Aspirações pelo ensino superior público e a Lei das Cotas

Autores

  • Ana Paula Karruz Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte (MG), Brasil
  • Catharina Mello Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (Seplag); Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte (MG), Brasil

Palavras-chave:

Aspirações Educacionais, Ensino Superior, Sistema de Cotas

Resumo

Este artigo objetiva examinar desigualdades socioeconômicas e raciais nas aspirações pelo ensino superior público e avaliar se a Lei das Cotas as modificou. A formação de aspirações educacionais depende dos recursos disponíveis ao jovem, estando propensa a reproduzir desigualdades. Com base em um modelo empírico que articula contribuições da Psicologia, Sociologia e Economia da Educação, testamos a hipótese de que as cotas aumentam a aspiração pelo ensino superior público entre os elegíveis às vagas reservadas. A identificação de efeitos baseia-se num experimento natural e utiliza dados do Enem de 2012 a 2016 de residentes da região de Belo Horizonte, Minas Gerais. Os resultados alinham-se à expectativa, e revelam que os efeitos das cotas parecem ser moderados pelo sexo do estudante.

Referências

Agresti, A. (2007). An introduction to categorical data analysis (2a. ed.). Wiley-Interscience.

Bermúdez, A. C. (2019, maio 28). Enem 2019: 1 milhão não paga taxa e inscrições alcançam menor nº desde 2012. UOL Educacao. https://educacao.uol.com.br/noticias/2019/05/28/enem-2019-1-milhao-naopaga-taxa-e-inscricoes-alcancam-menor-n-desde-2012.htm

Bourdieu, P. (2007). Futuro de classe e causalidade do provável. In M. A. Nogueira & A. Catani (Orgs.), Escritos de educacao (pp. 81-125). Vozes. 1ª edição de 1974.

Civil Rights Act. Public Law 88-352, 78 STAT 241. (1964, July 02). An Act to enforce the constitutional right to vote, to confer jurisdiction upon the district courts of the United States to provide injunctive relief against discrimination in public accommodations, to authorize the Attorney General to institute suits to protect constitutional rights in public facilities and public education, to extend the Commission on Civil Rights, to prevent discrimination in federally assisted programs, to establish a Commission on Equal Employment Opportunity, and for other purposes. Washington, DC. https://catalog.archives.gov/id/299891

Coleman, J. S., Campbell, E. Q., Hobson, C. J., McPartland, J., Mood, A. M., Weinfeld, F. D., & York, R. L. (1966). Equality of educational opportunity. Washington: U.S. Department of Health, Education, and Welfare, Office of Education.

Dunning, T. (2008, June). Improving causal inference: Strengths and limitations of natural experiments. Political Research Quarterly, 61(2), 282-293.

Eccles, J. (2009). Who am I and what am I going to do with my life? Personal and collective identities as motivators of action. Educational Psychologist, 44(2), 78-89.

Emerging economies university rankings 2020. (2020) S.l.: Times Higher Education. https://www.timeshighereducation.com/world-university-rankings/2020/emerging-economies-universityrankings#!/page/0/length/25/sort_by/rank/sort_order/asc/cols/stats

Ferreira, N. T. (2019, janeiro-março). Ações afirmativas raciais e a atuação do jornal Folha de S.Paulo. Cadernos de Pesquisa, 49(171), 110-128.

Grimm, P. (2011). Social desirability bias. In J. N. Sheth, & N. K. Malhotra (Orgs.), Wiley International Encyclopedia of Marketing. https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/9781444316568.wiem02057

Hoxby, C. M., & Avery, C. (2013, Spring). The missing “one-offs”: The hidden supply of high-achieving, low-income students. Brookings Papers on Economic Activity, 1-46.

Hoxby, C., & Turner, S. (2013). Expanding college opportunities for high-achieving, low-income students. Stanford Institute for Economic Policy Research Discussion Paper, 12-14, 1-55.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2019). Sinopse estatistica da educacao superior 2018. Brasília: Ministério da Educação/Inep. http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior.

Jacob, B. A., & Wilder, T. (2010, January). Educational expectations and attainment. National Bureau of Economic Research Working Paper Series, Cambridge, 15683, 1-58.

Karruz, A. (2018, abril/junho). Oferta, demanda e nota de corte: Experimento natural sobre efeitos da Lei das Cotas no acesso à Universidade Federal de Minas Gerais. Dados, 61(2), 405-462.

Korhonen, J., Tapola, A., Linnanmäki, K., & Aunio, P. (2016, December). Gendered pathways to educational aspirations: The role of academic self-concept, school burnout, achievement and interest in mathematics and reading. Learning and Instruction, 46, 21-33.

Lei Federal n. 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Brasília, DF. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm

Lei Federal n. 13.409, de 28 de dezembro de 2016. Altera a Lei n. 12.711, de 29 de agosto de 2012, para dispor sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos cursos técnico de nível médio e superior das instituições federais de ensino. Brasília, DF. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/l13409.htm

Machado, C., & Szerman, C. (2016, September). Centralized admissions and the student-college match. IZA Discussion Paper Series, 10251, 1-49.

Maia, F. de P. G. H. (2019). Realizacao do ENEM por alunos de escolas publicas: Um estudo sobre burocracia implementadora em escolas estaduais de Belo Horizonte [Trabalho de Conclusão de Curso]. Universidade Federal de Minas Gerais. http://www.fafich.ufmg.br/gestaopublica/wp-content/uploads/2020/05/FLORA-DE-PAULA-GON%C3%87ALVES-HOLANDA-MAIA.pdf

Nogueira, C. M. M. et al. (2017). Promessas e limites: O SiSU e sua implementação na Universidade Federal de Minas Gerais. Educacao em Revista, 33(2), 61-90.

Oreopoulos, P., & Dunn, R. (2013, January). Information and college access: Evidence from a randomized field experiment. The Scandinavian Journal of Economics, 115(1), 3-26.

Schneider, B., & Saw, G. (2016, September). Racial and ethnic gaps in postsecondary aspirations and enrollment. The Russell Sage Foundation Journal of the Social Sciences, 2(5), 58-82.

Soares, J. F., & Júdice, R. (2003, julho/dezembro). A auto-exclusão dos alunos das escolas públicas estaduais de Belo Horizonte no vestibular da UFMG. Ensaio Pesquisa em Educacao em Ciencias, 5(2), 92-99.

Takahashi, R. H. C., Caminhas, W. M., & Pena, C. S. (2015). Mudancas no ensino de graduacao da UFMG: Analise e perspectivas. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais. https://www.ufmg.br/prograd/arquivos/acontece/ApEst.pdf

Valente, R. R., & Berry, B. J. L. (2017, July). Performance of students admitted through affirmative action in Brazil. Latin American Research Review, 52(1), 18-34.

Wainer, J., & Melguizo, T. (2018). Políticas de inclusão no ensino superior: Avaliação do desempenho dos alunos baseado no Enade de 2012 a 2014. Educacao e Pesquisa, 44, Artigo e162807.

,5% dos inscritos no Enem são isentos de taxa. (2012, junho 18). Estadao.edu. https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,61-5-dos-inscritos-no-enem-sao-isentos-de-taxa,888033

Publicado

07-05-2021

Edição

Seção

Educação Superior, Profissões, Trabalho