Auto-avaliação docente e melhoria das práticas pedagógicas: percepções de professores portugueses

  • Carlos Alberto Ferreira Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Quinta de Prados, Vila Real, Portugal
  • Cristina Oliveira Agrupamento de Escolas de Carrazeda de Ansiães
Palavras-chave: Auto-avaliação, Avaliação do Desempenho Docente, Desenvolvimento Profissional, Prática de Ensino

Resumo

Realizámos uma investigação que visava auscultar professores sobre o contributo da auto-avaliação docente, prevista no sistema de avaliação de desempenho docente português, na melhoria das práticas pedagógicas. Para isso, delineámos uma metodologia de investigação qualitativa, com o estudo exploratório de caso, concretizada pela análise da legislação sobre a avaliação de desempenho docente em Portugal e pela entrevista semi-estruturada a cinco professores de um agrupamento de escolas. Pelos dados obtidos, verificou-se que os professores percepcionavam a avaliação de desempenho docente como um processo de diagnóstico dos pontos fortes e do que era preciso melhorar nas suas práticas pedagógicas. A auto-avaliação dos professores, por meio da reflexão sobre suas práticas pedagógicas ao longo do ano letivo, constitui um contributo para esse processo, embora não fosse evidente que dela resultasse uma mudança efetiva das práticas promotora do seu desenvolvimento profissional.

Biografia do Autor

Carlos Alberto Ferreira, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Quinta de Prados, Vila Real, Portugal
Professor Auxiliar da Escola de Ciências Humanas e Sociais da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Quinta de Prados, Vila Real, Portugal
Cristina Oliveira, Agrupamento de Escolas de Carrazeda de Ansiães
Professora do Quadro do Agrupamento de Escolas de Carrazeda de Ansiães, Carrazeda de Ansiães, Portugal

Referências

AGUIAR, José Lúcio; ALVES, Maria Palmira. A avaliação do desempenho docente: tensões e desafios na escola e nos professores. In: ALVES, Maria Palmira; FLORES, Maria Assunção (Org.). Trabalho docente, formação e avaliação. Clarificar conceitos, fundamentar práticas. Mangualde, PT: Pedago, 2010. p. 229-258.

ALVES, Maria Palmira; MACHADO, Eusébio André. Para uma “política” de avaliação do desempenho docente: desenvolvimento profissional e auto-

-avaliação. In: ALVES, Maria Palmira; MACHADO, Eusébio André. (Org.). O pólo de excelência: caminhos para a avaliação do desempenho docente. Porto: Areal, 2010. p. 89-108.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1995.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto, 1994.

CASSETTARI, Nathalia. Avaliação de professores: uma questão de escolhas. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 25, n. 57, p. 166-197, 2014.

COELHO, Ana Cláudia; RODRIGUES, Ana Paula. Guia de avaliação de desempenho docente. Lisboa: Texto, 2008.

DAY, Christopher. Avaliação do desenvolvimento profissional dos professores. In: ESTRELA, Albano; NÓVOA, António (Org.). Avaliações em educação: novas perspetivas. Porto: Porto, 1993. p. 95-114.

DE KETELE, Jean-Marie. Avaliação do desenvolvimento profissional dos professores: postura de controlo ou postura de reconhecimento? In: ALVES, Maria Palmira; MACHADO, Eusébio André (Org.). O pólo de excelência: caminhos para a avaliação do desempenho docente. Porto: Areal, 2010. p. 13-31.

ESTEVES, Manuela. Análise de conteúdo. In: LIMA, Jorge Ávila; PACHECO, José Augusto (Org.). Fazer investigação. Contributos para a elaboração de dissertações e teses. Porto: Porto Editora, 2006. p. 105-126.

FERREIRA, Carlos Alberto. A avaliação das aprendizagens no ensino básico português e o reforço da avaliação sumativa externa. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 1, p. 153-169, 2015.

FERREIRA, Carlos Alberto. A avaliação no quotidiano da sala de aula. Porto: Porto Editora, 2007.

FORMOSINHO, João; MACHADO, Joaquim. Os professores e a diferenciação docente. Da especialização de funções à avaliação de desempenho. In: FORMOSINHO, João; MACHADO, Joaquim; OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia. Formação, desempenho e avaliação de professores. Mangualde, PT: Pedago, 2010. p. 77-95.

LIMA, Jorge Ávila. Ética na investigação. In: LIMA, Jorge Ávila; PACHECO, José Augusto (Org.). Fazer investigação. Contributos para a elaboração de dissertações e teses. Porto: Porto, 2006. p. 127-159.

MACHADO, Joaquim; FORMOSINHO, João. Desempenho, mérito e desenvolvimento. Para uma avaliação mais profissional dos professores. In: FORMOSINHO, João; MACHADO, Joaquim; OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia. Formação, desempenho e avaliação de professores. Mangualde, PT: Pedago, 2010. p. 97-118.

MORGADO, José. Qualidade na educação. Um desafio para os professores. Lisboa: Presença, 2004.

NEVO, David. School-based evaluation: a dialogue for school improvement. Oxford: Pergamon, 1995.

NUNES, Cely. Avaliação docente: monitoramento do trabalho dos professores em Portugal. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 24, n. 55, p. 64-93, 2013.

PACHECO, José Augusto. Para a sustentabilidade avaliativa do professor. Revista Elo, n. 16, p. 43-49, 2009.

PACHECO, José Augusto; FLORES, Maria Assunção. Formação e avaliação de professores. Porto: Porto, 1999.

PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Tradução de Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Artmed, 2000.

PORTUGAL. Ministério da Educação e Ciência. Decreto Regulamentar n. 26, de 21 de fevereiro de 2012. Regulamenta o Sistema de Avaliação do Desempenho Docente. Lisboa, 2012.

PORTUGAL. Ministério da Educação. Lei n. 46 de 14 de outubro de 1986. Lei de Bases do Sistema Educativo. Lisboa, 1986.

SIMÃO, Ana Margarida. Reforçar o valor regulador, formativo e formador da avaliação das aprendizagens. Revista de Estudos Curriculares, Braga, Portugal, v. 3, n. 2, p. 265-289, 2005.

SIMÕES, Gonçalo. A avaliação do desempenho docente. Lisboa: Texto, 2000. SOUSA, Aberto B. Investigação em educação. Lisboa: Livros Horizonte, 2005.

YIN, Robert. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução de Daniel Grassi. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

Publicado
29-12-2015
Seção
Outros Temas