Ensino de relações raciais na pós-graduação stricto sensu da área pública no Brasil

Autores

  • João Pedro Moreira Costa Universidade Federal de Alfenas (Unifal), Alfenas (MG), Brasil https://orcid.org/0000-0003-4260-2424
  • Ana Cláudia Ribeiro Universidade Federal de Alfenas (Unifal), Alfenas (MG), Brasil
  • Klaique Andreia Araújo Universidade Federal de Alfenas (Unifal), Alfenas (MG), Brasil
  • Adílio Renê Almeida Miranda Universidade Federal de Alfenas (Unifal), Alfenas (MG), Brasil

Palavras-chave:

Relações raciais, Pós-graduação, Administração pública

Resumo

O racismo está enraizado na sociedade brasileira, sendo relevante discutir e promover ações antirracistas e de valorização da população negra. O ensino da temática “relações raciais” é importante instrumento para estimular essas ações, principalmente no âmbito dos programas de pós-graduação (PPGs) stricto sensu da área pública no Brasil. Assim, mediante pesquisa estatística-descritiva e análise documental, tais programas foram estudados e concluiu-se que a maioria dos que abordam a temática racial direta e/ou indiretamente em suas disciplinas está ligada às políticas públicas, enquanto o debate é secundarizado na maioria dos PPGs de Administração e Gestão Pública. Ademais, há uma tendência da não obrigatoriedade curricular de disciplinas que fazem referência direta à discussão racial.

Referências

Almeida, S. L. (2018). O que é racismo estrutural? Letramento.

Araújo, D. C. (2018). Em busca de uma iniciativa histórica africana: Possibilidades e limites das práticas pedagógicas na educação básica. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 99(252), 429-448. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-66812018000200429&lng=en&nrm=iso. https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.99i252.3577

Barbosa, M. R. J. (2016). A influência das teorias raciais na sociedade brasileira (1870-1930) e a materialização da Lei n. 10.639/03. Revista Eletrônica de Educação, 10(2), 260-272. http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/1525/502

Camargo, M. J. R., & Benite, A. M. C. (2019). Educação para as relações étnico-raciais na formação de professores de química: Sobre a Lei n. 10.639/2003 no ensino superior. Química Nova, 42(6), 691-701. https://www.scielo.br/j/qn/a/nxp6kmy7nHDPYcMffThdScH/?lang=pthttps://doi.org/10.21577/0100-4042.20170375

Carvalho, M. P. (2018). História da educação da população negra: O estado da arte sobre educação e relações étnico-raciais (2003-2014). Educar em Revista, 34(69), 211-230. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602018000300211&lng=en&nrm=iso.https://doi.org/10.1590/0104-4060.57236

Cavalcanti, B. S. (1981). Formação do administrador público: Alternativas em debate. Revista de Administração Pública, 15(3), 31-53.

Chagas, W. F. (2017). História e cultura afro-brasileira e africana na educação básica da Paraíba. Educação e Realidade, 42(1), 79-98. https://www.scielo.br/j/edreal/a/KFVY38qTQ55qnVLx55sj7kh/?lang=pt. https://doi.org/10.1590/2175-623661125

Coelho, F. S., Almeida, L. S. B., Midlej, S., Schommer, P. C., & Teixeira, M. A. C. (2020). O campo de públicas após a instituição das diretrizes curriculares nacionais (DCNs) de administração pública: Trajetória e desafios correntes (2015-2020). Administração: Ensino e Pesquisa, 21(3), 488-529. https://raep.emnuvens.com.br/raep/article/view/1897/409. DOI 10.13058/raep.2020.v21n3.1897

Coelho, M. C., & Coelho, W. N. B. (2018). As licenciaturas em história e a Lei 10.639/03 – percursos de formação para o trato com a diferença? Educação em Revista, (34). https://www.scielo.br/j/edur/a/hvnLnRX7NpxPqJ9YqrBBQHG/?lang=pt. https://doi.org/10.1590/0102-4698192224

Conceição, E. B. (2009, setembro). A negação da raça nos estudos organizacionais. In Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. São Paulo, SP, Brasil.

Conceição, M. S. (2018). Um estudo sobre o estado do conhecimento no tocante à implementação da Lei n. 10.639/2003 na educação básica (2009-2016) [Dissertação de Mestrado]. Núcleo de Estudos Transdisciplinares em Educação Básica, Universidade Federal do Pará, Belém, PA, Brasil.

Domingues, P. (2008). Um “templo de luz”: Frente Negra Brasileira (1931-1937) e a questão da educação. Revista Brasileira de Educação, 13(39), 517-534. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141324782008000300008&lng=en&nrm=iso. https://doi.org/10.1590/S1413-24782008000300008

Fernandes, F. (1972). O negro no mundo dos brancos. Difusão Europeia.

Fonseca, M. V., & Rocha, L. F. R. (2019). O processo de institucionalização da Lei n. 10.639/2003 na rede federal de educação profissional, científica e tecnológica. Educação em Revista, 35, e187074. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982019000100428&lng=en&nrm=iso. http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698187074

Gomes, N. L., & Jesus, R. E. (2013). As práticas pedagógicas de trabalho com relações étnico-raciais na escola na perspectiva de Lei 10.639/2003: desafios para a política educacional e indagações para a pesquisa. Educação em Revista, (47), 19-33. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602013000100003&lng=en&nrm=iso. https://doi.org/10.1590/S0104-40602013000100003

Guimarães, A. S. A. (2016). Formações nacionais de classe e raça. Tempo Social, 28(2), 161-182. https://www.scielo.br/pdf/ts/v28n2/1809-4554-ts-28-02-00161.pdf. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2016.109752

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2013). Atlas do censo demográfico 2010. IBGE. https://censo2010.ibge.gov.br/resultados.html

Jaccoud, L. (2018) O combate ao racismo e à desigualdade: O desafio das políticas públicas de promoção da igualdade racial. In M. Theodoro (Org.), As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil 120 anos após a abolição (pp. 131-166). Ipea.

