Percorrendo labirintos: trajetórias e desafios de estudantes de engenharias e licenciaturas

Autores

  • Lindamir Salete Casagrande Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR –, Curitiba, Paraná, Brasil http://orcid.org/0000-0002-8233-229X
  • Ângela Maria Freire de Lima e Souza Universidade Federal da Bahia – UFBA –, Salvador, Bahia, Brasil

Palavras-chave:

Engenharia, Licenciatura, Homens, Mulheres

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar trajetórias de estudantes de engenharias e licenciaturas na Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR – e na Universidade Federal da Bahia – UFBA –, considerando possíveis fatores relacionados ao gênero que impactem nesses percursos. A pesquisa foi realizada em duas etapas, sendo a primeira quantitativa e a segunda, na qual foi baseado este artigo, qualitativa, em que foram entrevistadas/os estudantes de Engenharia Mecânica e Civil e Licenciatura em Letras e Matemática das duas universidades. Com o estudo percebeu-se que há diferença nas trajetórias e desafios enfrentados por homens e mulheres que ousam adentrar em universos acadêmicos socialmente percebidos como reduto do sexo oposto. Mulheres na engenharia e homens nas licenciaturas são os mais expostos a preconceitos e discriminações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lindamir Salete Casagrande, Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR –, Curitiba, Paraná, Brasil

Pós-doutora em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e feminismo – PPGNEIM/UFBA. Doutora e Mestra em Tecnologia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Professora do DAMAT/PPGTE/UTFPR. Pesquisadora do Núcleo de Gênero e Tecnologia – GeTec. Coordenadora editorial dos Cadernos de Gênero e Tecnologia.

Ângela Maria Freire de Lima e Souza, Universidade Federal da Bahia – UFBA –, Salvador, Bahia, Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia – UFBA. Professora do PPGNEIM/UFBA. Coordenadora do Grupo de Estudos de Ciência e Gênero – CIGE.

Referências

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

CABRAL, Carla Giovana. Pelas telas, pela janela: o conhecimento dialogicamente situado. Cadernos Pagu, Campinas, n. 27, p. 63-97, 2006.

CABRAL, Carla Giovana; BAZZO, Walter Antonio. As mulheres nas escolas de engenharia brasileiras: história, educação e futuro. Revista de Ensino de Engenharia, v. 24, n. 1, p. 3-9, 2005.

CARVALHO, Marilia Gomes de. É possível transformar a minoria em eqüidade? In: RISTOF, Dilvo et al. (Org.). SIMPÓSIO GÊNERO INDICADORES DA EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA, 6 e 7 de dezembro de 2007. Brasília, Anais... Brasília: Inep, 2008. v. 1, p. 109-138.

CARVALHO, Marilia Gomes de; CASAGRANDE, Lindamir S. Mulheres e ciências: desafios e conquistas. Interthesis, Florianópolis, v. 8, p. 20-35, 2011.

CARVALHO, Marilia Pinto de. No coração da sala de aula: gênero e trabalho docente nas séries iniciais. São Paulo: Xamã, 1999.

CASAGRANDE, Lindamir Salete; LIMA E SOUZA, Ângela Maria Freire de. Violência simbólica de gênero em duas universidades brasileiras. In: WANZINACK, Clóvis; SIGNORELLI, Marcos Claudio (Org.). Violência, gênero e diversidade: desafios para a educação e o desenvolvimento. Rio de Janeiro: Autografia, 2015. p. 79-108.

CASAGRANDE, Lindamir Salete; SCHWARTZ, Juliana; CARVALHO, Marilia Gomes de; LESZCZYNSKI, Sonia Ana. Mulher e ciência: pioneiras em ciência da natureza. Cadernos de Gênero e Tecnologia, Curitiba, ano 1, n. 1, p. 3-14, 2004.

CASAGRANDE, Lindamir Salete; TORTATO, Cintia de Souza Batista; CARVALHO, Marilia Gomes de. Bullying: quando a brincadeira vira violência. In: CASAGRANDE, Lindamir Salete; LUZ, Nanci Stancki da; CARVALHO, Marilia Gomes de (Org.). Igualdade na diversidade: enfrentando o sexismo e a homofobia. Curitiba: Editora da UTFPR, 2011. p. 209-242.

CASAGRANDE, Lindamir Salete. Entre silenciamentos e invisibilidades: relações de gênero no cotidiano das aulas de matemática. 2011. 261 f. Tese (Doutorado em Tecnologia) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

DIAS, Acácia Batista; AQUINO, Estela M. L. Maternidade e paternidade na adolescência: algumas constatações em três cidades do Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 7, p. 1447-1458, 2006.

FARIAS, Benedito Guilherme Falcão de. Gênero no mercado de trabalho: mulheres engenheiras. 2007. 102 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2007.

FINE, Cordelia. Delusions of gender: how our minds, society, and neurosexism create difference. New York: W.W. Norton, 2010.

FLOR, Gisele. As revistas femininas e o imaginário do corpo perfeito. Revista CoMtempo, São Paulo, v. 2, ano 2, dez. 2010. Disponível em: http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/

comtempo/article/viewFile/7493/6914>. Acesso em: 2 jun. 2016.

