, em 9 de setembro de 2014.

GINÁSIO ESTADUAL PLURICURRICULAR EXPERIMENTAL I. Relatório GEPE I – 1968. São Paulo: GEPE I, 1968.

GINÁSIO ESTADUAL PLURICURRICULAR EXPERIMENTAL I. Relatório GEPE I – 1969. São Paulo: GEPE I, 1969.

GINÁSIO ESTADUAL PLURICURRICULAR EXPERIMENTAL II. Relatório GEPE II – 1968. São Paulo: GEPE II, 1968.

GINÁSIO ESTADUAL PLURICURRICULAR EXPERIMENTAL II. Relatório GEPE II – 1969. São Paulo: GEPE II, 1969.

GINÁSIO ESTADUAL PLURICURRICULAR EXPERIMENTAL IV. Relatório GEPE IV – 1968. São Paulo: GEPE IV, 1968.

GINÁSIO ESTADUAL PLURICURRICULAR EXPERIMENTAL IV. Relatório GEPE IV – 1969. São Paulo: GEPE IV, 1969.

GRUPO ESCOLAR EXPERIMENTAL “DR. EDMUNDO DE CARVALHO”. Relatório GEEDEC – 1969. São Paulo: GEEDEC, 1969.

GRUPO ESCOLAR GINÁSIO EXPERIMENTAL “DR. EDMUNDO DE

CARVALHO”. Caderno III: avaliação. São Paulo, SP: SEE/DAP/Coordenadoria do Ensino Básico e Normal, 1971.

JACOMINI, Márcia Aparecida. Reprovação escolar na opinião de pais e alunos: um estudo sobre os ciclos e a progressão continuada na Rede Municipal de Ensino de São Paulo. 2008. 270f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5. ed. Goiânia: Editora Alternativa, 2004.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo, Cortez, 2011.

MACHADO, Lucília Regina de Souza. Politecnia, escola unitária e trabalho. São Paulo: Cortez, 1989.

MAINARDES, Jefferson. A escola em ciclos: fundamentos e debates. São Paulo: Cortez, 2009.

MASCELLANI, Maria Nilde. Uma pedagogia para o trabalhador: o ensino vocacional como base para uma proposta pedagógica de capacitação profissional de trabalhadores desempregados (Programa Integrar CNM/CUT). São Paulo: IIEP, 2010.

MORALES, Pedro. Avaliação escolar: o que é, como se faz. São Paulo, Loyola, 2003.

NUNES, Clarice. Escola e dependência: o ensino secundário e a manutenção da ordem. Rio de Janeiro: Achiamé, 1980.

NUNES, Clarice. (DES)encantos na modernidade pedagógica. In: LOPES, Eliana Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes; VEIGA, Cynthia Greive. 500 anos de educação no Brasil. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

PERRENOUD, Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre, Artmed, 1999.

SÃO PAULO (Estado). Decreto Lei n. 6.052, de 3 de fevereiro de 1961. Dispõe sobre o sistema estadual de Ensino Industrial e de Ensino de Economia Doméstica e de Artes Aplicadas, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado de São Paulo, São Paulo, SP, n. 28, ano 71, p. 34, fev. 1961a.

SÃO PAULO (Estado). Decreto n. 38.643, de 27 de junho de 1961. Regulamenta a Lei n. 6.052, de 3 de fevereiro de 1961, que dispõe sobre o Ensino Industrial, Ensino de Economia Doméstica e de Artes Aplicadas e Cursos Vocacionais. Diário Oficial do Estado de São Paulo, São Paulo, SP, n. 144, ano 71, p. 4, 29 jun. 1961b.

TRIGUIS, Carlos Ernesto. De educando a arte-educador: um percurso; influência dos mestres. 2007. 138f. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) – Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São Paulo, 2007. Volume 2, Anexos.

VIÉGAS, Lygia de Souza. Progressão continuada em uma perspectiva crítica em psicologia escolar: história, discurso e vida diária escolar. 2007. 238f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

VIÉGAS, Lygia de Souza; SOUZA, Marilene Proença Rebello de. Promoção automática nos anos 1950: a experiência pioneira do Grupo Experimental da Lapa (São Paulo). Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 2, p. 499-514, abr./jun. 2012.

XAVIER, Maria Elisabete; RIBEIRO, Maria Luísa; NORONHA, Olinda Maria. História da educação: a escola no Brasil. São Paulo: FTD, 1994.

Downloads

Publicado

31-08-2018

Edição

Seção

Artigos