Lei n. 10.639, de 9 de janeiro de 2003. (2003). Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro--Brasileira”. https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm

Lei n. 11.645, de março de 2008. (2008). Altera a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei n. 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm

Lei n. 12.711, de 29 de agosto de 2012. (2012). Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm

Lourenço, C. D. S., Magalhães, T. F., & Ferreira, P. (2014). A formação em administração pública no Brasil: Desafios, perfil de formação e especificidades da área. Administração Pública e Gestão Social, 6(4), 177-186. https://periodicos.ufv.br/apgs/article/view/4494/2357

Madureira, C. (2005). A formação profissional contínua no novo contexto da administração pública: Possibilidades e limitações. Revista de Administração Pública, 39(5), 1109-1133. https://www.redalyc.org/pdf/2410/241021503005.pdf

Maio, M. C. (1999). O Projeto Unesco e a agenda das ciências sociais no Brasil dos anos 40 e 50. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 14(41), 141-158. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69091999000300009&lng=en&nrm=iso

Meinerz, C. B. (2017). Ensino de história, diálogo intercultural e relações étnico-raciais. Educação e Realidade, 42(1), 59-77. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S217562362017000100059&lng=en&nrm=iso>. https://doi.org/10.1590/2175-623661184

Muller, T. M. P. (2018). Livro didático, educação e relações étnico-raciais: O estado da arte. Educação em Revista, 34(69), 77-95. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010440602018000300077&lng=en&nrm=iso. https://doi.org/10.1590/0104-4060.57232

Ortegal, L. (2018). Relações raciais no Brasil: Colonialidade, dependência e diáspora. Serviço Social & Sociedade, 133, 413-431. https://www.scielo.br/j/sssoc/a/zxQfQVHgVLVdr8ZMvQRHMkz/?lang=pt. https://doi.org/10.1590/0101-6628.151

Paiva, A. R. (2015). Cidadania, reconhecimento e ação afirmativa no ensino superior. Revista Civitas, 15(4). dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2015.4.23251

Parecer CNE/CEB n. 03, de 10 de março de 2004. (2004). Diretrizes Curriculares Nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/cnecp_003.pdf

Parecer CNE/CEB n. 14, de 11 de novembro de 2015. (2015). Diretrizes Operacionais para a implementação da história e das culturas dos povos indígenas na Educação Básica, em decorrência da Lei n. 11.645/2008. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=27591-pareceres-da-camara-de-educacao-basica-14-2015-pdf&Itemid=30192

Peci, A., Soares, V. B., & Cabral, A. D. (2019, junho). A questão racial na administração pública: Promovendo a exploração ou a igualdade racial?. In Anais do VI Encontro Brasileiro de Administração Pública. Salvador, BA, Brasil.

Resolução CNE/CP n. 1 de 17 de junho de 2004. (2004). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/res012004.pdf

Resolução CNE/CES n. 7 de 11 de dezembro de 2017. (2017). Estabelece normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação stricto sensu. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=78281-rces007-17-pdf&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192

Rosa, A. R. (2014). Relações raciais e estudos organizacionais no Brasil. Revista de Administração Contemporânea, 18(3), 240-260. https://www.scielo.br/j/rac/a/B8QtSZTYVYnZj3TgT4kBN7P/?format=pdf&lang=pt

Sá Silva, J. R., Almeida, C. D., & Guindani, J. F. (2009). Pesquisa documental: Pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, 1(1), 1-15.

Santana, R. A. R., Akerman, M., Faustino, D. M., Spiassi, A. L., & Guerriero, I. C. Z. (2019). A equidade racial e a educação das relações étnico-raciais nos cursos de Saúde. Interface, (23). https://www.scielo.br/j/icse/a/fcFjjTxbDtytgD9dXxdVcJK/?lang=pt

Schwarcz, L. M. (2012). Nem preto nem branco, muito pelo contrário: Cor e raça na sociabilidade brasileira. Claro Enigma.

Silva, M. A. B. (2017). Racismo institucional: Pontos para reflexão. Laplage em Revista, 3(1). http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=552756521012. DOI: https://doi.org/10.24115/S2446-6220201731223p.127-136

Silva, P. B. G. (2018). Educação das relações étnico-raciais nas instituições escolares. Educação em Revista, 34(69), 123-150. https://www.scielo.br/j/er/a/xggQmhckhC9mPwSYPJWFbND/?lang=pt

Silva, T. D. (2016, novembro). Administração pública e relações raciais: Uma análise da produção científica entre 2011 e 2016. In Anais do VII Encontro de Administração Pública e Governança. São Paulo, SP, Brasil.

Souza, F. S., Pereira, L. M. S. (2013). Implementação da Lei n. 10.639/2003: Mapeando embates e percalços. Educação em Revista, (47), 51-65. https://www.scielo.br/j/er/a/MNXGXGyqnGXvcJF4WZvfLqP/?lang=pt&format=pdf

Theodoro, M. (2008). As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil 120 anos após a abolição. Ipea.

Tommaselli, G. (2020). Necropolítica, racismo e governo Bolsonaro. Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, Dossiê “Conjuntura no Brasil: Retrocessos sociais e ações de resistência, 42(4),179-199. https://revista.fct.unesp.br/index.php/cpg/article/view/7868/5867

Publicado

03-09-2021

Edição

Seção

Educação Superior, Profissões, Trabalho