KIRA, Luci Frare. A evasão no ensino superior: o caso do curso de pedagogia da Universidade Estadual de Maringá (1992-1996). 1998. 106 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, 1998.

LIMA E SOUZA, Ângela Maria Freire de. Sobre gênero e ciência: tensões, avanços, desafios. In: LIMA E SOUZA, Ângela Maria Freire de; BONETTI, Alinne. Gênero, mulheres e feminismos. Salvador: Edufba, 2011. p. 15-28 (Bahianas).

LIMA, Betina Stefanello. O labirinto de cristal: as trajetórias das cientistas na física. Revista de Estudos Feministas, Florianópolis, v. 21, n. 3, p. 883-903 set./dez. 2013.

LOMBARDI, Maria Rosa. Engenheira & gerente: desafios enfrentados por mulheres em posições de comando na área tecnológica. Revista Tecnologia e Sociedade, Curitiba, n. 3, p. 63-86, 2006a.

LOMBARDI, Maria Rosa. Engenheiras brasileiras: inserção e limites de gênero no campo profissional. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 127, p. 173-202, 2006b.

MACÊDO, Orlando Júnior Viana; ALBERTO, Maria de Fátima Pereira; ARAUJO, Anísio José da Silva. Formação profissional e futuro: expectativas dos adolescentes aprendizes. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 29, p. 779-787, 2012. Suplemento.

MAFFIA, Diana. Crítica feminista à ciência. In: COSTA, Ana Alice A.; SARDENBERG, Cecilia Maria B. (Org.). Feminismo, ciência e tecnologia. Salvador: UFBA/FFCH, 2002.

MELO, Hildete Pereira de; LASTRES, Helena M. M. Ciência e tecnologia numa perspectiva de gênero: o caso do CNPq. In: SANTOS, Lucy. W. et al. (Org.). Ciência, tecnologia e gênero: desvelando o feminino na construção do conhecimento. Londrina: Iapar, 2006.

MENEZES, Marcia Barbosa; LIMA E SOUZA, Ângela Maria Freire de. Escolhas marcadas pelo gênero – sobre o ingresso de jovens mulheres e homens nos cursos de graduação da área de exatas na UFBA. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL ENLAÇANDO SEXUALIDADES, 3., 2013, Salvador. Anais... Salvador: Uneb, 2013. Disponível em: <http://www.uneb.br/enlacandosexualidades/files/2013/06/Escolhasmarcadas-pelo-g%C3%AAnero-%E2%80%93-sobre-o-ingresso-de-jovens-mulheres-e-homens-nos-cursos-degradua%C3%A7%C3%A3o-da-%C3%A1rea-de-Exatas-na-UFBA.pdf>. Acesso em: 11 maio 2016.

SABOYA, Livia. Filhos não impedem que as mulheres tenham uma carreira. São os maridos. No Pátio, 19 nov. 2015. Disponível em: <http://www.nopatio.com.br/comportamento_2/filhos-naoimpedem-que-as-mulheres-tenham-uma-carreira-sao-os-maridos>. Acesso em: 20 out. 2015.

SCHIEBINGER, Londa. Expandindo o kit de ferramentas agnotológicas: métodos de análise de sexo e gênero. Revista Feminismos, Salvador, v. 2, n. 3, p. 85-102, set./dez. 2014.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995.

SEDEÑO, Eulalia Pérez. Retóricas sexo/género. In: SEDEÑO, Eulalia Pérez; CORTIJO, Paloma Alcalá (Coord.). Ciencia y género. Madrid: Complutense, 2001. p. 417-434 (Philosophia Complutensia, 15).

SOBREIRA, Josimeire de Lima. Estudantes de engenharia da UTFPR: uma abordagem de gênero. Curitiba. 2006. 117 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2006.

VELHO, Lea. Apresentação. In: SANTOS, Lucy Woellner dos; ICHIKAWA, Elisa Yoshie; CARGANO, Doralice de Fátima. Ciência, tecnologia e gênero: desvelando o feminino na construção do conhecimento. Londrina: Iapar, 2006. p. 9-18.

VELHO, Lea; LEÓN, Elena. A construção social da produção científica por mulheres. Cadernos Pagu, Campinas, n. 10, p. 309-344, 1998.

WALKERDINE, Valerie. O raciocínio em tempos pós-modernos. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 207-226, jul./dez. 1995.

YANNOULAS, Silvia. Feminização ou feminilização? Apontamentos em torno de uma categoria. Temporalis, Brasília, DF, ano 11, n. 22, p. 271-292, jul./dez. 2011.

Downloads

Publicado

30-04-2021

Como Citar

Casagrande, L. S., & Lima e Souza, Ângela M. F. de. (2021). Percorrendo labirintos: trajetórias e desafios de estudantes de engenharias e licenciaturas. Cadernos De Pesquisa, 47(163), 168–200. Recuperado de http://publicacoes.fcc.org.br/index.php/cp/article/view/3658

Edição

Seção

Tema em Destaque - Mulheres em carreiras de prestígio: conquistas e desafios à feminização